Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Setembro, 2012

Sissi, a Imperatriz, foi parar na Cidade Baixa

Esse sábado fui a mais um banquete cultural no Studio Clio sobre Sissi, Imperatriz da Áustria, ministrada pela Renata Fratton e com gastronomia de Leonardo Magni e Liliana Andriola. Veja AQUI mais posts sobre minhas experiências ali.

O Studio Clio é um charmoso centro cultural, localizado no também charmoso bairro Cidade Baixa em Porto Alegre. Fica em uma casa de esquina onde funcionava o estúdio do fotógrafo Flávio Del Mese. O Flávio inaugurou uma maneira muito criativa de nos fazer viajar junto com ele. Em uma época em que as viagens, reais ou virtuais, eram mais complicadas, ele incursionava por países e nos mostrava em um show de slides a sua visão sobre eles. Tudo isso em um auditório nessa casa aí de cima e com o seu bate papo. Esse local foi reaproveitado e ampliado pela visão de Francisco Marshall & Cia e se tornou um marco nessa cidade: um centro de Artes Humanísticas, que já tem sete anos e navega em pleno sucesso! 

A Cidade Baixa é um caso a parte em Porto Alegre. Bairro …

Sentar de pé para trabalhar???

Um dos grandes problemas de nossos tempos tecnológicos é o mal que esses maravilhosos aparelhos fazem aos nossos corpos. Os belos e ágeis teclados já inutilizaram várias pessoas que sofrem de LER. Depois os micros de mesa que exigiam móveis super adequados e apoios para braços e pés.

Aí vieram os notebooks que podiam ser levados para qualquer local. E foi-se com essa comodidade a ergonomia. Haja braços e colunas para os contorcionismos que fazemos nos nossos corpos ! As nossas fisioterapeutas que nos digam. Aliás, profissão cada dia mais necessária. Não contentes com isso, vem os smarthphones e tablets e aí....a situação se torna cada vez mais complicada.

Jovens nem sentimos tanto. Mas quando os anos passam as articulações vão se complicando. E aí teremos que decidir. Ou começamos a nos preocupar com isso LOGO, ou haja plano de saúde e sessões de fisio, pilates, etc para nos pôr em ordem. 
E aí cheguei nessa proposta aí de cima. Um aparelho para que trabalhemos em pé, ou quase.E com múlt…

Morando nas nuvens

Na época em que andei me aventurando pelo Second Life eu tinha uma casa nas nuvens. Era uma terra dos sem terra. Lá nesse mundo virtual como no nosso, havia a questão monetária, ou seja quem tinha mais dinheiro, tinha mais acesso a tudo. Mas havia os libertários que compravam pedaços de espaço virtual e deixavam à disposição dos aventureiros como eu, que não curtem jogar a dinheiro.
Mas ao ver essa proposta de Cidade no Céu de Megatropolis me lembrei logo dessa minha experiência. A Inspiração é a flor de Lótus que é símbolo de pureza e elevação. Seria lindo ter espaços tipo paraíso onde se pudesse emergir da poluição, do estresse, da vida dura. Uma volta ao paraíso. Mas...
Isso também me lembra os condomínios fechados de hoje em dia, onde quem pode, se afasta e vive a margem da sociedade real. 
Pairar nas nuvens seria a solução ? Não creio. Como também não é solução global fazer de conta que o tempo voltou e que vivemos de adobe e de resíduos do que nós mesmos geramos. Eu mesma canso de …

Cidades - o que fazer

"Se há um poder na arquitetura, é o poder de síntese. A ideia é filtrar problemas complexos para oferecer soluções simples."
Alejandro Aravena


Cidades. 

Uma vez a gente era chamado de Arquiteto e Urbanista. Quando comecei a estudar na UnB, em Brasilia, as cadeiras de projeto eram chamadas de PEU - Projetos de Edificação Urbana. E isso não era apenas um nome. A gente aprendia a projetar a edificação no seu contexto, a cidade. 

Sim, a gente projeta casa rural, sim a gente projeta hoje interiores. Mas e o urbanismo ? As cidades que cada vez mais se tornam caóticas e crescentes ? Sim, urbanismo é atributo de arquiteto. 




"Arquitetos não são importantes. Seu trabalho não é importante. Importantes são as consequências de suas ações."

E que ações ? O que falamos quando citamos o urbanismo moderno ? Planos diretores, índices, planificação ? Um pouco mais. Quando falamos hoje em cidades, ou urbes, falamos de CONEXÃO. Redes. Mobilidade urbana, mobilidade digital



Portanto Arquiteto…

Design é conceito

Um conceito.  A base do projeto.  Uma cadeira é mais que um objeto utilitário. Pode ser mais que um local para sentar. Ela pode ser uma reunião de componentes que surgem da sua própria definição. Ou seja, ela se explica, se exprime. Projeto de Eric Ku 


http://ericku.org/#chair-chair-2

Mesa versátil

Minhas orações foram atendidas! Uma mesa onde posso esconder rapidamente tudo o que estiver em cima ! Com um pequeno movimento essa mesa projetada por Michael Bambino revela uma ampla gaveta ou espaço interno onde pode-se guardar teclado, lápis, etc, etc. E serve inclusive para esconder a fiação. O diferencial é o delicado movimento do tampo que permite isso. 
Fonte: Likecool

