Pular para o conteúdo principal

Quero morar nos seus desenhos - Técnicas de ilustração à mão de livre

"Quero morar nos seus desenhos" foi o que o arquiteto Eduardo Bajzek recebeu como elogio em redes sociais pelas suas plantas humanizadas. Plantas humanizadas é como chamamos aqueles desenhos cheios de vida que mostram móveis e plantas e fazem com que as pessoas leigas reconheçam o tamanho dos espaços. É um elogio maravilhoso que significa que os desenhos chegaram à pessoa e ela conseguiu se sentir dentro deles. Desenho é nossa forma de expressão, é como nós, arquitetos e de demais profissionais da área, mostramos nossas ideias e nossos projetos.

Nem todos nascem com talento especial para essa forma de expressão gráfica. Mas para nossa sorte, desenhar se aprende. Existem técnicas, materiais e exercícios que fazem com que não apenas percamos o medo de traçar linhas, mas que cheguemos ao domínio de técnicas que vão nos auxiliar, e muito, na nossa profissão. É o que vamos ver (e aprender) no excelente livro Técnicas de ilustração à mão de livre. 

Ricamente ilustrado, o meu livro  veio com uma bolsa de pano para carregar para aulas práticas. Lhes digo que é o livro que adoraria ter lido quando comecei a faculdade de arquitetura.

Acho que já contei aqui que entrei sem saber nada de perspectivas na graduação. Gostava de desenhar, copiava muito dos livros desde pequena, mas eram traços livres, sem técnica e sem a mínima noção de profundidade. Fui atrás de livros que me ensinassem como se fazia aquilo que vi em uma cadeira de introdução à arquitetura, onde tínhamos que desenhar uma cidade. Não existia a facilidade da internet e a busca era feita em bibliotecas físicas. Se eu tivesse um livro assim, 
que me desse o Beabá da coisa, de maneira tão amigável e reunida,minha vida de estudante seria muita mais facilitada.


O livro começa pelos FUNDAMENTOS, falando sobre o traçado básico, aquele risco inicial que devemos deixar de temer e suas variantes no desenho. Passa pelos planos e suas sombras, como mostrar superfícies  e trabalhar com texturas, representar sólidos, seus volumes e cortes.

Passa para as GALERIA DE TÉCNICAS I com a exposição das ferramentas e técnicas, passando pelo grafite, borrachas e o seu uso. 


Chegamos à PLANTA BAIXA e suas representações passo a passo, inclusive com exemplos de como trabalhar os desenhos feitos em CAD. Tenho percebido uma atenção frequente com o desenho à mão livre para apresentações, até para diferenciar do acúmulo do uso da computação gráfica.


Na GALERIA DE TÉCNICAS II aprofunda-se  as ferramentas mais usadas, como canetas e marcadores.

Continua pela ELEVAÇÃO e como representa-la em um desenho para realçar sua vida através de sombras, realçando seus planos e usando vegetação. E vamos para mais GALERIA DE TÉCNICAS III, desta vez usando lápis de cor e sempre com dicas de marcas e como melhor aproveita-las.


A PERSPECTIVA ! Aprender a fazer uma perspectiva a mão livre é um dos momentos mais incríveis do aprimoramento do ato de desenhar. Não apenas porque representa uma ideia, mas porque une nosso cérebro criador à materialização na mente de um cliente ou uma pessoa leiga. E não tem mistérios, mas sim técnicas. E trabalho. E passa para mais GALERIA DE TÉCNICAS IV, falando das Aquarelas. O DESENHO DE VEGETAÇÃO é lembrado e revelado através de vários exemplos de como representar arbustos, árvores e palmeiras.

Por fim o DESENHO URBANO com suas técnicas e estimulando a um dos exercícios que considero mais pertinentes à profissão do arquiteto, o desenho de observação, aquele que se faz no dia a dia, nas viagens, nos aprendizados do espaço sendo usado pelas pessoas. Já falei também sobre Urban sketchers e suas abordagens AQUI.

Um livro para ter a mão, ler, reler, levar em viagem, mergulhar e aproveitar. E sim, Eduardo Bajkek, não apenas gostei do livro, como super recomendo.




