Pular para o conteúdo principal

Arquitetura multissensorial

Tenho escrito algumas postagens sobre a função sensorial e multissensorial da Arquitetura. Um dos últimos, onde coloquei um título provocativo, chamando a um resgate do elemento erótico na Arquitetura gerou uma conversa in box que de certa forma foi complementada por um email sobre uma das últimas postagens, a de uma loja japonesa que usa madeira cheirosa na sua estrutura.

Arquitetura multissensorial....Ninguém duvida que a visão é muito explorada ao projetar. O tato também tem a sua parcela de intenção com revestimentos e mesmo formas. Da audição já se disse que a Arquitetura seria música congelada. Mas e os outros dois? Paladar e olfato?

OK, paladar me parece o mais complicado de conciliar com a arquitetura. Sim, tempos as hortas verticais, podemos ter elementos que possam ser digeridos dentro dos ambientes (árvores de frutas e hortaliças). Nas estruturas, talvez se imitarmos a casa da bruxa má de Joãozinho e Maria, possamos ter em escala real o que esse artista esculpiu. E pensando bem, com o futuro da impressão 3D, vai que um dia façamos ambientes comestíveis. Já estou imaginando uma loja de chocolates.....uauuuuuu!!!!

E o olfato? Seria mais fácil? Ah, se um dia a TV tiver cheiro. Ou a internet. Ou a arquitetura....Sabe-se que o cheiro é um dos elementos mais marcantes na formação da memória humana. Todos temos lembranças de cheiros marcantes. E se formos pensar bem, muitos estão associados aos ambientes. Cheiro do sol entrando e iluminando, cheiro da chuva molhada no jardim. Cheiro do pão que saia quentinho de algum forno. Cheiro do perfume de alguém que ficava no ar e nos dizia se essa pessoa já tinha passado por ali. Já li que o cheiro, por levar mais tempo para chegar ao cérebro, ali se aloja por mais tempo que os outros sentidos. O que o torna realmente relevante.    

Se pudéssemos marcar os ambientes com cheiros, além de formas, como eles nos marcariam e como poderiam ser melhor compreendidos e vivenciados. Há estudos para pesquisar os cheiros nas cidades, para entender a sua importância no planejamento urbano. Mas e na arquitetura? Como usá-lo de maneira mais intencional, ou melhor, como despertar esse sentido tão especial e que parece ser esquecido como parâmetro de projeto? 
A professora e escritora Victoria Henshaw nos explica algumas das razões porque o cheiro é relegado como elemento marcante de projeto:
  1.  Baixo valor dado ao olfato nas sociedades ocidentais.
  2. Dificuldade de mensurar cheiros. E apesar de modernas tecnologias tentarem suprir essa lacuna, ainda não são tão eficientes assim. 
  3. Na verdade pouco se sabe como o cheiro realmente funciona. Segundo a Victória, "quanto mais aprendemos sobre o cheiro, mais ele torna-se intrigante
Fui atrás de alguns exemplos onde o olfato foi utilizado como elemento de projeto, seja de instalações seja de arquitetura. 

Smell Architecture instalation
In/odore, instalação projetada por diverserighe studio para o the Courtyard of Honour no Palazzo d’Accursio em Bolonha, na Itália. O conceito reúne a ideia utopica representada por um jardim natural, projetada para o céu, com a realidade de um jardim artificial com hastes falsas, feitas de material reciclado, plantadas no chão com saquinhos de plástico contendo panos embebidos com perfumes sintéticos. Uma crítica ácida e real. 
Smell Architecture instalation
Outra instalação, a"Perfume Squadron" do escritório de Khoury Levit Fong se inspira no jardim tradicional japonês e usa os cheiros de forma deliberada.
Smell Architecture instalation

Michael Green Architecture usa em seu projeto de um centro de inovação em madeira de um imenso painel desse material onde as pessoas podem ver, tocar e  cheirar.


Como podem ver não achei muitos exemplos na Arquitetura, o que comprova que o olfato ainda não está sendo explorado como poderia. Um dado a ser levado em conta pelos arquitetos em suas pesquisas. E um desafio: como inserir cheiros nos projetos?