Apenas ideias

Sabe aqueles dias em que não se consegue pensar nada? Pois hoje é um deles. Por isso o melhor é espraiar e deixar levar...
E nada melhor para espraiar do que ver algumas imagens legais que colhi aqui e ali (na verdade todas no Pinterest). E porque no Pinterest ? Por várias razões, a principal delas é que não tem aquele algoritmo chatérrimo do Google que acha que sabe o que eu quero ver, quando na verdade eu quero mesmo é que ele me surpreenda.
E vocês já pararam para pensar que a maioria das coisas que nos encantam são justamente porque nos surpreendem. Nos apaixonamos quando alguém nos tira do sério (tudo bem, amamos depois quando esse mesmo alguém nos leva a sério), mas o que nos mantém acesos de verdade é a magia da surpresa.

E essa pode estar em pequenos e sutis detalhes. Como nesses ambientes acima. São simples, são acessíveis a qualquer um, mas todos tem um quê de diferente. E esse quê é que faz toda a importância. Pense nisso.

Quadros negros, um lugar onde se expressar

Esses dias estava vendo um blog que falava sobre as modernas lousas de vidro e como os quadro negros estavam ficando na história....mas
Embora ache muito práticas as lousas de vidro, ainda lembro do charme dos velhos quadros negros, das mãos sujas de giz e da magia (e agonia) que era ser chamada na frente de toda a classe, virar as costas para eles (e imaginar a turma rindo da gente) e ir ali escrever. Ou fazer contas. Ou simplesmente mimetizar a figura do professor ou professora... E como hoje há facilidade de reproduzir uma autêntica parede a ser trabalhada com giz, seja lá por tintas ou por adesivos. Tanto a Suvinil como a Coral dispõem de esmaltes sintéticos foscos que, bem aplicados, criam esse efeito com utilidade prática. Bem aplicado porque é obvio que não podem ficar furinhos na parede (imaginem um giz entrando pelos poros, não dá, né...).

E separei alguns ambientes com propostas bem interessantes. O de cima eu gostei demais, são molduras vazias onde se pode criar obras de arte …

Se eu morasse em Paris

O jeito de morar do parisiense tem o charme dos próprios moradores da cidade luz. Os espaços tem uma personalidade própria, que pode bem ser vista nesse projeto do escritório SO-AN
Podemos notar a atenção aos detalhes como a valorização do piso e de peças bem colocadas, onde o todo é composto de simplicidade mas também de muita elegância. 
Os ambientes não parecem datados. Eles tem força pelos seus elementos, não por tendências passageiras.


Fonte: Yatzer

Manoteca - reciclando, reaproveitando, remontando

Reaproveitar, esse o mote da MANOTECA. Ao entrar no site e ler sobre ele me deparei com essa definição:

"... realmente gosto da idéia de que em cada objeto é realizada a vida de alguém.Espero que quem vai possuir um objeto vai pensar sobre isso e cuidar bem dele."
Bonito isso. Gostei bastante. 


Portas antigas? Sim, na Humanité

Quando eu vi essa figura, usando portas antigas como suporte para as araras de uma loja, quase enlouqueci ! Já tinha abordado esse assunto de usar portas AQUI. E fui em busca de maiores detalhes e achei essa loja americana no estado da Carolina do Norte, na cidade de Bryson City. O nome não poderia ser mais sugestivo: Humanité
Um cuidado no interior, com uso de elementos em madeira e aproveitamento de variados objetos no mobiliário a tornaram cheia de charme e personalidade.
E além de tudo ainda li na matéria que a proprietária procura selecionar o vestuário feito com materiais orgânicos ou com preocupação ambiental na sua confecção. E além de tudo isso, ela ainda destina 10% do seu lucro para doações. Definitivamente uma pessoa do bem. Saiba mais sobre ela no seu blog Esse local me lembrou a livraria Miragem que conheci esse ano na Serra Gaúcha. Leia AQUI o que escrevi sobre ela. 
Fonte House Tweaking

Galeria de arte móvel não permanente

Museus são prédios incríveis e guardam a memória, as artes, a ciência e até o futuro. Já mostrei aqui no ARQUITETANDO IDEIAS vários projetos de museus. Mas eles são em geral prédios estáticos, ou seja, estão lá, naquele local e as vezes a maioria das pessoas não tem acesso à eles.



Como resolver isso ? Foi o que a Ivy Design pensou ao propor uma estrutura de museu temporário. Ou como eles mesmos definem : "uma galeria de arte móvel não permanente, a "Galeria Up Pop (PUG) ". 



Uma estrutura inflável. Que aliás não tem muito mistério, me lembro que quando morava em Brasilia, no inicio dos anos 70, se usou um silo inflável para a barraca do Rio Grande do Sul na Feira dos Estados.


 Essa proposta do PUG propõe mostrar arte digitalizada e que possa ser vista do exterior, e com uma cafeteria incorporada porque arte e comida são necessidades fundamentais do ser humano.