Pular para o conteúdo principal

Playroom cinza




Quando eu tinha uns 18, 20 anos gostava de ler esses romances de mulherzinha tipo jovem bonita e cheia de personalidade, porém inexperiente encontra homem fascinante, muito rico, muito perigoso, muito lindo e passam o livro em clima de paixão. Umas em clima de mais romance, outras com descrições mais picantes, mas hoje tão ingênuas quanto eram as pornochanchadas dos anos 70.  

Leitura boa para desopilar a cabeça. Pois bem, foi essa a sensação que tive lendo 50 tons de cinza, o best seller do momento. Em geral não é o tipo de romance que me seduz, mas as facilidades da tecnologia acabam facilitando a leitura dos líderes de venda. Eu ouvi que era vendido como um soft pornô, ou seja lá o que isso signifique. E que vendeu MUITO desde o seu lançamento. E MUITO é muito mesmo, tanto que enriqueceu sua autora E.L. James quase que da noite para o dia. Mérito dela que descobriu (ou redescobriu) uma fórmula que vem vendendo por décadas. Na verdade o livro me pareceu uma dessas novelinhas que descrevi acima, mesmo enredo, com uma descrição mais detalhada dos momentos íntimos, bem ao gosto de nossos tempos de muita exposição e pouca entrega. 

Aliás a pouca entrega de parte a parte talvez esteja na origem do sucesso do livro, mais até que os momentos SM. Se formos analisar, é o que mostram vários livros e filmes modernos. Seja livre, faça sexo, da maneira que quiser, mas envolvimento é tabu. E mesmo atrás da aparente liberdade, existe nesse livro uma sutil referência pecaminosa aos prazeres da carne. Algo bem tipico da cultura americana, bem mais puritana que a nossa. Ou não, como diria Caetano. Vai ver que somos libertinos apenas no discurso, e no fundo somos tão conservadores quanto, daí o sucesso do 50 tons de cinza e seu quarto vermelho. Que eu como boa arquiteta, já imaginei com ar de bordel francês, uma coisa meia decadente e clichê.    

Ou talvez seja uma metáfora de nossos tempos atuais em que precisamos de um mestre, um alguém para temer/amar/obedecer. E sob uma camada de glamour, beleza e muito dinheiro, fica a mensagem que tapa não dói. Ou dói mas dá prazer. Tudo regado a champanhe cara e presentes idem. Edificante ? Nem tanto, talvez no fundo muita mulher tenha seus momentos de sonhar com menos liberdade e obrigações e mais sonho e submissão. Horror para os tempos atuais ? Eu falei sonhar. Não falei em realizar.
Leitura rápida, bem bom para um domingo preguiçoso. Talvez eu esteja querendo tirar dele mais do que oferece. Ou seja, é o que é. 

E porque um blog de Arquitetura e afins está se ocupando desse livro ? Porque a vida é feita de bem mais que arquitetura. Porque a gente pode apenas ler bobagens, ver série enlatada e alargar a cabeça. Porque a arquiteta aqui está de cabeça cansada e precisa exatamente desopilar. Porque sim. E pronto. 

Comentários

  1. Elenara,

    Que maravilha de post, muito bom, de uma clareza q profundidade, disse tanto de forma concisa,

    Parabéns

    Arnobio Rocha

    ResponderExcluir
  2. Elenara,

    não li o livro, mas sua observação final matou a pau!

    Nada mais esperável que também as mulheres, hoje tão ou mais cheias de reponsabilidades e obrigações do que os homens, sonhem com a agora antiquada entrega submissa, que não se engane, também permeia o imaginário masculino...

    Mesmo que só para desopilar, seus posts são primorosos!

    Oscar Müller

    ResponderExcluir
  3. Obrigada Arnóbio e Oscar,

    Aplausos dos amigos sempre são um incentivo. Ainda quando se escreve sem pretensão de conteúdo. Valeu. Abração

    ResponderExcluir
  4. Muito, muito bom.
    Valeu o desenho do que você pensa e a cor...
    E você pode acrescentar no comentário, indicações de livro. como faz a Márcia...