Fontes
http://www.taylorandfrancis.com e http://sensingarchitecture.com


Gostou? Conta para a gente a sua opinião.  

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

10 ideias para adiantar o Natal

Quando tinha uns dez anos (faz tempo...) fiz um trabalho escolar de arte e propaganda. Minha ideia foi um Papai Noel adiantado, que vinha pela metade do ano para aproveitar um xis produto que não lembro qual era. Meu pai, como todo pai babão, super me elogiou e nunca esqueci por isso. Nem lembro a nota que tirei na escola. Naquela época, década de 60, o Natal começava em dezembro. Meados de dezembro. Quando eu iria imaginar que estava sendo profética e que talvez, daqui uns tempos, o Natal nem passe. Emende com outras festas. Agora já convive o tal de ralouin que é em outubro.



Natal me lembra luz. Um paradoxo entre verão, calor e imagens de muita neve e comidas quentes. Me lembra canela, bolachinhas alemãs que minha mãe fazia e que eu podia cortar as massinhas e ajudar a confeitar. Árvore sendo montada e presépio

Separei dez ideias que achei bem bacanas de enfeites e árvores que podem ser montadas de forma simples e vem criativa.


1- Do blog da Renata Tomagnini achei estas charmosas dob…

Como utilizar cortinas na decoração

Hoje temos postagem de convidados. O Cesar Fernandes da Tibério Construtora
vai nos falar sobre como utilizar cortinas na decoração.


Cortinas são fundamentais para diversos ambientes do seu lar. Além de transmitir uma sensação de amplitude ajudam a controlar a entrada de luz. E ainda dão um up no visual de qualquer ambiente. A decoração com cortinas pode parecer óbvia, mas é uma das formas mais práticas de renovar um ambiente.
Tamanho Para causar uma sensação de amplitude invista nas cortinas que começam pelo menos 15 cm antes da borda da janela e vão até o chão. Na verdade o tamanho vai depender muito do ambiente. Há casos em que pode-se usar todo o vão da parede. A altura que ela fica do piso da sua casa pode ser de sua escolha mas como o objetivo é dar um ar de maior extensão para a parede, recomenda-se que fique junto ao piso. Leve em conta que há tecidos que podem encolher em lavagens. As vezes é melhor fazer um pouco maiores para que não fiquem pequenas na manutenção. 
CoresNão exis…

Gavetas e detalhes que fazem diferença na cozinha

Organizar. Sempre um desafio na hora de planejar móveis e espaços. E um dos locais onde mais precisamos de locais coringas para guardar coisas são nas nossas cozinhas. 
Haja gavetas, nichos, cantinhos que podem ser aproveitados para os mais diversos usos. Separei algumas ideias para inspiração Aproveitando rodapés: Muitos colegas tem optado por fazer os rodapés de armários de cozinha em alvenaria e revestir a frente com pedras ou cerâmicas. É uma solução pratica principalmente pela limpeza e umidade. Mas se sobrar espaço e a opção for usar rodapés, eles podem ser usados para guardar várias coisas. (Confesso que não sei se são o melhor local para guardar vinhos, mas quem sabe...)   Porta trecos e panos de prato: Eles são super práticos porque aproveitam espaços pequenos e estreitos e guardam aquelas coisas meio feias quando ficam à vista. Não recomendo guardar panos de prato úmidos. E esse porta facas abaixo, ao lado do fogão, é super prático!  
Outro exemplo de aproveitamento de canto par…

Ideias de como usar nichos para decorar seus espaços

Aproveitando nichos para decorar sua casa ou seu escritório. 

Veja algumas ideias interessantes de como fazer desde pequenos detalhes que enfeitam até aproveitamento de vãos que guardam objetos e auxiliam na organização.

Simplicidade:A elegância mora nos detalhes e na síntese. Um rasgo bem usado, sem maiores excessos, apenas salientado pelo uso de cor e pequeno detalhe em madeira. Atentem para a iluminação nas laterais e em como o rodapé acompanha o rasgo.