Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2019

Pequena cabana para inspirar escritores

Um pequeno anexo de 15 m2 que inspire um casal de escritores resultou em um belo projeto do escritório de arquitetura norueguêsJarmund / Vigsnæs AS Arkitekter. O volume triangular com dois andares está localizado no quintal da casa dos clientes.
De um lado uma forma inusitada lembrando construções nórdicas. De outro volumes mais simples, com uma imensa parede de vidro que revela a natureza e serve de inspiração para a criação dos escritores. Interior aconchegante em madeira com mesa em vidro e uma interessante composição com cordas na escada, aliados à um bem planejado sistema de iluminação compõem o interior da pequena edificação.



Nos siga também nas redes sociais

TwitterFlipboardFacebookInstagramPinterest

Assento plissado com material incomum em cadeira

Cadeiras são projetos muito estimados pelos designers. E olhando a imagem acima não reconhecemos de imediato o seu diferencial. Mas se olharmos com atenção veremos que a estrutura é revestida por um material plissado, inspirado nos processos de produção dos filtros de ar. Projeto do Studio Joris de Groot.

Usando Colback, um material usualmente aplicado em outros tipos de produtos, os projetistas criaram assentos com vários padrões de pregas, utilizando as técnicas industriais existentes de uma nova maneira.


Nos siga também nas redes sociais

TwitterFlipboardFacebookInstagramPinterest

14 ideias para nos inspirar para a festa de Páscoa

Desde pequena o fascínio da Páscoa faz parte de minhas memórias de festas prediletas. As pinturas nas cascas dos ovos que iam sendo recheados daquela mistureba de amendoim e açúcar queimado, os ninhos feitos de caixas de sapatos que eram enfeitados com tiras de papel celofane e muitas folhas de revistas (sim, a gente era campeão de reciclagem e reaproveitamento quando isso ainda não tinha nome especial).

"Coelhinho da Páscoa
Que trazes pra mim?

Um ovo, dois ovos, três ovos assim
Um ovo, dois ovos, três ovos assim"

Nos dias anteriores aos domingos de Páscoa, a gente corria para o páteo de D. Miriam, nossa vizinha. Naqueles tempos os pátios eram ligados e a gurizada transitava livre por entre as casas, cozinhas e guloseimas das tias, que eram chamadas de donas e não de tias. Era uma farra descobrir os ninhos escondidos entre flores e plantas. Quem descobrisse, levava o seu. 
Não tinham ovos gigantescos. Os que haviam eram de açúcar. Um coisa meio dura que era bonita de olhar, mas de…

São só pedras em ruínas - para que serve a memória?

Naquele dia distante de 1990, meu coração disparava de emoção. Na noite anterior, passeando pelas ruas de uma Atenas onde recém tinha desembarcado de uma viagem de navio, seguida de uma inusitada passagem por um trem em terras helenas, tinha visto a visão. Cercada de luz, lá estava ele. Meu sonho de infância: o Pártenon.
Desde criança essas palavras e locais faziam parte do meu imaginário. Não era a Disney nem o castelo da Cinderela (que fui visitar mais tarde na sua forma original, na Alemanha). Por isso naquele momento em que percorria os caminhos da Ágora e subia a Acrópole eu estava quase em êxtase. Ao meu lado um simpático casal de argentinos que conhecêramos na chegada em Madri e que se tornaram nossos companheiros de jornada. Hector era o nome do senhor. Tinha sido pugilista olímpico e, sentado em uma das colunas caídas em frente ao Pártenon, respirou fundo e falou: qual a graça disso? São só pedras em ruínas...
Só pedras em ruínas. Só um templo pegando fogo. Só a história indo p…

