Pular para o conteúdo principal

10 Lições que aprendi na faculdade de Arquitetura

Recebo algumas correspondências falando de como os leitores gostaram dessa ou de outra postagem aqui do blog. E sempre fico super feliz! É tão bom ter retorno, não é verdade? Em uma delas, o Jadher me pede para falar de mais histórias da vida acadêmica. E embarquei nessa pergunta como se entrasse no túnel do tempo (tinha uma série assim na TV). E reuni aqui algumas lições que aprendi na faculdade de Arquitetura. E nem todas sobre Arquitetura.


Fonte
1- Fiz vestibular com 17 anos e caí em um mundo super novo. Universidade, gente andando para lá e para cá, cheios de grau e arrotando sabedoria, com livros de filosofia e autores importantes debaixo do braço. Uma das primeiras provas foi de metodologia científica. Era com consulta. Passei os olhos pela prova e de cara me pareceu que os livros e apostilas que podíamos olhar não traziam as respostas que o professor pedia. Com o rabo dos olhos vi meus colegas, toda a sala, olhando nos livros, consultando e escrevendo. Lógico que me senti uma burra. Mas fazer o que: aquilo não fazia sentido. Resolvi seguir a minha intuição e escrevi minha opinião. Saí da prova achando que tinha tirado 0. Para minha surpresa quem se deu mal foram os colegas. Eu tirei 10. E tive minha primeira grande lição: siga sua intuição e o seu conhecimento. A universidade não é caminho de decoreba. É de posição.

2- Uma das cadeiras eletivas era sobre expressão em recursos audiovisuais. O professor era tudo de bom, com ele fizemos um dos melhores trabalhos da minha vida acadêmica. Era sobre a vida em Brasília. Qual a formação dele? Advogado. E segundo ele, muito ruim já que colou toda a sua graduação. Mas se não fosse aquele diploma, não poderia estar nos dando aulas do que realmente sabia e gostava: cinema e expressão em artes visuais. Lição 2: se aprofunde no que gosta, mas sabendo que alguns caminhos e atalhos talvez tenham que ser traçados para se alcançar o fazer o que se gosta e ser remunerado por isso. 

3- Trabalho de campo em introdução à arquitetura: estudar três tipos de habitação, uma delas uma casa antiga em uma cidade satélite perto de Brasília. O dono da casa, um senhor, começou a nos falar dos métodos construtivos em adobe. O namorado de uma das colegas, aluno também de arquitetura, mas do quinto ano, nos alertou: prestem muita atenção à essa aula, ela é preciosa e vale muito. Lição 3: preste atenção à cultura local e a quem detém o conhecimento, mesmo que não seja um profissional. Mantenha sempre a humildade de aprender da fonte.

4- Mudança de faculdade. Saí da então segunda melhor faculdade de arquitetura (UnB) para a terceira (URGS). Quantas diferenças curriculares para se formar a mesma profissão! Na UnB aprendi a projetar sempre pensando na cidade, tanto assim que os nomes das cadeiras de projeto eram PEU (projeto de edificação urbana). Na UFRGS aprendi a projetar pensando em como a obra ia parar em pé, já que era, na época, uma faculdade com orientação mais técnica. Lição 4- Essas duas concepções me acompanharam sempre na vida profissional. 

5- Metade da faculdade quando deu o estalo: já reunia o cabedal de como pesquisar, como ir buscar o conhecimento. Lição 5: Se fosse bom, se fosse completo, ia depender de mim e da minha capacidade de trabalho concretizar um projeto eficiente.

6- Dentre os vários ensinamentos que colegas me trouxeram com os seus trabalhos, um me chamou a atenção: uma guria propôs no início da faculdade unir uma estrutura de ferro com telhas de barro. Era uma ousadia na época. Todos, inclusive professores, ficaram boquiabertos e questionaram. E ela tinha boas justificativas. Lição 6: quando propor algo, faça com embasamento. E se acreditar, toque em frente.



Fonte
7- Uma frase que ouvi de uma amiga psicologa: Aproveite para testar tudo o que quiser enquanto é estudante. Nessa época você pode errar. Como profissional, não. Lição 7: use a universidade para buscar conhecimentos e ousar. E aprenda a ser profissional quando se formar.

8- Vi professores reprovando gente com muita capacidade por um trabalho aquém de suas possibilidades, embora esse trabalho fosse melhor do que aquele do aluno que foi aprovado porque deu o melhor de si. Lição 8: professores não são aqueles tiranos ou queridos que a gente julga. São profissionais dando o seu melhor e isso significa também exigir de acordo com as potencialidades, por mais injusto que nos possa parecer. E eles nos preparam para a vida profissional com as suas críticas.

9- Lição 9 e de vida: a vida nem sempre é justa. E o mundo não é a nossa família. Quanto antes você se der conta disso, mais tranquilo e menos traumático será o seu caminho já que Arquitetura pode ser uma profissão estressante. Quem está na faculdade já é adulto, fazer mimimi ou ficar frustrado, magoado ou afins, só vai atrapalhar sua vida. 

10- Lição 10. O caminho é longo mas gostoso. Se não lhe der prazer a maior parte do tempo, repense. Se der, não vai ser por algumas pedradas e/ou derrapadas, que vai lhe derrotar. No final existe a vitória de seguir em uma profissão bacana, criativa e que trabalha com algo que muda a vida das pessoas: o espaço.


