Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Outubro, 2013

Diga-me como me medes e direi como me comportarei

Encontrei esse texto no facebook no perfil de alguém (desculpa, esqueci onde achei..). O título: O que muda o mundo de Natália Garcia me chamou a atenção e eu guardei para ler com calma. No primeiro paragrafo já senti que o texto ia me envolver,

"Eu nunca me interessei por concursos de beleza. Mas confesso que tenho uma fantasia de estar entre as finalistas do Miss Universo para responder à pergunta “qual o seu maior desejo para o mundo?”. De preferência, queria responder por último, depois que todas as minhas concorrentes dissessem “a paz mundial”. Eu diria, então, pausadamente, que o que mais quero na vida é “mudar as métricas que norteiam as decisões no planeta”.

Bingo! Me lembrei da velha máxima que aprendi no mestrado em Engenharia de Produção ao ler o guru Goldratt: "Diga-me como me medes e direi como me comportarei"

Muito, muito lógico. Se recebo recompensas por ser A, vou tentar ser A para recebe-las. Se sou medido por X, vou tentar alcançar X. Funciona nas pe…

Coberturas Vivas - Sugestões para PDE de São Paulo

São Paulo sofre com a impermeabilização extremada de seu solo que, somada ao importe da água para consumo desde outras bacias hidrográficas, entre outros fatores, contribui para as enchentes nas quais os habitantes da cidade são vítimas constantemente.
Ora, a bacia hidrográfica paulistana, com tantos rios soterrados e superfície quase que totalmente impermeabilizada, ainda precisa lidar com o volume alheio de água importada, e precipitações que tem se apresentado cada vez mais fortes, e com características inéditas. Neste contexto é impossível lidar com o problema depois que o volume precipitado já alcançou o sistema de captação, mesmo que se multiplicassem os piscinões existentes. É preciso combater o problema antes (incluso ainda no âmbito particular), por um lado reduzindo o uso da água tratada, por outro absorvendo, retardando, e potencializando a evaporação da água precipitada.
Objetivando mitigar este problema, muitas cidades tem elaborado leis preservando parcelas de solo permeáv…

Quartos pequenos. E onde guardar as roupas?

Então tá, falamos esses dias de quartos pequenose como acomodar móveis neles. E as roupas? Esse é sempre um grande gargalo nos espaços pequenos. Para quem não está acostumado com o palavreado da Engenharia de Produção, gargalo é como se chama aquilo onde a coisa emperra. 

E nesses casos existem alguns macetes que podemos utilizar:

a) Um móvel especial, muito bem planejado e cheio de ótimas e versáteis ferragens. Fazem maravilhas. Pesquisando bem podem até ser achados em linhas comerciais, mas é mais difícil. Em geral tem que ser projetados e feitos em boas marcenarias.   
b) Usar espaços multi função. Um clássico é aproveitar degraus para fazer gavetas. Muitas casas modernas são cheias de escadas que acabam sendo apenas circulação. Se forem aproveitadas de modo útil podem ser um espaço coringa. Ou ainda usando o esquema de estrados para as camas (como falei AQUI)
(c) Usar camas que abram (tipo sofá cama), camas escamoteáveis ou mesmo o sistema de tatames como no Japão. O importante é que…

Espaços versáteis

Cada dia mais preciosos. Já foi-se o tempo em que as casas e apartamentos ofereciam um canto para cada coisa e um espaço para cada função. Cada vez mais corredores viram escritórios, salas convivem com home offices e se precisa de móveis que exerçam várias funções. Um escritório pode ser mini e ser super gostoso como no exemplo acima. Até cantinho para descanso ele tem.
Aqui um exemplo de loft que reúne várias funções. Aqui o recurso usado foi a altura. Bom para quem tem pé direito duplo.
A clássica e sempre bem vinda TV giratória serve como divisória e marca espaços de forma bem ágil.
Quem tem espaço pequeno tem que fazer um planejamento minucioso antes de sair comprando móveis. Corre um risco maior de ficar com sofás e armários super dimensionados. Algumas vezes é preciso fazer móveis especiais, o que é um contra senso já que, geralmente, quem mora em imóveis menores é quem tem verbas também menores para decorar sua casa.

Então, antes de comprar, tenha em mãos a planta cotada. Se for a…

Quartos para pequenos espaços

Morando sozinho? Primeiro apartamento ou descasamento, ou seja lá qual for a razão, mais que um grito de liberdade, significa também que terá um espaço inteiro para chamar de SEU.