Técnicas de ilustração à mão livre: Do ambiente construído à paisagem urbana Eduardo Bajzek

Gostaria de saber sua opinião sobre este e outros projetos do blog: sinta-se a vontade para comentar.


Nos siga também nas redes sociais

Twitter Flipboard Facebook Instagram Pinterest

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

10 ideias de almofadas e afins para gateiros

Festas....fiquei aqui arquitetando postagens bem suaves e lindas para esses momentos. Hoje resolvi brindá-los com 10 adoráveis ideias para almofadas, pesos de porta, mobiles e outras utilidades para amantes de gatos.

Nós, os gateiros, somos uma população em ascensão no mundo. Esses seres peludos, cheios de personalidade e amor próprio nos arrebatam. Adoramos mimá-los. E eles adoram que a gente os mime....uma parceria perfeita

1- Petit Pois e gatos. Uma dupla perfeita. Ambos sempre elegantes e cheios de charme! 
2- Mobile. Adoro! Mesmo já crescida, acho que não precisam ser só adorno de quartos infantis (meu lado criança, fazer o que????). Esse aí de cima, por exemplo, achei um mimo. 
3- Quem não ia querer entrar nessa casa tão felinamente convidativa??? Quero um para a minha porta! 
4- Patchwork e gatos!!! Tudo a ver também. lembra borralho, fogo, casa da vó e tudo isso lembra aconchego. E nada mais aconchegante que a figura de um gato, pachorrento, deitado ao pé do fogo. (Gateiros enten…

Gavetas e detalhes que fazem diferença na cozinha

Organizar. Sempre um desafio na hora de planejar móveis e espaços. E um dos locais onde mais precisamos de locais coringas para guardar coisas são nas nossas cozinhas. 
Haja gavetas, nichos, cantinhos que podem ser aproveitados para os mais diversos usos. Separei algumas ideias para inspiração Aproveitando rodapés: Muitos colegas tem optado por fazer os rodapés de armários de cozinha em alvenaria e revestir a frente com pedras ou cerâmicas. É uma solução pratica principalmente pela limpeza e umidade. Mas se sobrar espaço e a opção for usar rodapés, eles podem ser usados para guardar várias coisas. (Confesso que não sei se são o melhor local para guardar vinhos, mas quem sabe...)   Porta trecos e panos de prato: Eles são super práticos porque aproveitam espaços pequenos e estreitos e guardam aquelas coisas meio feias quando ficam à vista. Não recomendo guardar panos de prato úmidos. E esse porta facas abaixo, ao lado do fogão, é super prático!  
Outro exemplo de aproveitamento de canto par…

A prática do urban sketching - recomendação de livro

Um dos hábitos mais prazerosos da vida é viajar, mesmo que seja na própria cidade. Percorrer caminhos com calma, caminhar e parar, olhar e registrar. Não apenas com o celular, mas também com as mãos. Acha complicado? Pois este pequeno grande guia vai facilitar bastante esta fascinante descoberta da prática do desenho urbano (urban sketching).

O livro tem um formato quase de bolso, é ricamente ilustrado e super didático, com páginas em branco para exercícios práticos, após cada explicação. É um excelente companheiro de passeios e pode ser utilizado sem contra indicações e sem parcimônia. Na versão brasileira não vem acompanhado de canetas (nem sei se vem em outra versão, mas vi a recomendação e repasso). Mas fiquei tão fascinada que, além do lápis comum, comprei quatro canetas artísticas PITT pretas para treinar.   
O que é urban sketching? Existe uma organização chamada de Urban Sketchers com regras e com um blog onde as pessoas podem publicar seus desenhos. Eles organizam encontros …

Ideias de como usar nichos para decorar seus espaços

Aproveitando nichos para decorar sua casa ou seu escritório. 

Veja algumas ideias interessantes de como fazer desde pequenos detalhes que enfeitam até aproveitamento de vãos que guardam objetos e auxiliam na organização.

Simplicidade:A elegância mora nos detalhes e na síntese. Um rasgo bem usado, sem maiores excessos, apenas salientado pelo uso de cor e pequeno detalhe em madeira. Atentem para a iluminação nas laterais e em como o rodapé acompanha o rasgo.