MG08 habitação flexível

Imagem
Habitar uma casa movimenta uma série de sonhos e emoções. Possuir uma casa evoca ancestrais desejos de segurança. Mas nem sempre as necessidades permanecem as mesmas. As situações de fora e de dentro se modificam e pedem espaços que sejam flexíveis. A Maria Guerrero, também conhecida como MG08 em Madri, projetada pelo Studio Burr , foi pensada para ser uma habitação que possa ser transformada de acordo com essas novas necessidades dos moradores.   María Guerrero é uma casa que nasceu dividida em duas. Para poderem arcar com os custos de aquisição e construção, os habitantes deste empreendimento iniciam a sua vida neste espaço ocupando metade da casa e alugando a outra metade como habitação independente. Apesar da narrativa interessante, me pareceu muito com essas casas geminadas onde se coloca uma parede no meio, que pode ser removível se houver interesse em unir os espaços. Algo que já vem sendo usado e que, com um nome interessante, chama mais a atenção.  Segundo o site dos arquiteto

Organizar e descartar...mas e o Wunderkammer

Estou em plena semana sabática. E não é nem por escolha pessoal ou férias, mas por circunstâncias da vida. E são nessas horas em que a rotina de muito trabalho fica mais relaxada que a gente olha em volta e se vê com várias alternativas de como gastar o tempo.
Período sabático: O termo vem do vocabulário hebraico e significa repouso. Corresponde ao dia de recolhimento semanal dos judeus. Para se ter uma ideia, referia-se, no Antigo Testamento, ao período em que a terra ficava sem cultivo, depois de um ciclo de fertilidade. Fonte
Gastar o tempo. Eta definição mais sem sentido. Tempo não se gasta, tempo se aproveita. E bem, de preferência. Então, entre as alternativas de como aproveitar meus dias da tal semana sabática estão:

LER - trocentos livros me esperam. Os que comprei recentemente, ou quase, estão quase todos começados, aguardando minha atenção para que a leitura flua até o fim. Mais outros trocentos me esperam dentro do IPad. São romances em geral, aqueles livros para ler nas horas de folga, quem sabe à noite, antes de dormir. Mais outra leva me aguarda para ser relida na estante. Ontem mesmo descobri que tenho uma biografia de Paul Gauguin, pintor sobre o qual estive em um almoço Clio recentemente. E que me apaixonei, imaginem por quem? Pela sua vó! Definida por ele como "Uma mulher das arábias". Procurem pela história de Flora Tristan e vejam se não era em tudo uma mulher fascinante! 

ESCREVER - Para quem não sabe, além do ARQUITETANDO IDEIAS, mantenho ainda o Elenara Elegante com dedos de prosa e poesia, os blogs da Família Stein (ainda privado) e da Família Leitão. E estou tentada a tentar publicar um ebook com algumas poesias que escrevi uma oficina de versos que fiz em 2015 (e foi uma das coisas mais bacanas que participei nos últimos tempos. E que me rendeu, além do aprendizado, o conhecimento de algumas das mulheres mais fantásticas que já cruzei). Escrever sempre me foi um ato simples e prazeroso. Hoje está um pouco mais complicado. Minha cabeça e inspiração já não respondem como antes e preciso de um pouco mais de disciplina para produzir. O que me leva à outra alternativa....

MEDITAR - Dizem que um dos exercícios mais completos e necessários à mente humana. Mas meditar, nesse momento em particular, em que nada flui, é também um exercício de muita disciplina. Justo o que me falta. Tenho no notebook um arquivo (gentilmente cedido por uma grande amigo - obrigada Wagner) com músicas para meditação. E além dos vários livros sobre o assunto na estante, o livro Orange com as técnicas de meditação de Bhagwan Shree Rajneesh (aquele cara que se tornou o OSHO que eu critico um monte de coisas e adoro outras) está na minha frente. Esperando talvez que eu o assimile por osmose...

E para terminar as alternativas principais, "the last but not least" LIMPEZA, DESCARTE E ORGANIZAÇÃO : Vocês não tem noção do grau de necessidade de descarte que preciso ter em minha vida. Sou por essência uma acumuladora, já falei sobre isso AQUI, onde mostro inclusive os malefícios do ato de acumular. Eu sempre oscilei entre o normal e o quase lá, guardando mas com organização. O tão sabido: "me acho na minha bagunça"...quem nunca, né? Mas agora estou exagerando. E fico num looping entre as alternativas acima listadas. Acumulo livros que não leio porque não sei qual começar e terminar. Como não leio, a escrita padece. A mente perde o foco em qual priorizar e o tempo passa. Li um artigo no blog da amiga Sam Shiraishi sobre isso: Menos é mais – Um guia minimalista para organizar e simplificar sua vida. E juro que estou tentando assimilar para ver se consigo também me desvencilhar de muitas coisas, me harmonizar e até me sentir mais magra como ela descreve, entre sorrisos na sua postagem.

(Tenho um livro legal também para me auxiliar (se achar onde guardei). Chama-se Casa Terapêutica e falei sobre ele AQUI. )

FANTÁSTICO!!! Metas prontas, resta seguir e deu.


#SQN 

Não é que em mais um almoço Clio, sobre Rembrandt, eu descubro uma palavra mágica: WUNDERKAMMER



O que significa este palavrão todo??? Um quarto ou armário de curiosidades. 

Para uma acumuladora em potencial ouvir este termo, e saber que haviam espaços dedicados à eles nas casas, abre uma caixa de Pandora na mente. Obviamente nunca serei uma pessoa minimalista. Posso me organizar na minha desordem (e devo) mas minha mente sempre suspirará por ambientes como estes abaixo, todos ricos em sensações e propiciando imensas descobertas e acumulando curiosidades. Aliás, na própria definição de Wunderkammer vemos que vários blogueiros assim intitulam seus espaços virtuais, locais onde reúnem descobertas e maravilhas que lhes despertam a atenção.


Fonte

Fonte

Fonte

Fonte
Nos siga também nas redes sociais

snapchat: arqsteinleitao  

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ideias de como usar nichos para decorar seus espaços

Gavetas e detalhes que fazem diferença na cozinha

10 motivos para NÃO fazer arquitetura