E um dos primeiros desafios é o quarto. Com o tamanho ultra, mega diminuto de hoje em dia, muitas vezes a solução é crescer em altura. Se o pé direito permitir e não houver problema de acessibilidade, se consegue um acréscimo bem bom de área para guardar e o quarto vai parecer maior sem os armários. Vale usar recursos de luz para criar um ambiente com uma sensação de amplitude.     
Se for um JK, quitinete ou um moderno loft muitas soluções podem ser usadas para garantir uma privacidade, vejam no exemplo acima como uma divisória pode gerar essa divisão sem perder muito espaço. 
Os grandes gargalos são os locais onde guardar. Além dos estrados, as cabeceiras podem servir para guardar muitas coisas. Solução bem boa quando não se tem espaço para mesas de cabeceira.
Um bom projeto pode ajudar a definir soluções cria…

Think outside of the box - sua casa mais ousada

Pensando além dos seus limites, além do que convenientemente achamos que seja o certo, que seja o legal, que seja a tendência do momento. Isso é pensar fora da caixa, pensar de forma criativa. E se isso é bom na vida, é muito bom em casa.
E não precisa fazer muito esforço para sair do óbvio, as vezes basta de seguir receitas. Esquecer das tendências. Seguir o coração, a vontade, o instinto. Casa da gente tem que ter cara da gente, tem que ter alma.
É um local onde podemos ousar sim. Não importa o que digam as revistas da moda, não importa o que digam as mostras de decoração e as vezes nem o que o seu arquiteto diz. Se o seu coração diz X, vá em frente. Dê o seu toque. Pinte o mundo de amarelo, aceite sugestões ousadas. Seja incoerente de maneira lúdica. Seja meio criança com as possibilidades.
Veja coisas diferentes, leia coisas diferentes. FAÇA coisas diferentes. Uma por dia que o seja, só para experenciar. Tente se colocar no lugar do outro, tente entender os argumentos alheios, mesmo …

Renda - Um tempo de Delicadeza

Rendas me lembram tempos de muita delicadeza. É uma moda que transcende tempos e datas, é um clássico. Me lembro de menina adorar meus vestidos de broderi, mais adulta as minhas transparências todas sensuais em rendas e mais rendas. 

E em nossas casas? Como usa-las? Das mais variadas maneiras e usando os mais variados materiais. E todas com o mesmo efeito: beleza e muita delicadeza!
 Preciso não dormir
Até se consumar
O tempo da gente.
Preciso conduzir
Um tempo de te amar,
Te amando devagar e urgentemente


Uma maneira muito interessante e refinada é usar a renda em materiais mais duráveis em forma de painéis e guarda corpos. Podem ser moldados em madeira, ferro, a criatividade ficapor conta da disponibilidade financeira e de material. 
 Pretendo descobrir
No último momento
Um tempo que refaz o que desfez,
Que recolhe todo sentimento
E bota no corpo uma outra vez.
Prometo te querer
Até o amor cair
Doente, doente...
Prefiro, então, partir
A tempo de poder
A gente se desvencilha…

Escola para crianças: pense fora da caixa

Locais de ensino normalmente tem uma arquitetura cheia de regras e que acabam em ambientes frios e sem criatividade. Mas e que tal uma proposta de trabalhar nos espaços entre paredes ou entre espaços de forma lúdica e interessante ? Pois esta é a proposta do estúdio de jovens arquitetos svet vmes 

Eles trabalham nos corredores e espaços mais livres usando formas e cores que propiciem ambientes de descobertas. Segundo eles, e eu concordo inteiramente, projetar para crianças exige um pensar criativo, fora do padrão pragmático, já que elas interagem com o mundo com todos os sentidos, muito mais sensoriais que os adultos que já são mais racionais (nem todos, é verdade...)  


Veja mais detalhes sobre o trabalho deles AQUI



Como vivem pessoas criativas (2)

Tirei umas horas para umas leituras basicas e eis que encontro uma dica para esse site : The Selby - que é de um jornalista e fotografo que fotografa as casas de pessoas. E se encontra maravilhas! Uma porque são casas de pessoas de verdade e não de mostras de decoração. Outra porque a diversidade é enorme! Pode-se escolher por profissão, por locais, por comida e até pelos animais de estimação! 

Eu escolhi meio na intuição a casa de dois designers de interiores mas tem várias outras, dá para a gente se divertir muito por lá. E até mandar as fotos da sua casa e arriscar fazer parte da galeria. Alguém se arrisca? 
Já tinha achado um site semelhante e tinha ficado encantada. falei dele aqui em como vivem pessoas criativas
 Adorei a casa da Lindsay e do Fitzhugh (nossa que nome esquisito) pela amplidão que conseguiram em usar muito branco mas mantendo o aconchego com madeira e objetos de arte com muita harmonia.
Eles conseguiram manter um ar de casa do interior em pleno Brooklin. Não se sente…

Estimulando as crianças com os espaços

Criança merece de nós, profissionais do espaço, uma atenção muito especial.Criança precisa de estímulos para desabrochar, para deixar sua criatividade natural florescer, se deixar sair. Na verdade todos nós precisamos, mas as crianças estão talvez mais abertas que a maioria dos adultos e não precisam de espaços caretas e pensados pelos e para os adultos.

Um tapete que seja um jardim. Quem de nós não adoraria brincar em um local assim? Só cuide se houver alergia, aí seria interessante um material que permita uma limpeza mais efetiva e que não junte ácaros.
Paredes de estímulos táteis são um fantástico campo de descobertas e não são difíceis de fazer. Assim como os mapas e mesmo um universo de descobertas que pode ser feito com pintura magnética e planetas em feltro ou mdf pintado e com um ímã. Grandes lições sobre como funciona o mundo, a atração dos planetas pode ser feito em uma simples parede.  
Uma parede do quarto ou do local de brinquedos (para quem os tem) pode abrigar um espaço…