Pular para o conteúdo principal

O desafio de prover água para nossas cidades

Água. Simples, pura, cristalina. As civilizações cresceram ao redor de rios, a abundância de água sempre fez a diferença para fartas colheitas, criação de cidades e comunidades asseadas (isso estou lendo no livro "Tudo sobre a casa" na parte dos banheiros). Mas como vencer hoje o desafio, cada vez mais premente, de prover água para nossas grandes cidades? É o que vemos nesse TED com o engenheiro David Sedlak, autor do livro "Water 4.0".     

Fonte
Segundo Sedlak, apesar de nossa civilização ter gasto muito dinheiro para dotar nossos centros urbanos de água, vemos que muitas delas se encontram ameaçadas de racionamento por diversos motivos. Aqui no Brasil tivemos o exemplo dramático de nossa maior metrópole, São Paulo e arredores, com uma grave crise de abastecimento de seus recursos hídricos.

Aquilo que parecia uma pesadelo, se tornou real para muitas pessoas aqui mesmo no Brasil. Abrir a torneira e não sair uma gota.... 

Como então enfrentar esse desafio de prover água para nossas cidades?

Para o engenheiro Sedlak a saída estaria em investir em quatro novas fontes locais de água que ele compara a torneiras.

Primeira torneira: Aproveitamento da água da chuva

E não é com a construção de cisternas não. Para ele captar por tanques ou seja lá o que o for, é paliativo. Urge fazer com que a água da chuva possa ser infiltrada no solo e possa reabastecer o subsolo, onde normalmente se encontram sistemas de armazenamento natural de água. Para isso urge repensar a impermeabilização que se faz do solo urbano, com calçamentos que não permitem a passagem da água.
Recolher a água que se infiltra no solo, limpá-la e retorná-la para o consumo humano é uma das torneiras que devem ter investimentos em nossas cidades. Ele cita o exemplo do parque de águas pluviais de Burbank, na Califórnia onde a água é capturada em uma pedreira abandonada, passa pelo solo e recarrega o aquífero da cidade.  
...no processo de passagem através da zona úmida e percolação através do solo, a água encontra micróbios que vivem sobre as superfícies das plantas e do solo, e que purifica a água. 

Segunda torneira: Reciclagem da água de esgoto

Um sistema que já vem sendo usado, principalmente para rega de plantas e limpeza. Mas é um sistema que é caro para os centros urbanos, são precisos redes de tubulação para levar a água para todos os locais. O que se está fazendo é uma maneira mais prática e econômica de tornar a água potável e que consiste em
transformar águas residuais tratadas em água potável através de um processo de duas etapas. Na primeira etapa, pressurizar a água e passá-la através de uma membrana de osmose reversa: uma membrana de plástico permeável fina que permite que as moléculas de água passem através mas que retém os sais, os vírus e os produtos químicos orgânicos que podem estar presentes nas águas residuais. Na segunda etapa, se adicionar uma pequena quantidade de peróxido de hidrogênio e luz ultravioleta sobre a água que ajudam a limpar a maioria dos produtos químicos orgânicos.
Há também maneiras mais naturais de reciclar a água, usando algas e luz solar. Ele cita um exemplo que foi construído no sul da Califórnia. Aliás este tipo de tratamento é considerado uma das tendências para limpar águas de rios no mundo.   

Terceira torneira: Conservação da água

Incluí não desperdício da água tratada e também paisagismo mais inteligente (para essa finalidade) com uso de plantas que não necessitem de tanta água e sistemas de detecção de umidade do solo e controle de irrigação. As áreas secas agradecem. E continuaremos a ter belos jardins, mesmo em tempos de poucas ou quase nenhuma chuva. Segundo ele, podemos obter um ganho de 25% no abastecimento de água com essas medidas. 

Quarta torneira: Dessalinização da água do mar

Ele faz a ressalva de que, embora as estações de tratamento de dessalinização tenham se tornado mais econômicas no dispêndio de energia, essa "torneira" é a mais potencialmente prejudicial para o ambiente. Então deve ser uma alternativa muito bem medida e usada em locais onde seja realmente necessária.

Ele nos dá números em sua fala:

Muita de suas soluções são focadas no local onde vive, a Califórnia. Mas o alerta que ele faz é global: temos que repensar e criar sistemas de água que sejam consistentes com os nossos valores ambientais e com o mundo que queremos deixar para nossos filhos e netos.



