Pular para o conteúdo principal

Maria Antonieta e o seu banquete


Sexta a noite foi dia de estrear nos banquetes Clio.  Maria Antonieta era o mote. Sua história fascinante e trágica foi relatada por
 Renata Fratton. Para quem não conhece o Studio Clio, ele fica em uma casa de esquina, no tradicional bairro Cidade Baixa de Porto Alegre. Um ambiente muito simpático com um pequeno local para palestras e eventos. 

"Uma mulher do século XVIII, que amava a vida, a diversão, a distração, e que sempre amou a beleza e a juventude”, assim Edmond de Goncourt descreveu Maria Antonieta. A décima quinta filha de Maria Teresa da Áustria tornou-se a mais polêmica das rainhas da França e entrou para a história como Rainha da Moda. A vida marcada por regras de etiqueta, seu amor pelos bailes e pelas artes assim como seus caprichos e frivolidades - que marcaram o vestir de Versailles antes da revolução" 

Frívola ?  Uma adolescente sem noção ? Um menina que teve que sobreviver e vencer baseada na beleza e na pompa ? Uma mulher no meio do turbilhão da história ? Uma aristocrata tentando salvaguardar seu status e meio de vida? Talvez um pouco de tudo isso. Ficamos sabendo de como ela teve que ser produzida em beleza para ser aceita como futura delfina. E essa produção passou por operações dolorosas, um pouco como nos dias de hoje, em que se fazem loucuras também pela aparência. Que naquela época, como agora continua sendo poder. Marcar poder pela moda. Pelo estilo. Pela extravagância. Lembra algumas pop stars modernas ? Pois é...os tempos passam, mas as pessoas continuam as mesmas...E uma interessante indagação levantada pela palestrante: sempre que Maria Antonieta volta como inspiração é porque alguma crise se avizinha...Será ? 

Para saborear tudo isso fomos brindados já na entrada com um Coquetel de boas-vindas - Délices de Paris: Mini-galette de roquefort, Mini-croque monsieur e
Gratiné des Halles. Tudo absolutamente delicioso e acompanhado de vinho tinto!

E após a palestra a degustação do banquete em mesas dispostas entre o palco e a platéia. O cardápio teve como inspiração as passagens da vida da Austríaca, como era chamada.





Entrada - La Dauphine (sua vida mais jovem)
Terrine de cogumelo defumado e brie com creme de aspargo
Vinho: Chardonnay Domaine de Vauroux - Borgonha – França
Isso era dos Deuses ! Super delicado e instigante e o vinho maravilhoso! 




Prato principal - Intrigues du châteu
Confit de pato ao molho de vinho tinto com purê de batata doce e mostarda dijon
Vinho: Cabernet Sauvignon Valle Las Acequias - Mendoza – Argentina
O prato principal já era mais robusto e misturava sabores da caça e batata doce, uma mistura de força e delicadeza, uma coisa sutil de contrastes e descobertas, exatamente como as intrigas da corte em que Maria Antonieta viveu.   



Sobremesa - Reine de la mode
Macaron de crème brûlé, macaron de caramelo com flor de sal e macaron de framboesa
Vinho: Espumante Hórus Brut - Serra Gaúcha – Brasil
E a sobremesa brincava exatamente com o esplendor de vanguarda em moda que Maria Antonieta representou, e representa até hoje. Suas perucas extremamente elaboradas, seus vestidos majestosos, mais que loucuras de uma rainha perdulária, eram sua forma de marcar presença, poder e valor numa terra e corte que a policiavam e vigiavam. Me pareceu bem significativo o fato de que ela, depois de dar a luz à delfina, tivesse relaxado com o fausto ao vestir e se voltasse a uma pretensa simplicidade campesina. Como se tivesse enfim se tornado Rainha de fato e não precisava mostrar isso de forma tão explicita.    


Após o banquete a palestrante e a equipe de gastronomia nos explicaram a sua inspiração e responderam perguntas.




Para ir ao banquete eu fiz uma produção ultra fashion e usei é claro minha carteira de PET reciclado da Criando Arte. Acho que Maria Antonieta iria aprovar.

E na saída ainda ganhamos...brioches! Uma brincadeira com a célebre frase pela qual ela ficou conhecida e que provavelmente nunca tenha dito. Já naquela época, como agora, a verdade era muito relativa e a versão bem espalhada se tornava inquestionável. 


