MG08 habitação flexível

Imagem
Habitar uma casa movimenta uma série de sonhos e emoções. Possuir uma casa evoca ancestrais desejos de segurança. Mas nem sempre as necessidades permanecem as mesmas. As situações de fora e de dentro se modificam e pedem espaços que sejam flexíveis. A Maria Guerrero, também conhecida como MG08 em Madri, projetada pelo Studio Burr , foi pensada para ser uma habitação que possa ser transformada de acordo com essas novas necessidades dos moradores.   María Guerrero é uma casa que nasceu dividida em duas. Para poderem arcar com os custos de aquisição e construção, os habitantes deste empreendimento iniciam a sua vida neste espaço ocupando metade da casa e alugando a outra metade como habitação independente. Apesar da narrativa interessante, me pareceu muito com essas casas geminadas onde se coloca uma parede no meio, que pode ser removível se houver interesse em unir os espaços. Algo que já vem sendo usado e que, com um nome interessante, chama mais a atenção.  Segundo o site dos arquiteto

Arquitetura que cura

Muitos são os que se apaixonam pela arquitetura, inclusive esta que vos escreve. Prédios simbolicamente grandiosos, espaços que envolvem e encantam, projetos que resolvem situações e são esteticamente belos. 

Mas a Arquitetura é bem mais que isso. Envolve uma relação de sintonia que pode curar almas. E mais que isso, pode trazer esperança, curar pessoas e resgatar dignidade para populações. E é esse lado da Arquitetura que mais me seduz.
"A questão não é o que é o custo de arquitetura, mas qual é o custo de não ter arquitetura."  Paul Farmer, fundador do Partners In Health
Esses dias assisti uma palestra TED (que está abaixo) com Michael Murphy que é arquiteto e co-fundador da MASS Design Group. Esse grupo faz um trabalho lindo que tem como objetivo "projetar edifícios inovadoras que melhorem a vida das pessoas de maneiras mensuráveis."  Com a colaboração das comunidades eles ajudam na criação e execução de ambientes que promovam a saúde e dignidade. Um desses projetos já apareceu aqui no blog, é o  alojamento comunitario em Ruanda que foi considerado um dos melhores projetos de 2016.

Para eles arquitetura é bem mais que empilhar tijolos, um jargão que costumamos usar para significar que é bem mais que simplesmente construir um edifício. É um processo que leva em consideração o meio ambiente, a cultura, as forças das comunidades e o seu envolvimento. Com esses conceitos a sua equipe projetou e/ou auxiliou na realização de uma série de projetos ultra relevantes para a saúde física e mental das comunidades onde atuam.

Michael começa a palestra falando de sua experiência pessoal em família e o faz de maneira comovente. E termina mostrando um projeto novo: O Memorial de Paz e Justiça, cuja imagem aparece abaixo.

O memorial se propõe a ser um resgate da memória de inúmeras pessoas que sofreram linchamentos. É impressionante a força que a Arquitetura pode ter como uma proposta de que a barbárie possa ser apenas memória e lição para que as pessoas se conscientizem e lutem para que isso nunca mais aconteça. Para isso existem os livros, as artes, os memoriais e museus. Para que a História não seja repetida em seus erros. Que saibamos entender suas lições.

O vídeo é relativamente curto, está em inglês mas é facilmente compressível. E suas imagens falam por si. A Arquitetura pode bem mais que ser bela. Pode e deve atuar para a saúde de todos.    


Leia também:




Nos siga também nas redes sociais
Twitter Flipboard Facebook Instagram Pinterest 
snapchat: arqsteinleitao

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ideias de como usar nichos para decorar seus espaços

Gavetas e detalhes que fazem diferença na cozinha

10 ideias de almofadas e afins para gateiros