Pular para o conteúdo principal

Vovó gosta de gentileza

 Recebo vários comentários no blog. Nem todos consigo responder, mas todos me trazem prazer e alguns um aprendizado. Uns elogiam, outros fazem ressalvas, alguns contam histórias e outros trazem conselhos como esse daí de baixo.

"O Vó Elenara que porcaria a vovó colocou ai para preencher as paredes em cortes! A senhora já esta ficando velha caquética vovó! Acho que a senhora não tem muito tempo ainda para poder estudar mais sobre o SketchUp, mas vou ajudar a idosa quero dizer senhora! Usa esse plugin vovó: SectionCutFace!"

A porcaria em questão era uma postagem que fiz AQUI no blog ressaltando uma dica do Official SketchUp Blog   de como preencher paredes em um programa CAD. Eu uso o plugin sugerido pelo "netinho" faz anos e adoro quando recebo novidades. Mas gosto muito mais da gentileza. E talvez aí eu realmente seja uma velha caquética em teimar acreditar que a boa educação move montanhas. Vejo alguns jovens hoje (em idade, mas não em coração) usarem e abusarem da tecnologia, mas serem ultrapassados em humanidade. Os valores de individualismo e soberania da juventude per si são out. Tendência mais que atual é saber usar essa tecnologia em prol do bem comum. In é deixar o smartphone de lado e ouvir alguém. É dar um tempo para seu avô, sua avó, a pessoa que passa ao seu lado. Eu também gostaria de ajudar quem me deu esse conselho com a maneira que sabe: olhe no espelho. Está vendo essa cara bonita, sem rugas? Vai passar. Esse corpo sarado? Vai passar. 

O que vai ficar é o que você fizer de você mesmo. #ficadica      

Comentários

  1. está uma onda de gelte mal educada nos blogs e facebook que eu vou te contar. insuportável! ontem, fizeram uma ofensa incrível contra a @margaretss, logo ela que é tão divertida e tão solícita. Beijooooo

    ResponderExcluir
  2. Reparei que as pessoas andam estressadas e mau humoradas. Pena delas, mas a vida é um Eco. E não ajuda nada, na vida prática, sair distribuindo ironias on. Não vi o que houve com a @margaretss, nada a ver não é mesmo ? Beijo

    ResponderExcluir
  3. Além da barriga tanquinho e a cara sem rugas, a versatilidade na absorção de novas tecnologias também passa... O jovem mal educado do comentário, se tiver a sorte de envelhecer, ainda vai morrer de inveja dos vovôs e vovós internautas de hoje!

    Fazíamos cálculos "na unha", literalmente na ponta do lápis. Vimos aparecer as primeiras calculadoras portáteis, elas evoluiram e nós precisamos aprender a programá-las. Migramos do vegetal e nankim para o desenho assistido por computador, e não apenas para uma versão mais nova do CAD, com mais uma ferramenta!

    Duvide-o-dó que esta geração mais nova tenha metade do jogo de cintura, ou da capacidade de adaptação que nos foi exigida, e sabe por que? Porque diferente deles nós fomos treinados desde cedo no sivirômetro, não bastava apelar pro Titio Google e obter infindáveis tutoriais sobre qualquer coisa, havia que descobrir, criar, inventar, fazer seu próprio caminho, e quem parava para respirar era atropelado...

    O tanquinho vai, a ruga vem, mas os recursos que amealhamos no percurso ficam. E entre eles, reputo como o mais valioso a sabedoria que pude absorver dos vovôs e vovós que convivi, cuja trajetória de vida passou por duas grandes guerras, e tiveram sua realidade transformada com o advento do rádio, e não apenas do celular.

    Para esta sabedoria o Google não disponibiliza tutorial nenhum.

