Pular para o conteúdo principal

Uma escola alegre e sem grades. Será possível?

Essa semana fiquei muito impactada pelas imagens da destruição do templo de Palmira. É uma parte da História e da Arte que se perde. Não é fato novo na história da humanidade. Já destruímos talvez mais do que conseguimos guardar em nossas bibliotecas e museus. E o que isso tem a ver com uma escola alegre e sem grades? Tudo. Como vamos ver a seguir. 
Destruição do Templo de Palmira 2015
Destruição do templo de Palmira
Grandes pensadores e professores, mestres do despertar a curiosidade foram perseguidos em muitas épocas da nossa história.  Hipátia de Alexandria, tristemente famosa pela destruição de suas bibliotecas por vários fanatismos religiosos e ideológicos, era um exemplo de mestra que pagou com a vida o ousar saber e ensinar.
Hipátia de Alexandria
Hipátia de Alexandria
Galileu Galilei foi obrigado a abjurar o que acreditava para sobreviver e só foi reconhecido muitos séculos após a sua morte.
Galileu Galilei
Galileu Galilei
E o que fazemos nós com as nossas crianças? Ensinamos a pensar? Plantamos sementes de novas vontades de aprender? Ou as colocamos em locais trancados, cheios de rígida disciplina onde aprendem a seguir ordens, rotinas e a pintar flores vermelhas com caules verdes.
Sala de aula tradicional
Sala de aula tradicional
Como boa pesquisadora e amante de novas propostas (vejam aqui uma proposta que tive a oportunidade participar via Synarqs, a Escola Parque), estava pesquisando sobre a área escolar e achei esse documentário chamado "quando sinto que já sei" que foi realizado com contribuições via crowndfunding. 
Educação criativa
Como brincar sem brinquedos?
Os autores pesquisaram vários exemplos de escolas com propostas de ensino mais abertas, mais livres, menos programáticas.
Para Raul Perez, um dos diretores de Quando sinto que já sei , autonomia e afetividade são as principais semelhanças entre as escolas visitadas, e isso significa entender o aluno como indivíduo e não “como um produto na linha de produção em série, como ocorre nas instituições convencionais”.(Fonte)

A educação livre tem como base palavras como CONFIANÇA, COLABORAÇÃO, DESAPEGO, LIBERDADE, HUMILDADE, CURIOSIDADE, ERRO, FAZER… e diversas outras palavras que não são comuns nos ambientes tradicionais.(fonte)


Veja o filme completo AQUI

O documentário traz uma receita de bolo de como deve ser uma escola que desenvolva o pensar? Não. Traz propostas de espaços inovadores para que as crianças e alunos se inspirem? Também não. Então o que faz esse documentário em um blog de Arquitetura? Faz pensar. 

Pensar no que os espaços tradicionais podem não favorecer propostas mais livres. Faz pensar que talvez não precisemos de carteiras e salas enfileiradas e muitas grades para manter alunos protegidos de um mundo que deveria ser seu campo de vivência e aprendizado. Pensar, aprender a pensar por si, é o que realmente qualquer escola deveria fazer. 

Separei também algumas postagens onde falo de escolas que propõem espaços e práticas diferenciadas. Além de uma experiência de criatividade que lembrei com uma frase do documentário: Como brincar sem brinquedos?

Gostou? Conta para a gente a sua opinião. 

Siga-nos nas redes sociais


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ideias de como usar nichos para decorar seus espaços

Aproveitando nichos para decorar sua casa ou seu escritório. 

Veja algumas ideias interessantes de como fazer desde pequenos detalhes que enfeitam até aproveitamento de vãos que guardam objetos e auxiliam na organização.

Simplicidade:A elegância mora nos detalhes e na síntese. Um rasgo bem usado, sem maiores excessos, apenas salientado pelo uso de cor e pequeno detalhe em madeira. Atentem para a iluminação nas laterais e em como o rodapé acompanha o rasgo.

Gavetas e detalhes que fazem diferença na cozinha

Organizar. Sempre um desafio na hora de planejar móveis e espaços. E um dos locais onde mais precisamos de locais coringas para guardar coisas são nas nossas cozinhas. 
Haja gavetas, nichos, cantinhos que podem ser aproveitados para os mais diversos usos. Separei algumas ideias para inspiração Aproveitando rodapés: Muitos colegas tem optado por fazer os rodapés de armários de cozinha em alvenaria e revestir a frente com pedras ou cerâmicas. É uma solução pratica principalmente pela limpeza e umidade. Mas se sobrar espaço e a opção for usar rodapés, eles podem ser usados para guardar várias coisas. (Confesso que não sei se são o melhor local para guardar vinhos, mas quem sabe...)   Porta trecos e panos de prato: Eles são super práticos porque aproveitam espaços pequenos e estreitos e guardam aquelas coisas meio feias quando ficam à vista. Não recomendo guardar panos de prato úmidos. E esse porta facas abaixo, ao lado do fogão, é super prático!  
Outro exemplo de aproveitamento de canto par…

10 ideias de almofadas e afins para gateiros

Festas....fiquei aqui arquitetando postagens bem suaves e lindas para esses momentos. Hoje resolvi brindá-los com 10 adoráveis ideias para almofadas, pesos de porta, mobiles e outras utilidades para amantes de gatos.

Nós, os gateiros, somos uma população em ascensão no mundo. Esses seres peludos, cheios de personalidade e amor próprio nos arrebatam. Adoramos mimá-los. E eles adoram que a gente os mime....uma parceria perfeita

1- Petit Pois e gatos. Uma dupla perfeita. Ambos sempre elegantes e cheios de charme! 
2- Mobile. Adoro! Mesmo já crescida, acho que não precisam ser só adorno de quartos infantis (meu lado criança, fazer o que????). Esse aí de cima, por exemplo, achei um mimo. 
3- Quem não ia querer entrar nessa casa tão felinamente convidativa??? Quero um para a minha porta! 
4- Patchwork e gatos!!! Tudo a ver também. lembra borralho, fogo, casa da vó e tudo isso lembra aconchego. E nada mais aconchegante que a figura de um gato, pachorrento, deitado ao pé do fogo. (Gateiros enten…

Interno I - escada como elemento formal destacado

A escada como elemento formal de ligação entre os dois andares desta reforma que o escritório do arquiteto italiano Alfredo Vanotti executou chama a atenção pela beleza e fluidez.Feita em ferro e pintada em branco ela não apenas é ponto focal, como serve de divisória para os espaços de estar e cozinha.
O espaço amplo servia de escritório e agora abriga área social no térreo e dormitório com banheiro no piso superior. Tudo isso em um estilo enxuto e ao mesmo tempo aconchegante.Coerente com a proposta do arquiteto de que a sua arquitetura deve falar por si mesma.
Nos siga também nas redes sociais
TwitterFlipboardFacebookInstagramPinterest