Pular para o conteúdo principal

Como preparar sua casa para o novo ano - sem gastar muito

Fim de ano. É aquela correria de sempre, muita coisa para terminar, mas também muita vontade de recomeçar. Aquela mágica eterna do tempo em que o virar da página na folhinha em 31 de dezembro parece nos zerar os maus feitos e nos dar 365 dias de crédito para novas atitudes e novas ousadias. Nas nossas casas não é diferente. Como então prepará-las para novos tempos e novas maneiras de desfrutá-lo? E fazer isso, sem gastar muito, que a grande maioria de nós não tem os bolsos tão recheados, ainda mais em época de gastos como os do fim de ano.

Pois é o que pretendo mostrar. Mas já de cara digo que existe algo que não vai poder ser poupado. E devo confessar que é o ítem mais valioso na vida de cada um de nós: o Tempo.

E aqui uma constatação: tudo o que é importante precisa de tempo. Nosso tempo. E tempo bem empregado é uma das mais eficazes maneiras de fazer qualquer coisa dar certo.

Então dica primeira

Pare e pense: o que é prioritário

Não se consegue fazer nada se não sabemos O QUE fazer. Logo, seja na sua vida, seja na sua casa, avalie com carinho quais são as prioridades. Tire um tempo para sentir qual o cômodo mais aconchegante, qual o sofá mais confortável. O que lhe agrada mais. O que lhe desagrada mais. Faça um relato. Separe um caderno bem bonito e escreva. Sem restrições, sem censura. Solte seus sonhos e priorize.

Limpeza e desapego

Muitas pessoas tem o sábio hábito de fazer uma boa de uma faxina de final de ano. E não apenas limpam, como separam o que não precisam mais. É muito salutar. Não desapeguem desse costume. Tire o pó de sua casa, de seus haveres, de suas emoções e valores. Veja o que funciona, o que não funciona. O que é prioritário (viu a importância da etapa acima?). Analise a infra estrutura. Veja se tem algo pingando, algo que possa ser consertado. Analise e aja. Isso pode significar alguns trocados poupados ao longo do novo ano. Doe e/ou venda o que não precisa mais. Arranje mais espaço para você em sua casa. Deixe que a energia flua por eles.
Tecido na cabeceira
Fonte

Analisando o que sobrou

Analise peça por peça, começando pelas mais prioritárias, para ver o que pode ser mudado. Separe enfeites que já possua. Olhe com outros olhos peças que possam ser recicladas. A melhor maneira de enfrentar a falta de grana, é incentivando a criatividade. Seu sofá antigo pode ganhar nova vida com uma capa, uma manta, almofadas novas. O aparador antigo pode ganhar novas cores e com isso nova vida. Mudar enfeites é uma das formas mais baratas de mudar ambientes (desde que você já os tenha, ou tenha trocado na etapa anterior. Sim, escambo pode ajudar bastante. O que a sua amiga, mãe, tia, amigo, parente não queira mais, pode fazer toda a diferença em sua casa. E vice versa.)
Mesa jantar branca
fonte

Agindo e revitalizando

Lembram quando a gente procurava as cores para passar a entrada? Faz algum tempo que elas deixaram de ser focadas. Tudo passou a ser permitido. Quem sabe se a gente procurasse palavras ou emoções para o ano que entra? Tipo: alegria / mudança / ousadia. Vamos fazer um experimento: escolha uma e pense em tudo o que ela pode inspirar seu espaço.
Molduras na parede
Por exemplo: uma sala alegre. Olhe para a sua. Faltam cores? Pinte uma parede. Coloque um papel de parede ou tecido bem bacana. Há vários tutoriais para que você mesmo se arrisque a fazer. Quadros? Está cansado das gravuras antigas. Tire tudo e faça uma composição só de molduras. Ou misture enfeites, fotos e recordações pelas paredes. Conte uma história. 
Sofá decoração P&B
Fonte

Conte a sua história 

A sua casa é sua. Não é do Decorador X, do Arquiteto Y ou da tendência que aparece nas revistas. Então uma dica muito importante e que vale para todos os anos é: conte a SUA história. Mesmo que você faça um projeto com um profissional sempre pense se o resultado tem a ver com você.

Mas se quiser mais algumas dicas para o que vai estar "se usando mais" em 2016, dê uma olhada nas revistas de modas. Decoração e moda quase sempre andam de mãos dadas. E não por acaso. As tendências em tecidos e estilos são decididos pelas indústrias que as fazem vender. Então florais e listrados devem estar na sua frente a maior parte do tempo. Amarelo em móveis. A cada revista deve surgir um. Aquilo fica martelando na cabeça da gente que corre para comprar aquele tinta que já foi meio que pensada para ser bem vendida no ano.  

Estilos - tendência definida extra muros?
Mesa de centro
fonte

Materiais orgânicos, apelos de aconchego. Obvio, vivemos tempos muito tecnológicos, temos que lembrar o oposto. Se a crise se tornar muito profunda, o luxo vem à tona e com ele os dourados, brilhos e brocados. Meio simplificado, mas é mais ou menos assim que funciona.