    Um beijo do vovô,

    Oscar

    ResponderExcluir
  4. Não ligue Elenara.
    Você faz um trabalho incrível. Continue assim.
    A internet é uma porta para os xingamentos anônimos, isso já é rotina para quem meche com a web.
    Quem toma essas atitudes não pensa na pessoa do outro lado que lê a mensagem, ou quando o faz, acha que não irá se importar.
    Parabéns por ser a pessoa que é.
    Abraços carinhosos.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Sua opinião é super importante para nós ! Não nos responsabilizamos pelas opiniões emitidas nos comentários. Links comerciais serão automaticamente excluídos

Postagens mais visitadas deste blog

Casa Kiah, um santuário sustentável forte e positivo com home office

Uma herança que a pandemia de 2020 nos lega é uma maior consciência com os nossos espaços residenciais. Fomos obrigados a conviver full time em nossas casas, as usando como local de trabalho e não apenas como dormitórios. Isso fez com que o olhar se tornasse muito agudo para as necessidades e as deficiências a corrigir. Não a toa o boom de reformas e mudanças daqueles que podem se dar a este luxo no período após muitos meses isolados. Eu mesma tenho escrito menos no blog e isso é consequência direta de toda a gama de emoções que afloraram neste período onde portas se fecham e janelas se abrem .  Por isso achei interessante como assunto de volta, trazer esta casa australiana que contempla exatamente essa necessidade de focar em espaços de qualidade em uma casa de campo. Um casal, seus três gatos e a vontade de um "santuário forte e positivo" que incluiu, na reforma da residência, um dormitório que fosse mais que um local de dormir e um espaço para trabalhar com conforto e aleg

Transparência e estrutura em madeira na nova loja da Apple na Tailândia

Uma grande árvore em madeira cercada por um fechamento em vidro é a aparência da maior loja da Apple na Tailândia. Projetada pelo renomado estúdio de  Foster + Partners  foi inaugurada em julho de 2020, em plena pandemia. Batizada de Apple Central World, a loja tem um diâmetro de 25 metros e sua forma foi gerada por uma curva de Bezier 360 °, uma curva paramétrica usada em computação gráfica. Veja AQUI mais detalhes de como foi feito. Todos sabemos que a Apple segue o conceito de se diferenciar em inovação e as suas lojas representam esse modo de se posicionar no mercado. Na nova loja asiática são usados 1461 perfis de carvalho branco europeu no revestimento da coluna de suporte do telhado.  A aparência interna é de um grande tronco que sustenta a copa de madeira em balaço. Uma escada de aço inoxidável serve de conexão para os andares. O prédio tem um fechamento totalmente envidraçado o que permite a visão da cidade e a transparência externa para quem vê o prédio que se mostra e convi

Dicas para economizar na conta da luz

  Não bastasse os sustos do ano, os gastos do fim dele (ufa!) que não são apenas presentes, mas impostos, 13°, etc, etc, vamos ter também bandeira vermelha nas contas de luz. A Agência Nacional de Energia Elétrica já tomou essa decisão, que começa a vigorar no começo de dezembro.  O verão se aproxima com promessas de muito calor, estamos usando muitos aparelhos em casa para manter nossa rotina e trabalho seguindo. Então o que podemos fazer para economizar e não levar (tanto) susto na hora de pagar a conta?    Consciência Em primeiro lugar: consciência. Parece básico, mas não é. Sabe aquele ato automático de abrir a geladeira e ficar pensando no que vai comer? Ou beber? Não faça. Deixar acesas luzes em ambientes onde ninguém está. Apague. Lembro sempre do meu pai que nos incutiu essa cultura do não desperdício desde pequenos. Assimile e passe adiante. Splits e ar condicionado Este será um verão atípico porque muitas vezes teremos que abrir mão de ventilação mecânica em função da pandemi

Banheiros na China: um problema que o governo quer atacar

Acordo de manhã e faço algo quase automático. Vou ao banheiro. Ao dar descarga no vaso e usar a água que sai das torneiras para lavar o rosto e escovar os dentes, não lembro que este é um privilégio que 60% da população mundial não tem. Segundo dados da ONU  cerca de 4,5 bilhões de pessoas não tem o luxo de ter um banheiro em boas condições para usufruto. Foi criado inclusive um Dia Mundial dos Banheiros, em 19 de novembro, para marcar o alerta sobre o tema. Nem sempre lembramos disso. Nossas preocupações com banheiros são mais estéticas e nossos maiores problemas são com um maior ou menor tamanho dessas peças. Nos damos ao requinte de termos vários espaços sanitários em nossas casas. Mas e se não fosse assim? Lembro de minha mãe contando sobre as casinhas de sua infância, os locais que ficavam afastados das casas e onde as pessoas satisfaziam suas necessidades fisiológicas. Em muitos locais do planeta essa ainda é a realidade. Mesmo naquela que todas as previsões apontam como