Pular para o conteúdo principal

O Flamenco e Niemeyer com muita gastronomia no meio

A dança. Das artes uma das que tenho menos contato. Mas não menos encantamento. Unir uma dança que faz parte da cultura de um país que admiro (Espanha) com o saudável hábito de degustar uma boa comida com um vinho idem. E em excelente companhia. É dos prazeres que me permito cada vez mais.

Fui conhecer um pouco da História do Baile Flamenco, com palestra de Sílvia Canarim e gastronomia de Carine Tigre no Studio Clio.

O que eu conhecia sobre o Flamenco? Nada. Nada de muito profundo. Lógico que a imagem que me vinha à cabeça era uma saia rodada, castanholas e muita paixão. E muito vermelho. Vai duvidar, ainda via uma rosa na boca da moça. 
Fonte
Uma palestra, quase um bate papo delicioso e lógico que saí morta de vontade de conhecer mais sobre o Flamenco, em especial o baile Flamenco. Impossível não ser instigada depois de conhecer um breve histórico e alguns vídeos. 

Além da vontade de dançar flamenco, eu sempre procuro alguma ligação com a Arquitetura. Não que isso seja sempre necessário. Eu sempre defendo que todo profissional (aliás toda pessoas) deva ter contato com muitos campos diferentes. E se for no mundo das artes, mais ainda se torna necessário esse mergulho. Bons arquitetos tem uma bagagem cultural extensa. Leituras, viagens, apreciação de exposições...mas duvidam que encontrei uma relação mais estreita entre o Flamenco e a Arquitetura? Em especial, a arquitetura brasileira?
Nem o ar, nem a terra são iguais, depois de María Pagés ter dançado.José Saramago
Maria Pagés
Pois é o que fez Maria Pagés em seu espetáculo Utopia e com o seu trabalho que traz um Flamenco vibrante e sempre atual. Aliás, segundo o que aprendi no meu agradável encontro no Studio Clio, Flamenco é vida, é paixão, é expressão de pulsação. E por isso é sempre fascinante. 

Maria Pagés expressou através da dança toda a sinuosidade da criação de Oscar Niemeyer (e abaixo podem ver em um vídeo uma parte do espetáculo).
María Pagés opta em encontrar os traços da arquitetura de Oscar Niemeyer e o traçado do bailar flamenco e acaba por corporificar em movimento o impossível de ambos os estados. Pela dança, imagina-se espelho; pelo sentimento, imagina-se diálogo. E a paixão torna-se inerente ao estilo, substanciada no inconformismo da imaterialidade da intersecção entre ambos. Representar algo é igualmente utópico, assim como fazer do homem e do meio algo diferente, como tanto sonhou o arquiteto. Mas é essa a utopia válida, segundo os argumentos de ambos: valer-se da imaginação e do desejo para sonhar o intraduzível e, pela perspectiva do poético, tornar sensível o invisível. Em seu encontro com Oscar, María lhe disse ser a dança a esperança dos corações do homem, a próxima revolução a seguir. Ou seja, tornar o homem novamente disponível ao sentir, ao desejo e ao sonho....
Maria Pagés - Utopia

“Oscar Niemeyer me recordó que en la humanidad no hay jerarquías, que todos estamos en una misma y única dimensión. Oscar me recordó que en esta igualdad reverdece la esperanza de poder cambiar el mundo. Porque todos reímos y lloramos. Y todos nacemos y morimos... “. María Pagés

Almoço Studio Clio
Silvia Canarin e Francisco Marshall no almoço Clio sobre o Baile Flamenco 

Almoço Studio Clio

E o almoço?

Entrada
Gaspacho andaluz

Gaspacho andaluz
Principal
Flamequín com alboronía (lombo recheado empanado com legumes assados)

Flamequín com alboronía
Sobremesa
Churros com sorvete de doce de leite


Churros com sorvete de doce de leite





Nos siga também nas redes sociais 
Twitter  Flipboard  Facebook  Instagram  Pinterest  snapchat: arqsteinleitao

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ideias de como usar nichos para decorar seus espaços

Aproveitando nichos para decorar sua casa ou seu escritório. 

Veja algumas ideias interessantes de como fazer desde pequenos detalhes que enfeitam até aproveitamento de vãos que guardam objetos e auxiliam na organização.

Simplicidade:A elegância mora nos detalhes e na síntese. Um rasgo bem usado, sem maiores excessos, apenas salientado pelo uso de cor e pequeno detalhe em madeira. Atentem para a iluminação nas laterais e em como o rodapé acompanha o rasgo.

Gavetas e detalhes que fazem diferença na cozinha

Organizar. Sempre um desafio na hora de planejar móveis e espaços. E um dos locais onde mais precisamos de locais coringas para guardar coisas são nas nossas cozinhas. 
Haja gavetas, nichos, cantinhos que podem ser aproveitados para os mais diversos usos. Separei algumas ideias para inspiração Aproveitando rodapés: Muitos colegas tem optado por fazer os rodapés de armários de cozinha em alvenaria e revestir a frente com pedras ou cerâmicas. É uma solução pratica principalmente pela limpeza e umidade. Mas se sobrar espaço e a opção for usar rodapés, eles podem ser usados para guardar várias coisas. (Confesso que não sei se são o melhor local para guardar vinhos, mas quem sabe...)   Porta trecos e panos de prato: Eles são super práticos porque aproveitam espaços pequenos e estreitos e guardam aquelas coisas meio feias quando ficam à vista. Não recomendo guardar panos de prato úmidos. E esse porta facas abaixo, ao lado do fogão, é super prático!  
Outro exemplo de aproveitamento de canto par…

10 ideias de almofadas e afins para gateiros

Festas....fiquei aqui arquitetando postagens bem suaves e lindas para esses momentos. Hoje resolvi brindá-los com 10 adoráveis ideias para almofadas, pesos de porta, mobiles e outras utilidades para amantes de gatos.

Nós, os gateiros, somos uma população em ascensão no mundo. Esses seres peludos, cheios de personalidade e amor próprio nos arrebatam. Adoramos mimá-los. E eles adoram que a gente os mime....uma parceria perfeita

1- Petit Pois e gatos. Uma dupla perfeita. Ambos sempre elegantes e cheios de charme! 
2- Mobile. Adoro! Mesmo já crescida, acho que não precisam ser só adorno de quartos infantis (meu lado criança, fazer o que????). Esse aí de cima, por exemplo, achei um mimo. 
3- Quem não ia querer entrar nessa casa tão felinamente convidativa??? Quero um para a minha porta! 
4- Patchwork e gatos!!! Tudo a ver também. lembra borralho, fogo, casa da vó e tudo isso lembra aconchego. E nada mais aconchegante que a figura de um gato, pachorrento, deitado ao pé do fogo. (Gateiros enten…

Interno I - escada como elemento formal destacado

A escada como elemento formal de ligação entre os dois andares desta reforma que o escritório do arquiteto italiano Alfredo Vanotti executou chama a atenção pela beleza e fluidez.Feita em ferro e pintada em branco ela não apenas é ponto focal, como serve de divisória para os espaços de estar e cozinha.
O espaço amplo servia de escritório e agora abriga área social no térreo e dormitório com banheiro no piso superior. Tudo isso em um estilo enxuto e ao mesmo tempo aconchegante.Coerente com a proposta do arquiteto de que a sua arquitetura deve falar por si mesma.
Nos siga também nas redes sociais
TwitterFlipboardFacebookInstagramPinterest