Notre Dame em chamas

Não bastassem os horrores nacionais, os descasos com a cultura, o incêndio no Museu Nacional, tento passar umas horas longe da web e quando me reconecto leio sobre algo inimaginável: Notre Dame em chamas.
Em Paris. Na Europa. Notre Dame em chamas. Vejo na Tv e custo a acreditar que estou vendo a história queimar nas minhas vistas. Me sinto como cada pessoa que  vejo na tela da tev, assistindo, impotente, em silêncio, séculos de história ruirem. 
Esquecendo o fato de ser arquiteta, de saber o valor cultural, me sinto como cada pessoa que já entrou em Notre Dame, independente de crenças, não importando se acreditavam em uma nossa senhora mas que sempre foram sensíveis à história e ao trabalho humano que foge à compreensão lógica.
Aprendi a amar a França com o meu pai. Ele que ensinou minha irmã a cantar a Marselhesa em francês, ele que tinha uma bibliografia imensa sobre a Revolução Francesa, ele que me fez sentir uma emoção especial quando percorria as ruas de Paris. Ele que choraria comi…

Placa mãe com código aberto para habitações de populações carentes

Um projeto open source (ou de código aberto) do escritório CRA-Carlo Ratti Associati em colaboração com a ONG indiana WeRise, oLivingboard , é um módulo de habitação pré fabricado que fornece acesso à infra estrutura básica, de eletricidade a tratamento de água e permite que as pessoas possam melhorar seu modo de morar em regiões carentes.
A placa mãe funciona como um piso de um espaço quadrado de 3x4m que pode fornecer "dependendo da geografia e infraestrutura da região em questão, armazenamento e distribuição de água, tratamento de água por filtração, gerenciamento de resíduos, aquecimento, baterias para acumular eletricidade gerada por energia fotovoltaica e conectividade wi-fi." E também isolamento sísmico, se for necessário.
Usando materiais baratos, é de fácil transporte, podendo ser levada por helicópteros e drones para regiões de difícil acesso. É versátil e permite que as pessoas construam suas próprias casas, de acordo com as suas necessidades e culturas.

 “O movimen…

Quero morar nos seus desenhos - Técnicas de ilustração à mão de livre

"Quero morar nos seus desenhos" foi o que o arquiteto Eduardo Bajzek recebeu como elogio em redes sociais pelas suas plantas humanizadas. Plantas humanizadas é como chamamos aqueles desenhos cheios de vida que mostram móveis e plantas e fazem com que as pessoas leigas reconheçam o tamanho dos espaços. É um elogio maravilhoso que significa que os desenhos chegaram à pessoa e ela conseguiu se sentir dentro deles. Desenho é nossa forma de expressão, é como nós, arquitetos e de demais profissionais da área, mostramos nossas ideias e nossos projetos.

Nem todos nascem com talento especial para essa forma de expressão gráfica. Mas para nossa sorte, desenhar se aprende. Existem técnicas, materiais e exercícios que fazem com que não apenas percamos o medo de traçar linhas, mas que cheguemos ao domínio de técnicas que vão nos auxiliar, e muito, na nossa profissão. É o que vamos ver (e aprender) no excelente livro Técnicas de ilustração à mão de livre. 

Ricamente ilustrado, o meu livro  …

14 ideias de livros nas paredes, forros e móveis

Todos que me conhecem sabem da minha paixão por livros. Já escrevi muito sobre eles AQUI. Seja para leitura, seja para tê-los comigo, os livros são companheiros de vida desde que me conheço por gente, oriunda que sou de uma família de leitores juramentados.

E quando não temos mais espaço para eles? Fazer o que? Largar pelo mundo? Juro que estou fazendo um exercício de desapego e repartindo alguns livros especiais com pessoas ainda mais especiais. Vender? É uma ideia e sempre se pode trocar por outros. Se rodear deles? Já faço isso com prateleiras abarrotadas. Mas e se coloca-los pelas paredes, forros e móveis? Pode ser uma ideia. Confesso que me deixa bastante dividida entre o desperdício de algo precioso e a beleza das ideias.
 O que acham??? 














Fonte das images : AQUI

Gostaria de saber sua opinião sobre este e outros projetos do blog: sinta-se a vontade para comentar.


Nos siga também nas redes sociais

TwitterFlipboardFacebookInstagramPinterest