Mas...o que seria do azul, se todos amassem o amarelo, não é verdade? Pois azuis fortes e o tiffany estão com tudo também. 


Quer um conselho? Revise bem as etapas acima e sinta a SUA cor e a SUA textura. Ninguém mais a usa? Melhor, sua casa vai ser única. Todo mundo a escolheu? Sinta-se em sintonia com a massa.

No fundo, no fundo, o que importa seja na casa, seja na vida, é ser feliz.

Gostou? Conta para a gente a sua opinião.
Nos siga também nas redes sociais



Twitter: @arqsteinleitao
Flipboard: Revista ARQUITETANDO IDEIAS
Facebook : https://www.facebook.com/ElenaraLeitao
Instagram: http://instagram.com/arqsteinleitao
Pinterest: https://br.pinterest.com/arqsteinleitao/arquitetando-ideias/
snapchat: arqsteinleitao
 
  

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Slim Fit, uma micro casa que tem muito espaço

  Uma micro casa vertical de 50m², vencedora do Design Awards 2018 na cateHabitat, chamada de SLIM FIT House pela arquiteta portuguesa radicada na Holanda, Ana Rocha , é uma proposta de moradia permanente para pessoas que moram sós nas grandes cidades. Segundo o site da arquiteta, a micro-residência, que ocupa menos que duas vagas de estacionamento, tem como conceito ser projetada " para o grupo crescente de solteiros que preferem a localização ao invés do tamanho, e que desejam viver de forma compacta, mas confortável, durável, cheia de identidade e, acima de tudo, centralmente em contextos urbanos." A casa vertical joga bem com a equação sensação de espaço e economia de metragem. Setoriza área de alimentação, refeições e despensa no térreo. Uma escada, sutilmente mesclada a um armário estante faz a ligação aos outros andares. No segundo, um estar e dormitório e banheiro no terceiro.     Fotos: Christiane Wirth Nos siga também nas redes sociais Twitter   Flipboard   Faceboo

Redes sociais, o aprendizado e as interações perdidas e achadas

Sim que a vida digital trouxe uma série de vantagens em nossas vidas. Posso ser jurássica e em muitos casos, ainda analógica, mas amo uma interação social e profissional virtual. Um dos grandes locais onde conheci vários amigos super queridos, profissionais, que tanto me acrescentaram, foi o grupo de Arquitetura do Yahoo. Lembro até hoje quando li em uma revista de arquitetura sobre ele, me inscrevi e lá estava eu no meio de debates de todas as matizes e locais. Por isso senti profundamente quando os grupos daquela plataforma foram extintos.  Leia também  Nuvem passageira Por sorte, também sou acumuladora em redes virtuais . Meu espaço de email guarda uma série de debates desde 2005. Às vezes volto a eles e constato o quanto tem de assuntos relevantes, inclusive para os dias atuais. Fazendo uma breve reflexão tendo a pensar que, nesses 15 anos de interação virtual e convivência em redes, perdemos muito em profundidade de debates, embora tenhamos crescido em possibilidades. Lógico que f

Transformando um problema em solução - impressão 3D

Uma cabana feita com impressão 3D usando concreto e uma madeira que era imprestável, porque destruída por um inseto invasor, é o projeto realizado pelos professores de arquitetura, Leslie Lok e Sasa Zivkovic, da Cornell University. O Emerald Ash Borer é um besouro que ataca bilhões de freixos em todos os Estados Unidos e as inutiliza para o uso comercial. fazendo com que as árvores infestadas sejam queimadas ou simplesmente largadas como refugo. Foi pensando neste problema que os pesquisadores da HANNAH chegaram a essa solução de aproveitamento da madeira para construção. Para tanto construíram uma plataforma robótica para processar essa madeira que seria descartada. Como isso foi feito? Usando um braço robótico que antes construía carros e foi adaptado para dar forma à madeira, aliado a um sistema de impressão 3D que usa uma quantidade mínima necessária de concreto. O resultado? Fotos: HANNAH / Andy Chen / Reuben Chen Nos siga também nas redes sociais Twitter   Flipboard   Facebook  

Dicas para economizar na conta da luz

  Não bastasse os sustos do ano, os gastos do fim dele (ufa!) que não são apenas presentes, mas impostos, 13°, etc, etc, vamos ter também bandeira vermelha nas contas de luz. A Agência Nacional de Energia Elétrica já tomou essa decisão, que começa a vigorar no começo de dezembro.  O verão se aproxima com promessas de muito calor, estamos usando muitos aparelhos em casa para manter nossa rotina e trabalho seguindo. Então o que podemos fazer para economizar e não levar (tanto) susto na hora de pagar a conta?    Consciência Em primeiro lugar: consciência. Parece básico, mas não é. Sabe aquele ato automático de abrir a geladeira e ficar pensando no que vai comer? Ou beber? Não faça. Deixar acesas luzes em ambientes onde ninguém está. Apague. Lembro sempre do meu pai que nos incutiu essa cultura do não desperdício desde pequenos. Assimile e passe adiante. Splits e ar condicionado Este será um verão atípico porque muitas vezes teremos que abrir mão de ventilação mecânica em função da pandemi