Pular para o conteúdo principal

Palavras de uma antiga arquiteta para uma jovem que ingressa na faculdade

Querida jovem futura colega,

Há alguns anos atrás respondi às tuas questões de como seria a rotina de um arquiteto em uma postagem. Eras ainda uma jovem no inicio do ensino médio que tentava vislumbrar uma possível profissão. O que te movia à Arquitetura? Gostar de criar? Gostar de desenhar? Exemplos de amigos e/ou parentes (talvez eu mesma tenha servido de inspiração, quem sabe...).

A Arquitetura é uma profissão apaixonante. 

E desconhecida.


Como assim desconhecida? 

Vivemos em espaços, moramos em cidades. Nascemos em hospitais, aprendemos em escolas. Nos divertimos em clubes. Exercitamos nossa religiosidade em templos. Somos enterrados em cemitérios. Em todos eles arquitetos exercitaram seu papel. Como então dizer que uma profissão, cujo produto é usado por todos nós, seja tão pouco conhecida em sua essência?

Me responde então uma pergunta: O que é Arquitetura? 


Lembre quantas pessoas chegam com desenho de alguma fachada e dizem ser arquitetura... Então em primeiro lugar uma consideração básica:

Arquitetura é muito mais que desenho. 

O desenho, por mais belo que seja, é apenas a representação de uma ideia, de uma proposta, de algo que vai resultar em um edifício, um espaço seja de interiores, seja urbano. Arquiteto trabalha com espaços. Seja em escala micro, seja em escala macro. E por mais bela que seja a forma resultante, não vai adiantar se não for funcional para quem a usa.

Lembre que Arquitetura pode (e deve) ser bela, mas tem que funcionar    


Há uma única resposta? Arquitetura é mais que construção, mais que empilhar tijolos, embora eles tenham que ser empilhados com maestria e segurança. Arquitetura é intenção. É símbolo e poesia. Mas não é apenas forma. De nada adianta um prédio ser pura escultura se o usuário, se as pessoas que ali transitam não possam estabelecer com ele uma relação de sentimentos e sensações. Arquitetura envolve.

Mas a Arquitetura também é feita de condicionantes. Quem vê uma obra pronta talvez não consiga perceber o quanto de suor existe ali. Da ideia inicial, baseada no cabedal de experiências do projetista, vão evoluir plantas e documentos que a tornem exequível. Do rascunho inicial vão surgir o projeto legal, o executivo (que vai dizer como deve ser construída). E tudo isso levando em consideração normas e leis, indicadores de sustentabilidade, usabilidade, conforto térmico, acústico, insolação, ventilação. Apenas para citar alguns.

Vamos ao início: Leia muito. Arquitetura é busca e pesquisa. A Teoria e a prática deve estar unidas sempre que possível. Beba das fontes - vá em busca da biografia de bons arquitetos. 
.
Eduardo Kneese de Mello 
Questione. Eu mesma recebo várias correspondências que geraram algumas postagens sobre a prática da profissão:


Tenha consciência que entrar em uma graduação, seja qual for, é uma etapa completamente diferente da do colegial ou segundo grau. É um rito de passagem. Não se estuda para passar de ano ou pegar o canudo. Isso é consequência. Se estuda para exercer uma profissão

Isso significa responsabilidade. Inclusive civil e penal. Se você não projetar, executar, especificar corretamente, você é responsável por isso. E Arquitetura não é apenas beleza, ela pode influir, e muito, na vida das pessoas. Você vai ser pago para exercer sua profissão. Um Conselho de Classe vai fiscalizar seus trabalhos. Portanto, muita atenção, acabou a época da adolescência. Queira ou não, você está entrando na vida adulta. 

Mais alguns conselhos:

Não faça mimimi e aprenda o quanto antes a lidar com críticas. Arquiteto pra ser bom tem que ser perfeccionista. Consigo mesmo. E com os outros. Portanto os professores vão te questionar. Duramente as vezes. Aprenda a fazer disso um trampolim para ser melhor.

Mas aprenda também a lidar com isso sem se machucar. Arquitetura pode ser muito estressante. Noites sem dormir, acúmulo de trabalhos, críticas dos professores, colegas nem sempre amigáveis (eu avisei que a moleza tinha acabado, né). Não se desespere a toa. Grite, chore se for o caso. Mas vá em frente se esse for o seu caminho.

Quer refletir sobre ser o seu caminho? Leia 10 motivos para NÃO fazer Arquitetura. E leia também: Ser arquiteto? Por quê? 10 razões.   

Lembre sempre: o importante é sentir de dentro do coração que é um caminho bom. E entrar de cabeça porque tudo o que se domina, acaba por nos apaixonar de alguma forma. 

Seja você. Deixe que seus projetos expressem a sua visão de mundo. E seja o melhor estudante e o melhor profissional que conseguir ser. 

  • Exercite o desenho à mão livre, além dos CADs. Ele vai te auxiliar muito. Expanda seu repertório
  • Viaje. 
  • Leia (não apenas sobre arquitetura)
  • Conheça pessoas. E esse conselho é de duplo significado. Faça um rede de relacionamentos, vai te ajudar na vida e na profissão. Aprenda a conhecer como as pessoas sentem e reagem. Vai te auxiliar a projetar. 
  • Relaxe. Faça uma atividade física para desopilar.

