MG08 habitação flexível

Imagem
Habitar uma casa movimenta uma série de sonhos e emoções. Possuir uma casa evoca ancestrais desejos de segurança. Mas nem sempre as necessidades permanecem as mesmas. As situações de fora e de dentro se modificam e pedem espaços que sejam flexíveis. A Maria Guerrero, também conhecida como MG08 em Madri, projetada pelo Studio Burr , foi pensada para ser uma habitação que possa ser transformada de acordo com essas novas necessidades dos moradores.   María Guerrero é uma casa que nasceu dividida em duas. Para poderem arcar com os custos de aquisição e construção, os habitantes deste empreendimento iniciam a sua vida neste espaço ocupando metade da casa e alugando a outra metade como habitação independente. Apesar da narrativa interessante, me pareceu muito com essas casas geminadas onde se coloca uma parede no meio, que pode ser removível se houver interesse em unir os espaços. Algo que já vem sendo usado e que, com um nome interessante, chama mais a atenção.  Segundo o site dos arquiteto

Groningen: Capital mundial do ciclismo (mundo ocidental)

Groningen é uma cidade do norte da Holanda e é conhecida como a capital mundial de quem anda de bicicleta. 
Fonte

Como eles conseguiram isso? Não foi da noite para o dia, é resultado de planejamento que foi iniciado nos anos 70 e onde o transporte por carros foi dificultado. O centro da cidade foi fatiada em quatro partes e não se podia circular entre eles. Ou seja, acabava sendo mais rápido fazer o caminho de bicicletas. Grande sacada. As imagens abaixo mostram a evolução desse processo (leiam sobre isso AQUI)





Eu penso nisso quando vejo as primeiras ciclovias sendo organizadas em Porto Alegre. Groningen, como as cidades brasileiras, também era focada no transporte individual. Provavelmente lá, como aqui, deve ter havido reação negativo ao espaço "tirado"dos carros. Já ouvi taxistas se queixando de que não vai ter espaço de estacionamento, que vai atrapalhar o trânsito. E lá vou eu contra argumentando que sim, esse é o objetivo. Dificultar o carro. Dificultar o transporte individual. Que essa é uma política urbana correta porque promove mais saúde, mais civilidade, mais ar puro. A convivência entre carros, bikes e pedestres é urgente e necessária. 



Fonte
Um exemplo a ser visto e seguido. Forneçam condições para que as pessoas possam usufruir da sua bicicleta ao mesmo tempo em que se dificultam a trafegabilidade de transporte individual e veremos mais e mais pessoas nas ruas pedalando. Essas condições incluem sinalização especial, locais para estacionamento das bicicletas e cuidados nos cruzamentos e interseções com outro tipo de trânsito.  


Segundo o artigo "At the Frontiers of Cycling: Policy Innovations in the Netherlands, Denmark, and Germany" o sucesso do ciclismo depende crucialmente de uma ampla gama de políticas governamentais de apoio, para tornar o ciclismo conveniente e seguro. (Fonte)

Fonte

Fonte

Fonte
  
Leia AQUI sobre o conceito de permeabilidade filtrada e de como foram tratados os transportes na cidade holandesa, facilitando caminhadas e ciclismo em detrimento de carros que tem seus caminhos dificultados.

Essa postagem é uma dica do colega arquiteto Wagner Gonzalez que mora em Groningen

Groningen: The World's Cycling City from Streetfilms on Vimeo.


PS: Wagner me alerta que esse planejamento também foi consequência de uma pressão da sociedade que pode ser vista em um vídeo que já tinha colocado em outra postagem AQUI

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ideias de como usar nichos para decorar seus espaços

Gavetas e detalhes que fazem diferença na cozinha

10 ideias de almofadas e afins para gateiros