Pular para o conteúdo principal

Arquitetar libera endorfina e leptina?

A maioria dos memes sobre trabalho falam de muito esforço e pouco prazer. Haja vista a alegria com que as sextas-feiras e feriados são saudadas. E como as coitadas das segundas são execradas....Mas existe uma categoria em que isso parece ser exceção. Eles quase não tem fim de semana nem feriados. E alguns nunca se aposentam: os arquitetos e as arquitetas.   
Exagero? Talvez. Mas o que vejo e leio é o trabalhador em Arquitetura é um profissional que necessita vencer uma série de questões para atingir a tal falada valorização profissional. Mas mesmo assim muitos o fazem com muito prazer.

Não posso falar por toda a categoria. Mas posso falar por mim e por uma gama de colegas: ainda temos um diferencial competitivo imenso que talvez não saibamos transformar em vantagem financeira.

Amamos o que fazemos. A gente se queixa de trabalhar nos fins de semana, feriados, madrugadas. Mas pergunta se queremos deixar a arquitetura? A resposta clássica na minha geração era: é uma cachaça, querendo simbolizar uma espécie de vício. Bem como aquele corredor que desperta os hormônios da felicidade e continua correndo mesmo após a exaustão.

Atenção: Lógico que não estou embasada em nenhuma pesquisa para dizer isso e minha afirmação é muito mais metafórica que uma consistência científica. (E é sempre bom explicitar isso nesses tempos de leituras tão rápidas e conclusões rasteiras).

O que estou dizendo é que muitos de nós, arquitetos e arquitetas, temos o privilégio de trabalhar no que amamos. As vezes esquecemos de como cobrar por isso e muitos, talvez por trabalharem com criação, sei lá, adorariam ser "brincantes" como se define o colega Oscar Muller. 

Não me julguem mal, é obvio que os arquitetos cobram pelo seu trabalho. Eles não são seres mágicos que vivem de luz. Eles tem despesas normais como todos. Pagam água, luz, transporte. Se vestem de roupas e comem como qualquer mortal. Eles estão em permanente construção. Viajam, leem, pesquisam e se abastecem de tudo que possa expandir seus repertórios que vão fazer suas soluções melhores. 

E tudo isso custa algo. Em moeda sonante. E não é pouco.
Sim, também fazemos escambo. Trocamos nossa expertise pela do cliente. Trocamos nosso trabalho pelo do cliente. É uma forma justa também de remuneração. Podemos fazer arquitetura por quantias mínimas como uma forma de difusão. Podemos fazer arquitetura colaborativa e de cunho social. Como podemos cobrar um preço considerado justo em uma economia de mercado por um bem que vai tornar as pessoas mais felizes e com espaços mais funcionais e criativos.

O que distingue um arquiteto realmente viciado pela profissão? O brilho no olhar. A alegria de criar. O considerar seu trabalho um prazer. E isso faz uma baita diferença no projeto final. Acreditem em mim. 
“Algum dia em qualquer parte, em qualquer lugar indefectivelmente te encontrarás a ti mesmo, e essa, só essa, pode ser a mais feliz ou a mais amarga de tuas horas.”
PABLO NERUDA
Leiam também: 

Grupos criativos - equilíbrio entre realidade e inovação

Comentários

Postar um comentário

Sua opinião é super importante para nós ! Não nos responsabilizamos pelas opiniões emitidas nos comentários. Links comerciais serão automaticamente excluídos

Postagens mais visitadas deste blog

Ideias de como usar nichos para decorar seus espaços

Aproveitando nichos para decorar sua casa ou seu escritório. 

Veja algumas ideias interessantes de como fazer desde pequenos detalhes que enfeitam até aproveitamento de vãos que guardam objetos e auxiliam na organização.

Simplicidade:A elegância mora nos detalhes e na síntese. Um rasgo bem usado, sem maiores excessos, apenas salientado pelo uso de cor e pequeno detalhe em madeira. Atentem para a iluminação nas laterais e em como o rodapé acompanha o rasgo.

Gavetas e detalhes que fazem diferença na cozinha

Organizar. Sempre um desafio na hora de planejar móveis e espaços. E um dos locais onde mais precisamos de locais coringas para guardar coisas são nas nossas cozinhas. 
Haja gavetas, nichos, cantinhos que podem ser aproveitados para os mais diversos usos. Separei algumas ideias para inspiração Aproveitando rodapés: Muitos colegas tem optado por fazer os rodapés de armários de cozinha em alvenaria e revestir a frente com pedras ou cerâmicas. É uma solução pratica principalmente pela limpeza e umidade. Mas se sobrar espaço e a opção for usar rodapés, eles podem ser usados para guardar várias coisas. (Confesso que não sei se são o melhor local para guardar vinhos, mas quem sabe...)   Porta trecos e panos de prato: Eles são super práticos porque aproveitam espaços pequenos e estreitos e guardam aquelas coisas meio feias quando ficam à vista. Não recomendo guardar panos de prato úmidos. E esse porta facas abaixo, ao lado do fogão, é super prático!  
Outro exemplo de aproveitamento de canto par…

10 ideias de almofadas e afins para gateiros

Festas....fiquei aqui arquitetando postagens bem suaves e lindas para esses momentos. Hoje resolvi brindá-los com 10 adoráveis ideias para almofadas, pesos de porta, mobiles e outras utilidades para amantes de gatos.

Nós, os gateiros, somos uma população em ascensão no mundo. Esses seres peludos, cheios de personalidade e amor próprio nos arrebatam. Adoramos mimá-los. E eles adoram que a gente os mime....uma parceria perfeita

1- Petit Pois e gatos. Uma dupla perfeita. Ambos sempre elegantes e cheios de charme! 
2- Mobile. Adoro! Mesmo já crescida, acho que não precisam ser só adorno de quartos infantis (meu lado criança, fazer o que????). Esse aí de cima, por exemplo, achei um mimo. 
3- Quem não ia querer entrar nessa casa tão felinamente convidativa??? Quero um para a minha porta! 
4- Patchwork e gatos!!! Tudo a ver também. lembra borralho, fogo, casa da vó e tudo isso lembra aconchego. E nada mais aconchegante que a figura de um gato, pachorrento, deitado ao pé do fogo. (Gateiros enten…

Interno I - escada como elemento formal destacado

A escada como elemento formal de ligação entre os dois andares desta reforma que o escritório do arquiteto italiano Alfredo Vanotti executou chama a atenção pela beleza e fluidez.Feita em ferro e pintada em branco ela não apenas é ponto focal, como serve de divisória para os espaços de estar e cozinha.
O espaço amplo servia de escritório e agora abriga área social no térreo e dormitório com banheiro no piso superior. Tudo isso em um estilo enxuto e ao mesmo tempo aconchegante.Coerente com a proposta do arquiteto de que a sua arquitetura deve falar por si mesma.
Nos siga também nas redes sociais
TwitterFlipboardFacebookInstagramPinterest