APROVEITE a faculdade para:

  • perguntar
  • propor 
  • fazer amizades
  • festejar
  • errar (na faculdade pode, na vida profissional, não! Então, gaste a cota de erros nela)
  • perguntar
  • trabalhar em várias áreas (as vezes um estágio vale mais pelo que vais aprender do que pelo que te paga - pense longe)
  • ir além do que ela oferece
  • ser curiosa
  • fazer estágios, atividades científicas, intercâmbios
E minha querida jovem futura colega, que você sinta a Arquitetura como o campo apaixonante que é. Vá em frente e não sinta medo. A Vida te espera.

Com carinho

Elenara

Gostou? Compartilhe em suas redes sociais 
Nos siga também nos outros canais

snapchat: arqsteinleitao 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Slim Fit, uma micro casa que tem muito espaço

  Uma micro casa vertical de 50m², vencedora do Design Awards 2018 na cateHabitat, chamada de SLIM FIT House pela arquiteta portuguesa radicada na Holanda, Ana Rocha , é uma proposta de moradia permanente para pessoas que moram sós nas grandes cidades. Segundo o site da arquiteta, a micro-residência, que ocupa menos que duas vagas de estacionamento, tem como conceito ser projetada " para o grupo crescente de solteiros que preferem a localização ao invés do tamanho, e que desejam viver de forma compacta, mas confortável, durável, cheia de identidade e, acima de tudo, centralmente em contextos urbanos." A casa vertical joga bem com a equação sensação de espaço e economia de metragem. Setoriza área de alimentação, refeições e despensa no térreo. Uma escada, sutilmente mesclada a um armário estante faz a ligação aos outros andares. No segundo, um estar e dormitório e banheiro no terceiro.     Fotos: Christiane Wirth Nos siga também nas redes sociais Twitter   Flipboard   Faceboo

Redes sociais, o aprendizado e as interações perdidas e achadas

Sim que a vida digital trouxe uma série de vantagens em nossas vidas. Posso ser jurássica e em muitos casos, ainda analógica, mas amo uma interação social e profissional virtual. Um dos grandes locais onde conheci vários amigos super queridos, profissionais, que tanto me acrescentaram, foi o grupo de Arquitetura do Yahoo. Lembro até hoje quando li em uma revista de arquitetura sobre ele, me inscrevi e lá estava eu no meio de debates de todas as matizes e locais. Por isso senti profundamente quando os grupos daquela plataforma foram extintos.  Leia também  Nuvem passageira Por sorte, também sou acumuladora em redes virtuais . Meu espaço de email guarda uma série de debates desde 2005. Às vezes volto a eles e constato o quanto tem de assuntos relevantes, inclusive para os dias atuais. Fazendo uma breve reflexão tendo a pensar que, nesses 15 anos de interação virtual e convivência em redes, perdemos muito em profundidade de debates, embora tenhamos crescido em possibilidades. Lógico que f

Transformando um problema em solução - impressão 3D

Uma cabana feita com impressão 3D usando concreto e uma madeira que era imprestável, porque destruída por um inseto invasor, é o projeto realizado pelos professores de arquitetura, Leslie Lok e Sasa Zivkovic, da Cornell University. O Emerald Ash Borer é um besouro que ataca bilhões de freixos em todos os Estados Unidos e as inutiliza para o uso comercial. fazendo com que as árvores infestadas sejam queimadas ou simplesmente largadas como refugo. Foi pensando neste problema que os pesquisadores da HANNAH chegaram a essa solução de aproveitamento da madeira para construção. Para tanto construíram uma plataforma robótica para processar essa madeira que seria descartada. Como isso foi feito? Usando um braço robótico que antes construía carros e foi adaptado para dar forma à madeira, aliado a um sistema de impressão 3D que usa uma quantidade mínima necessária de concreto. O resultado? Fotos: HANNAH / Andy Chen / Reuben Chen Nos siga também nas redes sociais Twitter   Flipboard   Facebook  

Dicas para economizar na conta da luz

  Não bastasse os sustos do ano, os gastos do fim dele (ufa!) que não são apenas presentes, mas impostos, 13°, etc, etc, vamos ter também bandeira vermelha nas contas de luz. A Agência Nacional de Energia Elétrica já tomou essa decisão, que começa a vigorar no começo de dezembro.  O verão se aproxima com promessas de muito calor, estamos usando muitos aparelhos em casa para manter nossa rotina e trabalho seguindo. Então o que podemos fazer para economizar e não levar (tanto) susto na hora de pagar a conta?    Consciência Em primeiro lugar: consciência. Parece básico, mas não é. Sabe aquele ato automático de abrir a geladeira e ficar pensando no que vai comer? Ou beber? Não faça. Deixar acesas luzes em ambientes onde ninguém está. Apague. Lembro sempre do meu pai que nos incutiu essa cultura do não desperdício desde pequenos. Assimile e passe adiante. Splits e ar condicionado Este será um verão atípico porque muitas vezes teremos que abrir mão de ventilação mecânica em função da pandemi