Gostou? Tem alguma sugestão? 
Comenta e conta para a gente a sua opinião. 
Nos siga também nas redes sociais
Twitter 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Como utilizar cortinas na decoração

Hoje temos postagem de convidados. O Cesar Fernandes da Tibério Construtora
vai nos falar sobre como utilizar cortinas na decoração.


Cortinas são fundamentais para diversos ambientes do seu lar. Além de transmitir uma sensação de amplitude ajudam a controlar a entrada de luz. E ainda dão um up no visual de qualquer ambiente. A decoração com cortinas pode parecer óbvia, mas é uma das formas mais práticas de renovar um ambiente.
Tamanho Para causar uma sensação de amplitude invista nas cortinas que começam pelo menos 15 cm antes da borda da janela e vão até o chão. Na verdade o tamanho vai depender muito do ambiente. Há casos em que pode-se usar todo o vão da parede. A altura que ela fica do piso da sua casa pode ser de sua escolha mas como o objetivo é dar um ar de maior extensão para a parede, recomenda-se que fique junto ao piso. Leve em conta que há tecidos que podem encolher em lavagens. As vezes é melhor fazer um pouco maiores para que não fiquem pequenas na manutenção. 
CoresNão exis…

Gavetas e detalhes que fazem diferença na cozinha

Organizar. Sempre um desafio na hora de planejar móveis e espaços. E um dos locais onde mais precisamos de locais coringas para guardar coisas são nas nossas cozinhas. 
Haja gavetas, nichos, cantinhos que podem ser aproveitados para os mais diversos usos. Separei algumas ideias para inspiração Aproveitando rodapés: Muitos colegas tem optado por fazer os rodapés de armários de cozinha em alvenaria e revestir a frente com pedras ou cerâmicas. É uma solução pratica principalmente pela limpeza e umidade. Mas se sobrar espaço e a opção for usar rodapés, eles podem ser usados para guardar várias coisas. (Confesso que não sei se são o melhor local para guardar vinhos, mas quem sabe...)   Porta trecos e panos de prato: Eles são super práticos porque aproveitam espaços pequenos e estreitos e guardam aquelas coisas meio feias quando ficam à vista. Não recomendo guardar panos de prato úmidos. E esse porta facas abaixo, ao lado do fogão, é super prático!  
Outro exemplo de aproveitamento de canto par…

10 ideias de almofadas e afins para gateiros

Festas....fiquei aqui arquitetando postagens bem suaves e lindas para esses momentos. Hoje resolvi brindá-los com 10 adoráveis ideias para almofadas, pesos de porta, mobiles e outras utilidades para amantes de gatos.

Nós, os gateiros, somos uma população em ascensão no mundo. Esses seres peludos, cheios de personalidade e amor próprio nos arrebatam. Adoramos mimá-los. E eles adoram que a gente os mime....uma parceria perfeita

1- Petit Pois e gatos. Uma dupla perfeita. Ambos sempre elegantes e cheios de charme! 
2- Mobile. Adoro! Mesmo já crescida, acho que não precisam ser só adorno de quartos infantis (meu lado criança, fazer o que????). Esse aí de cima, por exemplo, achei um mimo. 
3- Quem não ia querer entrar nessa casa tão felinamente convidativa??? Quero um para a minha porta! 
4- Patchwork e gatos!!! Tudo a ver também. lembra borralho, fogo, casa da vó e tudo isso lembra aconchego. E nada mais aconchegante que a figura de um gato, pachorrento, deitado ao pé do fogo. (Gateiros enten…

O que seria o tal conceito no projeto de arquitetura?

Uma das coisas mais importantes para que uma edificação possa ser considerada arquitetura é ter um conceito, uma proposta. E isso só é possível se existir um programa para AQUELE problema, AQUELE cliente, AQUELE terreno. É a partir desses condicionantes que o arquiteto pode gerar uma solução que seja a mais adequada possível. Elenara Leitão - arquitetura é mais que desenho.Tenho para mim que um dos maiores desafios da profissão arquitetura seja definir com consistência um conceito e segui-lo com coerência até o resultado final. 
Mas o que seria exatamente o conceito de um projeto arquitetônico?Há quem o defina como a ideia mestra que vai nortear as decisões projetuais. Aquela ideia que surge da reflexão sobre os condicionantes estudados para muitos. Ou um insight milagroso que surge da mente do projetista e que vai gerar formas ou padrões que tragam algum significado, para outros.

Podemos ver pelas frases de arquitetos muitas de suas ideias mestras que geraram os conceitos de seus proje…