Pular para o conteúdo principal

Cadeiras diferentes e o que elas propõem

Chair

Dos móveis que utilizamos cotidianamente, talvez um dos mais emblemáticos sejam as cadeiras. Elas são um eterno desafio para os designers. Como fazer peças novas, como projetar algo que não tenha sido antes pensado? Passamos por releituras, por novos conceitos, por desconstrução, por ousadia. Como fazer o diferente em um objeto aparentemente tão simples? 

O diferente nos atiça. Aguça vários sentimentos em nós: estranheza, curiosidade. Algumas vezes fascínio. Em outras ojeriza. Mas uma coisa é única: ele não causa indiferença. 

Design é conceito
O que se quer de um bom design de mobiliário 
Cadeira de madeira
Fiz uma brincadeira. Comecei a escolher algumas cadeiras pela estranheza que me causaram. Mas não apenas algo esquisito na acepção mais comum da palavra. Mas aquele estranhamento que causa curiosidade, que dá vontade de olhar mais. Que causa um riso divertido. Que cause uma possibilidade de uso.
Cadeira
Não analisei quem as projetou, nem para que as projetou. Só me detive no resultado final. Alguns são montagens de peças, duas cadeiras completamente diferentes que se unem. Outras são uma união de materiais aparentemente não tão harmoniosos, como o concreto e plástico.
Cadeira
Algumas falam de conceitos como livros que se abrem em "páginas" de tecidos. E outras ainda nem precisavam dizer que foram criadas por um designer oriental porque suas formas falam por ela.
Chair Design by studio Nendo
Outras ainda são escrachadamente divertidas. E bem mais ocidentais. Lembram hábitos de consumo. Para uns um ovo estrelado, para outros café ou chocolate derramado. As formas por si só são mera formalidade. Ganham sentido na percepção que cada um forma dentro de si. Olha aqui o observador atuante como elemento definidor do design. 
Cadeira
O novo e o antigo se unem em uma proposta simples que fala tanto. Fala da reciclagem, do aproveitamento, de uma época de formas sinuosas, de uma claridade e clareza que se pretendem no móvel. Falam da transparência do criador em unir épocas, materiais, ideias de mundo.
Cadeira
Boa cadeira tem quatro pés. Abertos. Será? Uma que os tenha mas em postura recatada como uma denúncia de "bons modos" que se subverte. Divertida sim. E com conteúdo.
cadeira
Formas. Materiais que se unem. Simples. Mas de forma tão bela. Seriam confortáveis? Talvez não. talvez sim. Nem sempre a utilidade é a meta prioritária de uma proposta. Mas pensando bem, na nossa vida também é assim. Ou não?
Stick Chair by Emmanuelle Moureaux
Fonte das imagens

Gostou? Conta para a gente a sua opinião.
Nos siga também nas redes sociais



Twitter: @arqsteinleitao
Flipboard: Revista ARQUITETANDO IDEIAS
Facebook : https://www.facebook.com/ElenaraLeitao
Instagram: http://instagram.com/arqsteinleitao
Pinterest: https://br.pinterest.com/arqsteinleitao/arquitetando-ideias/
snapchat: arqsteinleitao


 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

10 ideias para adiantar o Natal

Quando tinha uns dez anos (faz tempo...) fiz um trabalho escolar de arte e propaganda. Minha ideia foi um Papai Noel adiantado, que vinha pela metade do ano para aproveitar um xis produto que não lembro qual era. Meu pai, como todo pai babão, super me elogiou e nunca esqueci por isso. Nem lembro a nota que tirei na escola. Naquela época, década de 60, o Natal começava em dezembro. Meados de dezembro. Quando eu iria imaginar que estava sendo profética e que talvez, daqui uns tempos, o Natal nem passe. Emende com outras festas. Agora já convive o tal de ralouin que é em outubro.



Natal me lembra luz. Um paradoxo entre verão, calor e imagens de muita neve e comidas quentes. Me lembra canela, bolachinhas alemãs que minha mãe fazia e que eu podia cortar as massinhas e ajudar a confeitar. Árvore sendo montada e presépio

Separei dez ideias que achei bem bacanas de enfeites e árvores que podem ser montadas de forma simples e bem criativa.


1- Do blog da Renata Tomagnini achei estas charmosas dob…

Ideias de como usar nichos para decorar seus espaços

Aproveitando nichos para decorar sua casa ou seu escritório. 

Veja algumas ideias interessantes de como fazer desde pequenos detalhes que enfeitam até aproveitamento de vãos que guardam objetos e auxiliam na organização.

Simplicidade:A elegância mora nos detalhes e na síntese. Um rasgo bem usado, sem maiores excessos, apenas salientado pelo uso de cor e pequeno detalhe em madeira. Atentem para a iluminação nas laterais e em como o rodapé acompanha o rasgo.

Como utilizar cortinas na decoração

Hoje temos postagem de convidados. O Cesar Fernandes da Tibério Construtora
vai nos falar sobre como utilizar cortinas na decoração.


Cortinas são fundamentais para diversos ambientes do seu lar. Além de transmitir uma sensação de amplitude ajudam a controlar a entrada de luz. E ainda dão um up no visual de qualquer ambiente. A decoração com cortinas pode parecer óbvia, mas é uma das formas mais práticas de renovar um ambiente.
Tamanho Para causar uma sensação de amplitude invista nas cortinas que começam pelo menos 15 cm antes da borda da janela e vão até o chão. Na verdade o tamanho vai depender muito do ambiente. Há casos em que pode-se usar todo o vão da parede. A altura que ela fica do piso da sua casa pode ser de sua escolha mas como o objetivo é dar um ar de maior extensão para a parede, recomenda-se que fique junto ao piso. Leve em conta que há tecidos que podem encolher em lavagens. As vezes é melhor fazer um pouco maiores para que não fiquem pequenas na manutenção. 
CoresNão exis…

Robôs no lugar de operários na construção civil. Não é futuro

Ao ler uma reportagem sobre os canteiros de obras sem operários e sobre as inovações na execução na construção civil, não posso deixar de lembrar da célebre foto de Charles C. Ebbets de 1932. Operários comendo tranquilamente sobre uma viga no 69º andar das obras do GE Building, em Nova York. Montagem (o que parece não ser) ou verdade, a imagem nos dá calafrios ao imaginar construções sem o mínimo aparato de segurança. 

Pensar que, menos de cem anos depois desta foto, estaremos debatendo não apenas construções mais gigantescas que as do início do século XX, mas a utilização de aparatos de robotização em projetos e execução que saem cada vez mais do campo da ficção para a realidade.

Contar com drones nos canteiros de obras, conectados à tablets ou smartphones, não apenas facilita como agiliza os serviços que antes contavam apenas com trabalho humano braçal. E muitas vezes com a sorte já que se localizam em locais mais inacessíveis ao olhar.
Segundo o artigo citado no primeiro parágrafo, &q…