Pular para o conteúdo principal

Por quê não agimos?

Tem tanta coisa que nos incomoda, seja na vida pessoal ou na sociedade, e no entanto reclamamos, reclamamos mas muitas vezes não agimos para mudar.

Por isso esse vídeo abaixo sobre Psicologia Ambiental também me chamou a atenção. POR QUÊ NÃO AGIMOS?  

Ele alavanca uma série de motivos e dá alternativas. É um pouco lotado de informações, o que por si só já prejudica um pouco o pescar todas, mas é super válido. 

Concordo que muitas vezes nos aferramos à preconceitos ou a ideias instaladas e acabamos por repetir comportamentos ou a negar novos por puro viés. 

Faço também essa mea culpa, porque enviesados todos somos. Caso contrário seríamos neutros, e neutralidade pode ser até boa em tempos de guerra, mas não leva ao crescimento. Acho que a gente tem sim que tomar partido, tem que opinar, tem que lutar pelo que acredita, mas não pode é se engessar. 
  
"A visão tendenciosa e distorcida que cada um de nós pode ter dos fatos é a grande armadilha que nós mesmos criamos e que nos amarra e prende" - Renata Rubim

Esse momento "toma" que a Renata Rubim, pessoa por quem tenho a maior admiração pessoal e profissional, postou no Facebook, me faz refletir que muitas excelentes soluções para a vida da gente e da sociedade acabam sepultadas quando vem de algo ou alguém com quem não concordamos a priori. E as suas sugestões, por mais sensatas que sejam, acabam sendo expelidas por nós, pelo governo de plantão, pela empresa, pelo clube, por uma pessoa....

Como mudar ? Como trabalhar em nós para que não fiquemos aprisionados em nosso senso comum? Talvez usando algumas das dicas do vídeo de Psicologia Ambiental. Talvez parando para ver uma situação como se ela não acontecesse conosco. Talvez a isolando da turma, da ideologia, da preferência, dos o que vão pensar ou dizer internos. E do comodismo diário.  

PSICOLOGIA AMBIENTAL: Por quê não agimos? from Nicholas Gimenes on Vimeo.

E na esteira desse assunto, me lembrei desse vídeo que trata de mudanças na sociedade holandesa. Eu o tinha separado justo porque tratava de como agir, do momento em que ação e vontade se juntam e transformam. 

Vale para a vida da gente. Vale para a sociedade. Eu venho de uma geração que era amordaçada. As pessoas não achavam nada de nada porque quem achava alguma coisa, em geral não era achado mais....Mas quando aquilo se tornou insurpotável, as ruas se encheram de pessoas. Eram milhões pedindo eleições diretas. Mudou? Em um primeiro momento não. Mas em médio sim.

Por isso quando vejo hoje milhões se mobilizarem em assinaturas ou cliques na internet e não levarem esses gestos virtuais para o mundo real, por mais que respeite a atuação via computador, vou parafrasear Geraldo Vandré :

Gente- a vida não se resume a Internet

Enquanto você está reclamando, alguém está agindo e fazendo a vida real. Pense nisso.   

 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

13 ideias para quem ama gatos

Há pouco passou uma sexta feira. Era 13. Gosto das sextas feiras. Gosto do 13. Gosto dos gatos. Gosto dos gatos pretos, esses que tanto foram perseguidos como companheiros de bruxas.

Gatos são da casa -repetem como mantra os que não conhecem os gatos. Os gatos são deles mesmos. E de quem os conquistar. Ou de quem eles resolverem amar. 

Amor de gato é diferente do amor de cão. E não menos dramático. Gatos não toleram atrasos. Não aceitam menos que a nossa entrega. De preferência sem muito chamego, a não ser na hora que desejam. 

Gatos são hedonistas por natureza. Existem para viver com languidez e serem acariciados. Mimados. Paparicados. Gatos são aristocratas. Mesmo que revirem latas de lixo. 

Desconfiem da humildade felina. Ao primeiro toque de boa vida, se tornam preguiçosamente orgulhosos.   
“Um gato vive um pouco nas poltronas, no cimento ao sol, no telhado sob a lua. Vive também sobre a mesa do escritório, e o salto preciso que ele dá para atingi-la é mais do que impulso para a cultu…

Ideias simples que ajudam muito

Muitas vezes a gente fica pensando em soluções mirabolantes para a casa da gente e esquece de ideias simples que ajudam bastante. Reuni algumas delas aqui

Uma gaveta bem colocada na lavanderia auxilia muito a tarefa de colocar as roupas na máquina.  Procure soluções que forneçam apoio para bacias, para cestos e simplifiquem sua vida nas tarefas de limpeza da casa. Aproveite espaços que ficariam sem uso. Essas práticas gavetas para guardar esponja e sabão são um exemplo.
Outra ideia de aproveitamento de espaço inútil. A área ao lado e na frente das cubas. Vejam que foi usado material impermeável e assim podem ser guardados os utensílios de lavar louça que são molhados. 
Usar porta toalhas em portas ajuda na organização.

Um lugar para cada coisa, cada coisa em seu lugar. Na hora de cozinhar é preciso achar com praticidade tudo o que se precisa. Uma boa solução é fazer um gavetão para esses utensílios e dispô-los em locais práticos e de fácil acesso.  Pratos podem ser colocados para sec…

Coifa, exaustor ou depurador? Saiba qual é a melhor opção para a sua cozinha.

Quem já não passou por isso: Você está cozinhando e quando nota tem fumaça por todo lado, muito calor, além do cheiro da comida se espalhando por outros cômodos da casa. Isso acontece principalmente quando fritamos algum alimento. Para evitar situações como essa, existem depuradores, exaustores e coifas. Mas você sabe o que cada um faz e qual o melhor para o seu tipo de cozinha?

Confira a diferença entre eles e veja o que melhor se adéqua a sua necessidade:

CoifaA coifa tem como função sugar o ar, filtrá-lo e expeli-lo para fora da cozinha por meio de tubos de saída que podem ser instalados no teto, em paredes ou em forros. Ela elimina não somente a gordura e outros odores do ambiente, mas também “renova o ar” da sua cozinha.
Dependendo de onde está localizado o fogão, você pode optar por coifas de parede ou em formato de ilha, que ficam no centro da cozinha. Atualmente, existem coifas para todos os gostos e com designs bem modernos que se adaptam a qualquer tipo de decoração.

Recomenda-…

Círculo da Vida - arquitetura viva

Imagine uma série de construções que sigam o ciclo da natureza de vida, que possam crescer, florescer e fenecer como qualquer organismo vivo. É a ideia por trás da Arquitetura Viva ou botânica construtiva como alguns chamam. Falei sobre este conceito em Arquitetura Orgânica.
E enquanto pesquisa o site dos arquitetos do Obvious Avoid (falei sobre eles na postagem sobre ensinar crianças a pensar como arquitetos) encontrei essa proposta do Círculo da Vida que eles mesmos descrevem como "uma coleção de construções sustentáveis ​​feitas para celebrar a arte, a natureza e a ciência. "
Através de um centro de aprendizado a ser feito em uma floresta mexicana, as pessoas poderiam participar e compreender a natureza em todos os seus processos, tanto de vida como de morte. E onde o local não será apresentando como uma proposta fechada, mas como um processo em crescimento natural.
Os sete passos do ciclo proposto são:
Encontrar e recolher árvores caídasConfeccionar produtos de madeiraUsar p…