MG08 habitação flexível

Imagem
Habitar uma casa movimenta uma série de sonhos e emoções. Possuir uma casa evoca ancestrais desejos de segurança. Mas nem sempre as necessidades permanecem as mesmas. As situações de fora e de dentro se modificam e pedem espaços que sejam flexíveis. A Maria Guerrero, também conhecida como MG08 em Madri, projetada pelo Studio Burr , foi pensada para ser uma habitação que possa ser transformada de acordo com essas novas necessidades dos moradores.   María Guerrero é uma casa que nasceu dividida em duas. Para poderem arcar com os custos de aquisição e construção, os habitantes deste empreendimento iniciam a sua vida neste espaço ocupando metade da casa e alugando a outra metade como habitação independente. Apesar da narrativa interessante, me pareceu muito com essas casas geminadas onde se coloca uma parede no meio, que pode ser removível se houver interesse em unir os espaços. Algo que já vem sendo usado e que, com um nome interessante, chama mais a atenção.  Segundo o site dos arquiteto

Arquitetando aquarelas - urban sketchers

Projetar também é narrar uma história. Estes dias li essa definição em 8 hábitos de projeto de arquitetura e gostei demais. E fechou com outro livro que li esse mês, chamado "O Caminho estreito para os confins do Norte". Nele um dos personagens registra cenas de guerra para que fiquem na memória. Narrativas boas e cruéis, a vida se faz também nos desenhos que a representam. Imaginem então minha fascinação ao ler um livro que fala de como desenhar, pintar e contar histórias coloridas.      

Existem várias técnicas para se registrar momentos e histórias seja na Arquitetura, seja na Arte, seja simplesmente pelo prazer de desenhar. Uma delas é a aquarela.  
E mais que um livro didático sobre técnicas, a leitura do Aquarela para Urban Sketchers é um passeio divertido e instigante pela possibilidade de. 

Possibilidade de conhecer e aprender como se fosse uma diversão. Cá entre nós, eu não concebo outra maneira de mergulhar em algo senão assim. Primeiro passo para me fazer estudar com afinco: chamar a minha atenção de maneira prazerosa. Este livro conseguiu.  
Definições como : "Mais do que uma técnica, aquarela é uma atitude" e "aprender a ver é uma forma maravilhosa de dar início ao seu trabalho como pintor" carregam muito do que penso a respeito da expressão gráfica (e da vida).  


Eu não sou uma artista e não sei se vou retornar às pinturas com ecoline, mas me deu uma baita vontade de fazer isso só de ler como as cores se organizam e como podemos combina-las para contar nossas histórias.

E lembre que "seus desenhos são formados pelos fragmentos das impressões que você tem" e sendo assim "agarre o momento antes que ele desapareça levando consigo todas as suas cores." 


A aquarela não é simplesmente uma técnica – é quase uma atitude! Não importa se você é um artista, um urban sketcher ou alguém apaixonado por desenho: familiarizar-se com essa linguagem se tornará um desafio motivador capaz de introduzi-lo a um universo expressivo completamente novo.

Aquarela para urban sketchersComo desenhar, pintar e contar histórias coloridas



O AUTOR
Felix Scheinberger (Frankfurt, Alemanha, 1969) é designer e ilustrador. Seu
trabalho está voltado principalmente para o setor editorial de livros, com
eventuais contribuições para jornais, revistas e cenografia. Deu aulas de
ilustração na Hochschule für Angewandte Wissenschaften [Universidade de
Ciências Aplicadas de Hamburgo], na Alemanha, e exerceu a função de vicepresidente da Illustratoren Organisation desse país durante vários anos.

Leia também:




Nos siga também nas redes sociais

Twitter Flipboard Facebook Instagram Pinterestsnapchat: arqsteinleitao

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ideias de como usar nichos para decorar seus espaços

Gavetas e detalhes que fazem diferença na cozinha

10 ideias de almofadas e afins para gateiros