3 de abr de 2011

Aprender a pesquisar


Aprender a pesquisar é uma das aprendizagens mais importantes em qualquer profissão. Hoje em dia ainda mais. Parece fácil. Vou no Google, clico alguns termos e Voilá ! Surgem milhares de links...e fazer o que com eles ? Como separar o joio do trigo ? 

Alguns anos atrás, quando fiz minha graduação, a gente pesquisava em livros, em revistas. O mundo era mais vasto em distâncias, a gente não tinha um museu ao alcance da mão como hoje com o poderoso Google. Era mais difícil contatar arquitetos sem e-mail ou redes sociais. Mas o mecanismo da pesquisa continua o mesmo. A aparente facilidade moderna esconde uma armadilha. Nos milhões de links que a internet oferece encontramos tanta baboseira, tanta mentira ou falsa ciência espalhada em enésima potência que acaba virando verdade. Afinal está na internet...e daí ? Pesquisa mesmo é saber o que buscar. Como buscar. Saber escolher as fontes. E como se consegue isso ? Lendo. Se aprofundando. Passando um pouco longe do apenas copiar e colar. Consistência. Aprofundamento. Mergulho no que se quer saber. Ler e ler. Ler quem é favor. E ler que é do contra. E formar uma opinião.

Uma das lições que tive na Arquitetura foi me dar conta que o curso não ia me ensinar mastigadinho a projetar tudo. Mas ia me ensinar COMO pesquisar o que projetar. E no mestrado uma das primeiras lições foi reunir a bibliografia. Saber exatamente o que ler. O que é relevante na área. O que é relevante para o que eu pretendo fazer na área em que atuo. E aprofundar.

Por isso quando vejo muitos estudantes pedindo de mão beijada o que devem aprender a buscar por si mesmos, fico com um certo dó. Devem estar faltando mestres que apontem o caminho.

Muitas vezes o link realmente importante está numa entrelinha do link aberto. A opinião deve ser analisada pelo viés de quem a emite e pelo contexto em que é emitida. não existem verdades únicas. Cabe a você garimpar a sua.