MG08 habitação flexível

Imagem
Habitar uma casa movimenta uma série de sonhos e emoções. Possuir uma casa evoca ancestrais desejos de segurança. Mas nem sempre as necessidades permanecem as mesmas. As situações de fora e de dentro se modificam e pedem espaços que sejam flexíveis. A Maria Guerrero, também conhecida como MG08 em Madri, projetada pelo Studio Burr , foi pensada para ser uma habitação que possa ser transformada de acordo com essas novas necessidades dos moradores.   María Guerrero é uma casa que nasceu dividida em duas. Para poderem arcar com os custos de aquisição e construção, os habitantes deste empreendimento iniciam a sua vida neste espaço ocupando metade da casa e alugando a outra metade como habitação independente. Apesar da narrativa interessante, me pareceu muito com essas casas geminadas onde se coloca uma parede no meio, que pode ser removível se houver interesse em unir os espaços. Algo que já vem sendo usado e que, com um nome interessante, chama mais a atenção.  Segundo o site dos arquiteto

Arquitetura para ser "Instafriendly" e a obra de Bjarke Ingels

Nossa maneira de projetar estará sendo diretamente influenciada pela massiva exposição das imagens em redes sociais? É a indagação que faz um texto muito interessante que acabei de ler e que chama-se "O instagram está mudando a maneira como projetamos o mundo?"  

E ele alerta que o design tanto de espaços como de objetos, mesmo de comida, está tomando lugar como preocupação e foco dos empreendedores preocupados em atrair não apenas mais clientes, mas também garantir uma propaganda as vezes gratuita das pessoas que postam essas imagens nas suas redes sociais. É o que denominam de espaços "Instafriendly". E lembremos dos painéis preparados para as fotos de muitos locais. Ou mesmo de espaços urbanos que garantem que a localização vai ser vista e reconhecida com grandes letreiros. 

E não apenas locais ou cidades, mas a própria maneira de vivenciar arte está sendo modificada pela intensa exposição que nos colocamos na vida digital.

Há estudos que mostram que uma grande parte das pessoas prefere interagir e se divertir que aprender em atividades culturais.  

E muitos grupos de arquitetos estão atentos ao mundo em que somos todos narcisos e precisamos de molduras para nossos que nossas imagens possam prosperar. No artigo é chamada a atenção para um desses grupos:

.... a tendência de documentar tudo o que vemos online levou alguns arquitetos a brincar com escala e forma para chamar a atenção...o Bjarke Ingels Group (BIG) é apontada como uma empresa que lidera essa tendência - projetaram um hotel com uma pista de esqui em seu telhado, edifícios que parecem estar dançando juntos e um teatro em forma de arco. A mesma empresa projetou recentemente um prédio feito para se parecer com gigantescos blocos coloridos de Lego. “Para a arquitetura, [a tendência] é para formas mais escandalosas - o BIG tem jogado incrivelmente bem, e você viu empresas menos conhecidas pegando isso.”
Já tinha falado sobre esse jovem arquiteto dinamarquês em dois artigos aqui do blog: 3 Histórias de Arquitetura e De como a sustentabilidade pode ser lúdica.

Abaixo algumas obras do escritório de Bjarke Ingels, também chamado de BIG
78&Park na Suécia - BIG Group


Housing na Suécia - BIG Group

Vancouver House - BIG Group

Bjarke Ingels Group - 8 House

Hualien Residences in Taiwan - The BIG Group

Prédio CUDO - BIG Group

Casas modernas - BIG Group


Gostou? Compartilhe em suas redes sociais Nos siga também nos outros canais

Twitter Flipboard Facebook Instagram Pinterest 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ideias de como usar nichos para decorar seus espaços

Gavetas e detalhes que fazem diferença na cozinha

10 ideias de almofadas e afins para gateiros