A passagem dessa mulher pela história foi marcante. Ela ajudou a tornar a França e Paris um sinônimo de moda. Ela foi amada e odiada. Ela marcou um estilo de vestir e de ser. Ela desafiou costumes de sua corte. Ela foi caluniada. Ela abusou de sua posição gastando fortunas em frivolidades. Ela foi mãe. Foi mulher.  E foi moeda de troca entre dois países. Ela foi Maria Antonieta.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

10 ideias de almofadas e afins para gateiros

Festas....fiquei aqui arquitetando postagens bem suaves e lindas para esses momentos. Hoje resolvi brindá-los com 10 adoráveis ideias para almofadas, pesos de porta, mobiles e outras utilidades para amantes de gatos.

Nós, os gateiros, somos uma população em ascensão no mundo. Esses seres peludos, cheios de personalidade e amor próprio nos arrebatam. Adoramos mimá-los. E eles adoram que a gente os mime....uma parceria perfeita

1- Petit Pois e gatos. Uma dupla perfeita. Ambos sempre elegantes e cheios de charme! 
2- Mobile. Adoro! Mesmo já crescida, acho que não precisam ser só adorno de quartos infantis (meu lado criança, fazer o que????). Esse aí de cima, por exemplo, achei um mimo. 
3- Quem não ia querer entrar nessa casa tão felinamente convidativa??? Quero um para a minha porta! 
4- Patchwork e gatos!!! Tudo a ver também. lembra borralho, fogo, casa da vó e tudo isso lembra aconchego. E nada mais aconchegante que a figura de um gato, pachorrento, deitado ao pé do fogo. (Gateiros enten…

13 ideias para quem ama gatos

Há pouco passou uma sexta feira. Era 13. Gosto das sextas feiras. Gosto do 13. Gosto dos gatos. Gosto dos gatos pretos, esses que tanto foram perseguidos como companheiros de bruxas.

Gatos são da casa -repetem como mantra os que não conhecem os gatos. Os gatos são deles mesmos. E de quem os conquistar. Ou de quem eles resolverem amar. 

Amor de gato é diferente do amor de cão. E não menos dramático. Gatos não toleram atrasos. Não aceitam menos que a nossa entrega. De preferência sem muito chamego, a não ser na hora que desejam. 

Gatos são hedonistas por natureza. Existem para viver com languidez e serem acariciados. Mimados. Paparicados. Gatos são aristocratas. Mesmo que revirem latas de lixo. 

Desconfiem da humildade felina. Ao primeiro toque de boa vida, se tornam preguiçosamente orgulhosos.   
“Um gato vive um pouco nas poltronas, no cimento ao sol, no telhado sob a lua. Vive também sobre a mesa do escritório, e o salto preciso que ele dá para atingi-la é mais do que impulso para a cultu…

Gavetas e detalhes que fazem diferença na cozinha

Organizar. Sempre um desafio na hora de planejar móveis e espaços. E um dos locais onde mais precisamos de locais coringas para guardar coisas são nas nossas cozinhas. 
Haja gavetas, nichos, cantinhos que podem ser aproveitados para os mais diversos usos. Separei algumas ideias para inspiração Aproveitando rodapés: Muitos colegas tem optado por fazer os rodapés de armários de cozinha em alvenaria e revestir a frente com pedras ou cerâmicas. É uma solução pratica principalmente pela limpeza e umidade. Mas se sobrar espaço e a opção for usar rodapés, eles podem ser usados para guardar várias coisas. (Confesso que não sei se são o melhor local para guardar vinhos, mas quem sabe...)   Porta trecos e panos de prato: Eles são super práticos porque aproveitam espaços pequenos e estreitos e guardam aquelas coisas meio feias quando ficam à vista. Não recomendo guardar panos de prato úmidos. E esse porta facas abaixo, ao lado do fogão, é super prático!  
Outro exemplo de aproveitamento de canto par…

Como utilizar cortinas na decoração

Hoje temos postagem de convidados. O Cesar Fernandes da Tibério Construtora
vai nos falar sobre como utilizar cortinas na decoração.


Cortinas são fundamentais para diversos ambientes do seu lar. Além de transmitir uma sensação de amplitude ajudam a controlar a entrada de luz. E ainda dão um up no visual de qualquer ambiente. A decoração com cortinas pode parecer óbvia, mas é uma das formas mais práticas de renovar um ambiente.
Tamanho Para causar uma sensação de amplitude invista nas cortinas que começam pelo menos 15 cm antes da borda da janela e vão até o chão. Na verdade o tamanho vai depender muito do ambiente. Há casos em que pode-se usar todo o vão da parede. A altura que ela fica do piso da sua casa pode ser de sua escolha mas como o objetivo é dar um ar de maior extensão para a parede, recomenda-se que fique junto ao piso. Leve em conta que há tecidos que podem encolher em lavagens. As vezes é melhor fazer um pouco maiores para que não fiquem pequenas na manutenção. 
CoresNão exis…