Pular para o conteúdo principal

Obra de Lelé em São Carlos

Sempre admirei o trabalho do Arquiteto carioca João Filgueiras Lima. Mais conhecido por Lelé, ele é famoso pelos projetos que utilizam sistemas construtivos pré-fabricados. Bons exemplos são os CIEPs no Rio de Janeiro e os hospitais da Rede Sarah Kubitschek. 

Lelé doou o ante-projeto do Hospital Escola de São Carlos em 2004. Com um moderno sistema  de iluminação e ventilação naturais, o hospital vai abrigar ainda um centro de estudos para atender não só alunos dos cursos de saúde da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), mas também alunos de outras instituições. Fonte 



Fonte
Segundo o site Guia da Construção a infra e superestrutura de concreto responderá por 8,17% do orçamento do empreendimento, enquanto alvenaria, divisórias e painéis, por 3,17% do custo. Além disso, a estrutura em sheds curvos proporciona uma ventilação natural por convecção cuja vazão de ar pode ser ainda complementada, quando necessário, por ventiladores instalados em entradas de ar situadas sobre um espelho d'água. Combinado com microaspersores com controle de vazão, o espelho resfria e umidifica o ar. "A partir dos dutos de adução, o ar passa pelo piso técnico, de onde, através de passagens na laje de piso, é insuflado nos ambientes do hospital por meio de 'dumpers' instalados nas divisórias de gesso acartonado estruturado", explica o engenheiro Vaico. A vazão de ar é controlada pelas venezianas horizontais motorizadas que formam os forros dos ambientes internos.

Um dos diferenciais da obra é que o projeto arquitetônico permite que o ar interno do hospital seja renovado de dez a 12 vezes a cada hora, deixando a climatização artificial apenas para ambientes onde as normas técnicas assim o exigem. 

O arquiteto e urbanista Luciano C. Butignon que trabalha na execução do hospital em São Carlos nos cedeu algumas fotos para que pudéssemos compartilhar aqui no blog.
























E para quem quiser saber mais sobre a obra de Lelé pode conferir no livro abaixo


A ARQUITETURA DE LELÉ: FÁBRICA E INVENÇÃO

Autor: Max Risselada / Giancarlo Latorraca (Orgs.)
Editora: Imprensa Oficial - Português - 2011 

Comentários

  1. Olá,

    Meu irmão mora em São Carlos e estuda na Ufscar.Já paasei várias vezes em frente a esta construção e não sabia que era do Lelé...adorei a novidade, agora sou mais fã ainda...rs.

    Bjos.
    www.casadebora.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. O colega Luciano fez a gentileza de mandar as fotos dessa bela obra. Legal, mesmo. Que bom que o blog serviu para disseminar essa informação.

    Beijos

    Elenara

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Sua opinião é super importante para nós !

Postagens mais visitadas deste blog

13 ideias para quem ama gatos

Há pouco passou uma sexta feira. Era 13. Gosto das sextas feiras. Gosto do 13. Gosto dos gatos. Gosto dos gatos pretos, esses que tanto foram perseguidos como companheiros de bruxas.

Gatos são da casa -repetem como mantra os que não conhecem os gatos. Os gatos são deles mesmos. E de quem os conquistar. Ou de quem eles resolverem amar. 

Amor de gato é diferente do amor de cão. E não menos dramático. Gatos não toleram atrasos. Não aceitam menos que a nossa entrega. De preferência sem muito chamego, a não ser na hora que desejam. 

Gatos são hedonistas por natureza. Existem para viver com languidez e serem acariciados. Mimados. Paparicados. Gatos são aristocratas. Mesmo que revirem latas de lixo. 

Desconfiem da humildade felina. Ao primeiro toque de boa vida, se tornam preguiçosamente orgulhosos.   
“Um gato vive um pouco nas poltronas, no cimento ao sol, no telhado sob a lua. Vive também sobre a mesa do escritório, e o salto preciso que ele dá para atingi-la é mais do que impulso para a cultu…

Ideias simples que ajudam muito

Muitas vezes a gente fica pensando em soluções mirabolantes para a casa da gente e esquece de ideias simples que ajudam bastante. Reuni algumas delas aqui

Uma gaveta bem colocada na lavanderia auxilia muito a tarefa de colocar as roupas na máquina.  Procure soluções que forneçam apoio para bacias, para cestos e simplifiquem sua vida nas tarefas de limpeza da casa. Aproveite espaços que ficariam sem uso. Essas práticas gavetas para guardar esponja e sabão são um exemplo.
Outra ideia de aproveitamento de espaço inútil. A área ao lado e na frente das cubas. Vejam que foi usado material impermeável e assim podem ser guardados os utensílios de lavar louça que são molhados. 
Usar porta toalhas em portas ajuda na organização.

Um lugar para cada coisa, cada coisa em seu lugar. Na hora de cozinhar é preciso achar com praticidade tudo o que se precisa. Uma boa solução é fazer um gavetão para esses utensílios e dispô-los em locais práticos e de fácil acesso.  Pratos podem ser colocados para sec…

10 ideias de almofadas e afins para gateiros

Festas....fiquei aqui arquitetando postagens bem suaves e lindas para esses momentos. Hoje resolvi brindá-los com 10 adoráveis ideias para almofadas, pesos de porta, mobiles e outras utilidades para amantes de gatos.

Nós, os gateiros, somos uma população em ascensão no mundo. Esses seres peludos, cheios de personalidade e amor próprio nos arrebatam. Adoramos mimá-los. E eles adoram que a gente os mime....uma parceria perfeita

1- Petit Pois e gatos. Uma dupla perfeita. Ambos sempre elegantes e cheios de charme! 
2- Mobile. Adoro! Mesmo já crescida, acho que não precisam ser só adorno de quartos infantis (meu lado criança, fazer o que????). Esse aí de cima, por exemplo, achei um mimo. 
3- Quem não ia querer entrar nessa casa tão felinamente convidativa??? Quero um para a minha porta! 
4- Patchwork e gatos!!! Tudo a ver também. lembra borralho, fogo, casa da vó e tudo isso lembra aconchego. E nada mais aconchegante que a figura de um gato, pachorrento, deitado ao pé do fogo. (Gateiros enten…

Mobiles, com ar de carnaval e fantasia

"Tanto riso, oh quanta alegria"....cantava essa música nos carnavais de antigamente lembrando dos Pierrots e Arlequins que brincavam no salão. E vendo esse mobile não pude deixar de sorrir e imaginar que gostaria de ter um assim no meu quarto, marcando a época dos confetes e serpentinas. 

Longe se vai o tempo em que pulava nos salões, em que saia na avenida de cidades do interior em blocos, em que ficava vidrada na frente da TV assistindo os desfiles de escolas de samba. Mas ainda muito me agrada as cores, a possibilidade de fantasia, do brincar, do poder ser algo diferente nem que se seja por uns dias.
E porque não trazer para dentro de casa essa fantasia em forma de mobile? Reuni alguns lindos que, com boa intenção e paciência, podem ser feitos em casa. Cor, movimento, criatividade. Eis a receita.
Pode deixar sair a poesia, pode reunir retalhos ou balas e guloseimas. O que importa é a brincadeira. Como no carnaval. 
Estrelas do céu enfeitam a vida das estrelas da terra. Amei …