    ResponderExcluir
  5. Uma amiga que mora na Europa me falou maravilhas a respeito do livro, que ja estava no segundo volume, devorando a cada folha. Comprei assim que os primeiros exemplares desembarcaram aqui em SP. Resumo: nao consegui passar da metade do primeiro volume.
    Assim como tu, li Julia e Sabrina desde que lancaram os primeiros, bem inocentinhos ate os mais apimentados. Portanto, 50 Tons me pareceu aqueles velhos romances repaginados.
    Alem do mais nao gostei da quantidade de mencao a marcas famosas como Audi, Blackberry, etc.
    Me surpreendeu muito 50 Tons de Cinza cair no gosto da mulher brasileira que a meu ver e bem a frente da heroina do livro.
    Rejanegaucha@twitter

    ResponderExcluir
  6. Amiga querida (aqui Tereza)
    Nenhum interesse no livro, mas o teu comentário....noooosssa é esclarecedor e parece de uma profi dos assuntos literários. Parabéns! Quem sabe numa dessas até dá prá ler o dito cujo. bjs

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Sua opinião é super importante para nós ! Não nos responsabilizamos pelas opiniões emitidas nos comentários. Links comerciais serão automaticamente excluídos

Postagens mais visitadas deste blog

10 ideias de almofadas e afins para gateiros

Festas....fiquei aqui arquitetando postagens bem suaves e lindas para esses momentos. Hoje resolvi brindá-los com 10 adoráveis ideias para almofadas, pesos de porta, mobiles e outras utilidades para amantes de gatos.

Nós, os gateiros, somos uma população em ascensão no mundo. Esses seres peludos, cheios de personalidade e amor próprio nos arrebatam. Adoramos mimá-los. E eles adoram que a gente os mime....uma parceria perfeita

1- Petit Pois e gatos. Uma dupla perfeita. Ambos sempre elegantes e cheios de charme! 
2- Mobile. Adoro! Mesmo já crescida, acho que não precisam ser só adorno de quartos infantis (meu lado criança, fazer o que????). Esse aí de cima, por exemplo, achei um mimo. 
3- Quem não ia querer entrar nessa casa tão felinamente convidativa??? Quero um para a minha porta! 
4- Patchwork e gatos!!! Tudo a ver também. lembra borralho, fogo, casa da vó e tudo isso lembra aconchego. E nada mais aconchegante que a figura de um gato, pachorrento, deitado ao pé do fogo. (Gateiros enten…

Gavetas e detalhes que fazem diferença na cozinha

Organizar. Sempre um desafio na hora de planejar móveis e espaços. E um dos locais onde mais precisamos de locais coringas para guardar coisas são nas nossas cozinhas. 
Haja gavetas, nichos, cantinhos que podem ser aproveitados para os mais diversos usos. Separei algumas ideias para inspiração Aproveitando rodapés: Muitos colegas tem optado por fazer os rodapés de armários de cozinha em alvenaria e revestir a frente com pedras ou cerâmicas. É uma solução pratica principalmente pela limpeza e umidade. Mas se sobrar espaço e a opção for usar rodapés, eles podem ser usados para guardar várias coisas. (Confesso que não sei se são o melhor local para guardar vinhos, mas quem sabe...)   Porta trecos e panos de prato: Eles são super práticos porque aproveitam espaços pequenos e estreitos e guardam aquelas coisas meio feias quando ficam à vista. Não recomendo guardar panos de prato úmidos. E esse porta facas abaixo, ao lado do fogão, é super prático!  
Outro exemplo de aproveitamento de canto par…

A prática do urban sketching - recomendação de livro

Um dos hábitos mais prazerosos da vida é viajar, mesmo que seja na própria cidade. Percorrer caminhos com calma, caminhar e parar, olhar e registrar. Não apenas com o celular, mas também com as mãos. Acha complicado? Pois este pequeno grande guia vai facilitar bastante esta fascinante descoberta da prática do desenho urbano (urban sketching).

O livro tem um formato quase de bolso, é ricamente ilustrado e super didático, com páginas em branco para exercícios práticos, após cada explicação. É um excelente companheiro de passeios e pode ser utilizado sem contra indicações e sem parcimônia. Na versão brasileira não vem acompanhado de canetas (nem sei se vem em outra versão, mas vi a recomendação e repasso). Mas fiquei tão fascinada que, além do lápis comum, comprei quatro canetas artísticas PITT pretas para treinar.   
O que é urban sketching? Existe uma organização chamada de Urban Sketchers com regras e com um blog onde as pessoas podem publicar seus desenhos. Eles organizam encontros …

Ideias de como usar nichos para decorar seus espaços

Aproveitando nichos para decorar sua casa ou seu escritório. 

Veja algumas ideias interessantes de como fazer desde pequenos detalhes que enfeitam até aproveitamento de vãos que guardam objetos e auxiliam na organização.

Simplicidade:A elegância mora nos detalhes e na síntese. Um rasgo bem usado, sem maiores excessos, apenas salientado pelo uso de cor e pequeno detalhe em madeira. Atentem para a iluminação nas laterais e em como o rodapé acompanha o rasgo.