Pular para o conteúdo principal

10 motivos para NÃO fazer arquitetura

Arquitetura....sonho dourado de muitos jovens que sonham com um futuro glamouroso e cheio de notas na conta bancária. Mas será realmente assim? Veja algumas razões de porque NÃO fazer arquitetura.

1- Principal motivo: DINHEIRO. Para os que visam a recompensa financeira em primeiro lugar: Arquitetura não é uma mina de ouro. Esqueça os figurões que vê na mídia com escritórios em Miami e Paris. Eles são a minoria da minoria. A grande maioria dos colegas arquitetos está ralando em seus escritórios ou em escritórios alheios. E ainda faz bico no fim de semana.

2- Recompensa intelectual: Tudo bem, não vou ganhar rios de dinheiro, mas vou ser reconhecido como uma pessoa criativa e maravilhosa que vive para ajudar os outros. Sim! Ajudar os amigos, parentes e conhecidos dando palpites de como eles podem arrumar suas casas e espaços. Palpite não é projeto, lembre. Sem contar que fica horas pesquisando para achar soluções interessantes e vem alguém e copia. E leva as glórias.

3- Saúde física: noites bem dormidas. Quem precisa disso? Montes de cafeína para aguentar o tranco. Quem se importa? Olheiras pesadas. Quem olha? Mas e aquele arquiteto/a famoso que vive morenaço/a badalando em revistas da hora? Com certeza tem uma equipe de branquelos fazendo o trabalho duro para ele.

4- Saúde emocional - Críticas pesadas. Quem se importa? Arquitetos nunca. Quem se importar muito pense seriamente em abandonar a profissão. Elas te acompanharão desde o momento em que sonhou em ser arquiteto. Vão se aprofundar na graduação. E farão parte de você de maneira completa quando se formar. E ainda vai ter que ouvir que é arrogante e mal educado quando apontar aquilo para o qual foi preparado: os problemas. Arquiteto vive de dar vender soluções. E para isso precisa ter o olhar aguçado para detectar problemas. Obvio.

5- Horários - Domingo, almoço, noite....nada disso importa se você é arquiteto. Já não importava antes do celular e whatsapp. Agora piorou e bastante. Tudo é para ontem. Cliente vem com a proposta de trabalho já com pedreiro contratado e prazo de início: será que dá para a semana que vem? Como assim, não dá para desenhar algo no fim de semana? Vá lá explicar que planejamento é algo que exige um aprofundamento. Perde o cliente e as contas teimam em continuar chegando.      
 6- É um curso oneroso. Um bom arquiteto depende de programas complexos, um potente PC/note/smartphone. Precisa de boa literatura e de boas viagens. Um bom arquiteto é feito de repertório. E formar e manter um razoável custa caro. 

7- Falta de amigos e mecenas - Arquitetos talentosos ganham dinheiro e reconhecimento. Correto? Nem sempre. Um dos ingredientes do sucesso de arquitetos sempre foi uma carteira de amigos potencialmente endinheirada e/ou com capacidade de promover o seu nome. Se tiver um mecenas poderoso, melhor ainda! Pode ser que você, se tiver talento, até venha a ganhar um Pritzker.  

8- Caminhos alternativos para o sucesso: Cheio de expectativas você espera por meios alternativos em que o seu talento seja reconhecido. Concursos de Arquitetura. Péssima notícia. São poucos e suas regras nem sempre são exatamente favoráveis aos projetistas.

9- Concursos públicos: Tudo bem, quero segurança e minha meta é passar em um bom concurso público para Arquitetura. Sinto informar mas eles são bem raros. E quando existem a grande maioria paga muito pouco. Aliás, se você visa a segurança, talvez Arquitetura não seja bem a carreira para você.

10- Não sabe desenhar e não gosta. Um problema. Por mais que a expressão gráfica em voga seja via digital, arquiteto ainda se expressa por uma lapiseira. Não precisa ser um artista, mas desenhar a mão deve fazer parte de sua rotina e conhecimento. E sim, pode ser aprendido. Com esforço e dedicação, tudo se aprende.    

Tudo bem, você leu toda a lista e não se apavorou? Ou se apavorou pouco? Quer realmente encarar o desafio? Prepare-se para noites mal dormidas, muito trabalho de formiguinha, muita crítica no seu caminho e na sua alma. Mas as recompensas podem ser maravilhosas. Veja em 10 razões para ser Arquiteto e entenda o porquê.

E boa sorte!

Gostou? Tem alguma sugestão? 

Comenta e conta para a gente a tua opinião. 
Nos siga também nas redes sociais

Comentários

  1. eu me apavorei, e muito. Pior que só vim olhar estando no sétimo período da graduação.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Thaís, se apavorar durante o curso é normal. Acho que 99% dos arquitetos passaram por isso. Se já estás no sétimo semestre, creio que já deu para sentir se a Arquitetura te apaixona de tal maneira que compense as dificuldades possíveis. Aproveita o curso para testar qual área gostas mais, veja que há nichos de mercado a serem explorados e trabalha no teu potencial empreendedor. E faça uma rede de relacionamentos que indiquem teu trabalho. E boa sorte!

      Excluir
  2. eu querendo ser arquiteta:
    vejo este artigo: nunca dsdijsjkfbdsk acabando com meus sonhos
    muito obrigada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Por experiência própria, se tiver vocação e quiser fazer arquitetura, nao serão opiniões contrárias que vão te fazer desistir. Várias pessoas me falaram diretamente para nao fazer e fui em frente. Mas se não for tua vocação, melhor saber cedo, nao é mesmo?