Por incrível que pareça, a gente fazia o projeto final sem computador.
Tudo na prancheta. Essa guria da foto um dia fui eu, sonhando com o canudo, em 1982....

E você? Que lições a faculdade te deixou?


Leia também:






Nos siga também nas redes sociais

Twitter Flipboard Facebook Instagram Pinterest snapchat: arqsteinleitao

Comentários

  1. Como sempre, satisfeito pelo compartilhamento da sua vida!
    São histórias muito encorajadoras para a vida acadêmica e também profissional!
    Sempre passando por aqui, pode ter certeza!
    Um grande abraço do futuro colega de profissão, Jadher!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Sua opinião é super importante para nós !

Postagens mais visitadas deste blog

13 ideias para quem ama gatos

Há pouco passou uma sexta feira. Era 13. Gosto das sextas feiras. Gosto do 13. Gosto dos gatos. Gosto dos gatos pretos, esses que tanto foram perseguidos como companheiros de bruxas.

Gatos são da casa -repetem como mantra os que não conhecem os gatos. Os gatos são deles mesmos. E de quem os conquistar. Ou de quem eles resolverem amar. 

Amor de gato é diferente do amor de cão. E não menos dramático. Gatos não toleram atrasos. Não aceitam menos que a nossa entrega. De preferência sem muito chamego, a não ser na hora que desejam. 

Gatos são hedonistas por natureza. Existem para viver com languidez e serem acariciados. Mimados. Paparicados. Gatos são aristocratas. Mesmo que revirem latas de lixo. 

Desconfiem da humildade felina. Ao primeiro toque de boa vida, se tornam preguiçosamente orgulhosos.   
“Um gato vive um pouco nas poltronas, no cimento ao sol, no telhado sob a lua. Vive também sobre a mesa do escritório, e o salto preciso que ele dá para atingi-la é mais do que impulso para a cultu…

Ideias simples que ajudam muito

Muitas vezes a gente fica pensando em soluções mirabolantes para a casa da gente e esquece de ideias simples que ajudam bastante. Reuni algumas delas aqui

Uma gaveta bem colocada na lavanderia auxilia muito a tarefa de colocar as roupas na máquina.  Procure soluções que forneçam apoio para bacias, para cestos e simplifiquem sua vida nas tarefas de limpeza da casa. Aproveite espaços que ficariam sem uso. Essas práticas gavetas para guardar esponja e sabão são um exemplo.
Outra ideia de aproveitamento de espaço inútil. A área ao lado e na frente das cubas. Vejam que foi usado material impermeável e assim podem ser guardados os utensílios de lavar louça que são molhados. 
Usar porta toalhas em portas ajuda na organização.

Um lugar para cada coisa, cada coisa em seu lugar. Na hora de cozinhar é preciso achar com praticidade tudo o que se precisa. Uma boa solução é fazer um gavetão para esses utensílios e dispô-los em locais práticos e de fácil acesso.  Pratos podem ser colocados para sec…

Coifa, exaustor ou depurador? Saiba qual é a melhor opção para a sua cozinha.

Quem já não passou por isso: Você está cozinhando e quando nota tem fumaça por todo lado, muito calor, além do cheiro da comida se espalhando por outros cômodos da casa. Isso acontece principalmente quando fritamos algum alimento. Para evitar situações como essa, existem depuradores, exaustores e coifas. Mas você sabe o que cada um faz e qual o melhor para o seu tipo de cozinha?

Confira a diferença entre eles e veja o que melhor se adéqua a sua necessidade:

CoifaA coifa tem como função sugar o ar, filtrá-lo e expeli-lo para fora da cozinha por meio de tubos de saída que podem ser instalados no teto, em paredes ou em forros. Ela elimina não somente a gordura e outros odores do ambiente, mas também “renova o ar” da sua cozinha.
Dependendo de onde está localizado o fogão, você pode optar por coifas de parede ou em formato de ilha, que ficam no centro da cozinha. Atualmente, existem coifas para todos os gostos e com designs bem modernos que se adaptam a qualquer tipo de decoração.

Recomenda-…

Círculo da Vida - arquitetura viva

Imagine uma série de construções que sigam o ciclo da natureza de vida, que possam crescer, florescer e fenecer como qualquer organismo vivo. É a ideia por trás da Arquitetura Viva ou botânica construtiva como alguns chamam. Falei sobre este conceito em Arquitetura Orgânica.
E enquanto pesquisa o site dos arquitetos do Obvious Avoid (falei sobre eles na postagem sobre ensinar crianças a pensar como arquitetos) encontrei essa proposta do Círculo da Vida que eles mesmos descrevem como "uma coleção de construções sustentáveis ​​feitas para celebrar a arte, a natureza e a ciência. "
Através de um centro de aprendizado a ser feito em uma floresta mexicana, as pessoas poderiam participar e compreender a natureza em todos os seus processos, tanto de vida como de morte. E onde o local não será apresentando como uma proposta fechada, mas como um processo em crescimento natural.
Os sete passos do ciclo proposto são:
Encontrar e recolher árvores caídasConfeccionar produtos de madeiraUsar p…