Pular para o conteúdo principal

A harmonia do clássico seria assim tão pura?

Cada dia mais sinto a necessidade de retornar ao velho e bom hábito da leitura. Não me entendam mal. Nunca o abandonei, mas a frequência tem me deixado a desejar. Foi substituída pelo fascínio de buscar na web a resposta para tantas questões. Mas nem sempre as consigo. Talvez os clássicos ajudem nessas horas a formar mais substância e bagagem.

Os clássicos...fiquei pensando neles ao ler uma página do "Breve História da Arte" e ler sobre a icônica imagem da famosa estátua da Vênus de Milo...

Quando pensam nela garanto que nunca a imaginam como na figura abaixo que foi retirada de um blog onde o autor fez uma livre intervenção com meios digitais modernos para imaginar como seria dar vida às esculturas clássicas.  

A figura abaixo, tirada do livro, é realmente mais fidedigna com a nossa memória do que seria a harmonia clássica. Bela, pura, branca como o mármore. Etérea... 
Mas pesquisas modernas mostram que não era bem assim. Não só a estátua, que foi achada em Milos e atribuída à Deusa Vênus, foi esculpida em partes como era originalmente colorida e cheia de joias como bem explica a página do livro.

Lembrei de um almoço no Studio Clio que fui em 2013, chamado de Os Deuses Coloridos,onde pela primeira vez soube das recentes pesquisas que mostram que afinal Hollywood tinha toda razão em seus filmes B, usando todas aquelas cores que chocavam pela exuberância. Na minha tosca formação ocidental clássica eu ligava o mármore puro à uma ideia de pureza e refinamento que afinal não era assim tão fidedigno ao original. O que eu achava que era fake, era na verdade o que existia. E a versão que me foi apresentada é que era fake, uma revisão histórica, depurada de todos os fatos...  (eu jurava que tinha escrito sobre, mas ou a minha memória me traiu ou os mecanismos de busca falharam...mais certo a memória...)

Como bem mostra esta reportagem sobre a exposição de Harvard que demostrou que as cores faziam parte das estátuas gregas e romanas, a noção de sobriedade que aprendemos como herança da cultura ocidental não era assim tão sóbria.

" A exposição não desafia apenas a noção de que a exuberância do mármore é a maior fonte de admiração. Algumas esculturas, como a do 'Arqueiro de Tróia' (criado cerca de 480 anos antes de Cristo), são tão multicoloridas que chegam a lembrar obras latinas, dos Astecas ou Maias. Uma curiosa semelhança se considerarmos que as peças romanas sempre foram tidas como mais clássicas justamente pela ausência de cores."

Link para as imagens das reconstruções 

Vejam aqui o que a moderna ciência nos revela sobre a real aparência das estátuas que tanto nos encantam. Qual parece real e qual parece fake aos nossos olhos???
Talvez a realidade não seja sempre como aprendemos e/ou gostaríamos que fosse. Talvez a leveza e a pureza sejam mais parecidas com brincadeiras de crianças que usam e abusam de cores do que com a pretensa elegância do purismo. Talvez. 

Mas talvez a releitura sobre a realidade faça da arte uma realidade ainda mais rica. Já pouco importa quem posou, a quem era dedicada ou as cores originais da estátua que nos encanta pela sua transcendência. Importa talvez mais o significado atual que tenha sobre nós. E em como artistas mais atuais a veem e criam sobre ela.
E vamos continuar nos perguntando sobre o significado de tudo e da vida. Vamos continuar nos debruçando sobre o passado para tentar compreender o que os humanos de tantos milênios atrás tinham de tão diferente de nós. Talvez acabemos por descobrir que tinham mais semelhanças que poderíamos imaginar... 