      Excluir
  3. Meus pais falam que vou passar fome sendo arquiteta, isso me desmotiva muito

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olhe as respostas que dei em outros comentários. Não vou te iludir e dizer que arquitetura seja um caminho fácil sob o ponto de vista de rentabilidade, mas existem caminhos dentro da profissão se essa for a tua vocação. Procure um caminho onde possas dar o melhor de ti, faça uma rede de referências que possam indicar o teu trabalho e o mais importante, procura dentro de ti as certezas de que possas ser feliz fazendo arquitetura. Boa sorte

      Excluir
  4. Não há uma mentira se quer nesse artigo. Ser arquiteto é exatamente isso! Sou formada e pós graduada e hoje só quero trocar de profissão. Levem muito a sério o que diz aqui. Se vocês superarem isso vocês estarão muito bem.

    ResponderExcluir
  5. Estou me formando e cada dia pego mais angústia e arrependimento de ter escolhido a profissão. Muita devoção pra pouco retorno, acredito que psicologicamente não vale a pena.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Algumas vezes senti o mesmo, mas o interessante da arquitetura é que a formação permite uma mudança de rumos para várias áreas. Conheço colegas que trabalham em outras áreas de criação. Pense no que gosta e no que não gosta na arquitetura e se tiver que optar por outro rumo que te faça mais feliz, escolha com sabedoria. Abraços e boa sorte

      Excluir

Postar um comentário

Sua opinião é super importante para nós ! Não nos responsabilizamos pelas opiniões emitidas nos comentários. Links comerciais serão automaticamente excluídos

Postagens mais visitadas deste blog

Slim Fit, uma micro casa que tem muito espaço

  Uma micro casa vertical de 50m², vencedora do Design Awards 2018 na cateHabitat, chamada de SLIM FIT House pela arquiteta portuguesa radicada na Holanda, Ana Rocha , é uma proposta de moradia permanente para pessoas que moram sós nas grandes cidades. Segundo o site da arquiteta, a micro-residência, que ocupa menos que duas vagas de estacionamento, tem como conceito ser projetada " para o grupo crescente de solteiros que preferem a localização ao invés do tamanho, e que desejam viver de forma compacta, mas confortável, durável, cheia de identidade e, acima de tudo, centralmente em contextos urbanos." A casa vertical joga bem com a equação sensação de espaço e economia de metragem. Setoriza área de alimentação, refeições e despensa no térreo. Uma escada, sutilmente mesclada a um armário estante faz a ligação aos outros andares. No segundo, um estar e dormitório e banheiro no terceiro.     Fotos: Christiane Wirth Nos siga também nas redes sociais Twitter   Flipboard   Faceboo

Redes sociais, o aprendizado e as interações perdidas e achadas

Sim que a vida digital trouxe uma série de vantagens em nossas vidas. Posso ser jurássica e em muitos casos, ainda analógica, mas amo uma interação social e profissional virtual. Um dos grandes locais onde conheci vários amigos super queridos, profissionais, que tanto me acrescentaram, foi o grupo de Arquitetura do Yahoo. Lembro até hoje quando li em uma revista de arquitetura sobre ele, me inscrevi e lá estava eu no meio de debates de todas as matizes e locais. Por isso senti profundamente quando os grupos daquela plataforma foram extintos.  Leia também  Nuvem passageira Por sorte, também sou acumuladora em redes virtuais . Meu espaço de email guarda uma série de debates desde 2005. Às vezes volto a eles e constato o quanto tem de assuntos relevantes, inclusive para os dias atuais. Fazendo uma breve reflexão tendo a pensar que, nesses 15 anos de interação virtual e convivência em redes, perdemos muito em profundidade de debates, embora tenhamos crescido em possibilidades. Lógico que f

Transformando um problema em solução - impressão 3D

Uma cabana feita com impressão 3D usando concreto e uma madeira que era imprestável, porque destruída por um inseto invasor, é o projeto realizado pelos professores de arquitetura, Leslie Lok e Sasa Zivkovic, da Cornell University. O Emerald Ash Borer é um besouro que ataca bilhões de freixos em todos os Estados Unidos e as inutiliza para o uso comercial. fazendo com que as árvores infestadas sejam queimadas ou simplesmente largadas como refugo. Foi pensando neste problema que os pesquisadores da HANNAH chegaram a essa solução de aproveitamento da madeira para construção. Para tanto construíram uma plataforma robótica para processar essa madeira que seria descartada. Como isso foi feito? Usando um braço robótico que antes construía carros e foi adaptado para dar forma à madeira, aliado a um sistema de impressão 3D que usa uma quantidade mínima necessária de concreto. O resultado? Fotos: HANNAH / Andy Chen / Reuben Chen Nos siga também nas redes sociais Twitter   Flipboard   Facebook  

Dicas para economizar na conta da luz

  Não bastasse os sustos do ano, os gastos do fim dele (ufa!) que não são apenas presentes, mas impostos, 13°, etc, etc, vamos ter também bandeira vermelha nas contas de luz. A Agência Nacional de Energia Elétrica já tomou essa decisão, que começa a vigorar no começo de dezembro.  O verão se aproxima com promessas de muito calor, estamos usando muitos aparelhos em casa para manter nossa rotina e trabalho seguindo. Então o que podemos fazer para economizar e não levar (tanto) susto na hora de pagar a conta?    Consciência Em primeiro lugar: consciência. Parece básico, mas não é. Sabe aquele ato automático de abrir a geladeira e ficar pensando no que vai comer? Ou beber? Não faça. Deixar acesas luzes em ambientes onde ninguém está. Apague. Lembro sempre do meu pai que nos incutiu essa cultura do não desperdício desde pequenos. Assimile e passe adiante. Splits e ar condicionado Este será um verão atípico porque muitas vezes teremos que abrir mão de ventilação mecânica em função da pandemi