Nos siga também nas redes sociais

Twitter Flipboard Facebook Instagram Pinterest


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Casa Kiah, um santuário sustentável forte e positivo com home office

Uma herança que a pandemia de 2020 nos lega é uma maior consciência com os nossos espaços residenciais. Fomos obrigados a conviver full time em nossas casas, as usando como local de trabalho e não apenas como dormitórios. Isso fez com que o olhar se tornasse muito agudo para as necessidades e as deficiências a corrigir. Não a toa o boom de reformas e mudanças daqueles que podem se dar a este luxo no período após muitos meses isolados. Eu mesma tenho escrito menos no blog e isso é consequência direta de toda a gama de emoções que afloraram neste período onde portas se fecham e janelas se abrem .  Por isso achei interessante como assunto de volta, trazer esta casa australiana que contempla exatamente essa necessidade de focar em espaços de qualidade em uma casa de campo. Um casal, seus três gatos e a vontade de um "santuário forte e positivo" que incluiu, na reforma da residência, um dormitório que fosse mais que um local de dormir e um espaço para trabalhar com conforto e aleg

Transparência e estrutura em madeira na nova loja da Apple na Tailândia

Uma grande árvore em madeira cercada por um fechamento em vidro é a aparência da maior loja da Apple na Tailândia. Projetada pelo renomado estúdio de  Foster + Partners  foi inaugurada em julho de 2020, em plena pandemia. Batizada de Apple Central World, a loja tem um diâmetro de 25 metros e sua forma foi gerada por uma curva de Bezier 360 °, uma curva paramétrica usada em computação gráfica. Veja AQUI mais detalhes de como foi feito. Todos sabemos que a Apple segue o conceito de se diferenciar em inovação e as suas lojas representam esse modo de se posicionar no mercado. Na nova loja asiática são usados 1461 perfis de carvalho branco europeu no revestimento da coluna de suporte do telhado.  A aparência interna é de um grande tronco que sustenta a copa de madeira em balaço. Uma escada de aço inoxidável serve de conexão para os andares. O prédio tem um fechamento totalmente envidraçado o que permite a visão da cidade e a transparência externa para quem vê o prédio que se mostra e convi

Calungas, a representação da escala nos desenhos

Fonte Embora as fotografias de Arquitetura raramente tenham seres humanos, as representações gráficas dos projetos as tem. As calungas. Este nome esquisito foi o que aprendi a nominar a representação humana nos desenhos, a tal da escala humana, que mostra de maneira mais clara como os espaços se conformam em proporção aos nossos corpos.  Fonte Hoje é muito comum que tenhamos blocos de seres humanos, animais e plantas em todos os programas gráficos. E há sites onde podemos buscar figuras das mais diversas etnias e movimentos para humanizar nossas plantas e perspectivas. Me lembrei das calungas ao falar com um colega arquiteto, bem mais jovem que eu, que me mostrou fotos de projetos da década de 80, com simpáticas figuras, simulando movimentos. E, para minha surpresa, ele nunca tinha ouvido falar do termo calunga. Como eu nunca tinha parado para pensar sobre isso, fui dar uma rápida pesquisada e achei que o termo tem origem africana  e talvez tenha vindo em função das b

Apartamento pequeno para jovem casal

Mescla de materiais e cores claras fazem deste pequeno apartamento, um ambiente muito agradável para um jovem casal. Projeto do estúdio  Art Ugol . Mesmo sendo um imóvel pequeno, o projeto consegue manter a privacidade com áreas de cozinha e estar bem resolvidas e que parecem amplas. A planta baixa nos mostra que existe uma pequena entrada com o banheiro e área de cozinha localizados a esquerda, onde se pode ver as áreas de colunas hidráulicas. Os arquitetos localizaram grandes armários na entrada, um deles servindo de divisória para um nicho onde, sobre um estrado com gavetões, colocaram o quarto. Na verdade a cama, que é escondida com uma grande cortina que confere privacidade ao ambiente. Para harmonizar com a área de estar, criaram um painel em madeira que serve como um grande rodapé divisor da parede, gerando dinamismo e ao mesmo tempo aconchego e iluminação. A cozinha é ampla com o uso de madeira e branco que são usados em todo o apartamento. Estes materiais são que