Pular para o conteúdo principal

Explicando a rotina de um Arquiteto para estudantes

Esses tempos eu recebi um pedido para responder um questionário escolar sobre Arquitetura para a filha de uma sobrinha. E hoje ao receber um e-mail perguntando sobre se vale a pena cursar Arquitetura, me lembrei de colocar aqui as respostas que dei naquela ocasião.

Como é a rotina de um arquiteto?
No meu caso, que trabalho como autônoma, ou seja, não trabalho para uma empresa, mas diretamente para o cliente final, a rotina se divide entre projetar no escritório e executar as obras. Para projetar preciso visitar o cliente, saber de suas necessidades, medir o local e se for o caso, saber o que a prefeitura exige para estar dentro das leis. Depois de tudo isso tenho que sentar e botar a cabeça a funcionar para achar a melhor solução. Isso as vezes demora, tem que desenhar muito e ir refinando até encontrar uma solução que seja do agrado do cliente e esteja dentro do seu orçamento.
Para executar as obras, tenho que fazer orçamentos, escolher uma boa equipe, acompanhar o cliente nas compras e assessorar a equipe de obras no local.   


Quais são as ferramentas que você mais usa?(ex:computador,caneta,papel...)
Além de MUITA pesquisa em livros, sites, etc, uso basicamente o computador que tem que ser bem potente porque os programas de arquitetura são pesados e exigem bastante da máquina. Caneta e papel sempre serão indispensáveis para anotar ideias e fazer croquis, que são desenhos bem esquemáticos das ideias.
Trena para medir, máquina fotográfica para registrar os espaços, celular para estar sempre em contato com os profissionais. Uma boa agenda com endereços de fornecedores é fundamental. Obs: Atualizando, diria que um smartphone bom e/ou um tablet são fundamentais.
Quais são os riscos da profissão?
São poucos os locais onde se consegue um emprego bom e bem remunerado, além disso tem poucos concursos para empregos estáveis. Um erro de projeto afeta o bolso do cliente e deve ser ressarcido. Além disso toda obra tem que ter uma (ART, anotação de responsabilidade técnica, perante o CREA que é o Conselho que regulamenta a profissão) uma RRT, registro de responsabilidade técnica, perante o CAU que é o conselho que regulamenta a profissão . Ela implica em responsabilidade profissional, civil, trabalhista, ou seja, é preciso que se seja muito responsável com o que se faz.  

OBS: Depois que escrevi essa post os arquitetos conseguiram ter seu próprio Conselho Profissional, uma luta de décadas.

Quais são os benefícios da profissão?
Fazer as pessoas se sentirem felizes com espaços mais belos e mais funcionais, é muito gratificante. Como é uma profissão que exige muitos conhecimentos, os arquitetos se tornam profissionais bastante polivalentes e isso é muito bom em um mercado de trabalho que está sempre mudando.

Qual é o local de trabalho mais usado?
Qualquer um que aguente um bom notebook e banda larga. Hoje pode-se trabalhar em qualquer local. Mas normalmente é bom ter um espaço para colocar livros e documentos, e isso pode ser inclusive na sua casa. Muitos arquitetos trabalham em casa. 
O que você mais gosta na profissão?
Poder realizar sonhos das pessoas e ao mesmo tempo expandir a criatividade.

O que você menos gosta na profissão?

A pouca segurança financeira e o pequeno valor pago aos honorários de projeto. E também depender de terceiros na execução das obras, a gente tem que quebrar galhos e resolver problemas que nem sempre a gente cometeu e isso é desgastante.

Bem, aí vai explicado de maneira bem simples e direta um pouco da rotina de um arquiteto profissional liberal. Lógico que existem muitos campos na Arquitetura que é uma profissão bastante complexa. Mas seja lá em que campo se for atuar, o mais importante é ter paixão por criar, é ter tenacidade para buscar a melhor resposta, é ter curiosidade de saber como funciona e ter a inquietude de procurar sempre. 
"Um arquiteto tenta projetar espaços com razão e sensibilidade.
Tenta transformar sonhos de vida em paredes e cores, luzes e nuances que se tornarão realizáveis com o passar das horas de um dia. Um arquiteto tenta conceber aquilo que se antevê apenas em sonhos. "
Arq. Elenara Stein Leitão
 

Comentários

  1. não encontrei explicação melhor. muito bom! parabéns! você deve ser uma excelente profissional. ganhou uma admiradora! :)

    ResponderExcluir
  2. Eu realmente gosto do que faço, Nô.

    Beijos e obrigada

    Elenara

    ResponderExcluir
  3. Compartilho contigo e te felicito.
    Tanise

    ResponderExcluir
  4. NOSSA! FANTÁSTICO!

    pesquisei em muitos lugares e só encontra muitos textos cheios de "frufrus" e que não respondiam em nada minhas duvidas

    gosto muito de arquitetura... de bolar espaços e tudo o mais

    mas não consigo gostar da burocracia
    o que eu posso fazer?
    fazer arquitetura e trabalhar em sociedade? ou tem alguma area ou curso que se volte só pra parte boa , que é a arte?

    um abraço e tudo de bom pra vc!

    ResponderExcluir
  5. Olha, se tu achar um jeito de só trabalhar com a parte boa me avise. Tudo na vida tem a parte que fluiu que é leve e apaixonante. E a parte burocrática. Sabedoria é saber disso, e saber conviver com as duas, reunindo energia na boa para levar a menos boa,
    Boa sorte !
    Abraços

    ResponderExcluir
  6. pesquisei mt na net, videos no youtube e vi mttttt gente reclamando que na faculdade é T E R R I V E L . comer mal , não ter tempo , dormir mt tarde passar a madrugada nas maquetes ..vi mt gente chamando de Arquitortura.... bom eu sou mt nova mais queria cursar arquitetura no futuro , só que pelo jeito vou escolher outra coisa . vale mesmo apena ? é tão ruim quanto falam ?

    ResponderExcluir
  7. Natália, sim a rotina de um estudante de arquitetura é cheia de noites mal dormidas, de MUITO trabalho, de algumas frustrações. Mas...os que gostam da profissão entendem que isso faz parte do processo. Por isso, segue a voz do teu coração. Se ler tudo isso te arrepia, vai em busca de outra coisa. Se ainda assim tu sentir que o TEU caminho, abraça com paixão. Abraços e boa sorte

    ResponderExcluir
  8. Elenara, obrigada por compartilhar a rotina de um Arquiteto. Eu estou pensando em cursar Arquitetura e seu texto foi simplesmente o melhor que achei na net, e olha que eu pesquisei muito hein rs.
    Em toda profissão nos deparamos com contratempos que precisam de paciência e vontade para serem resolvidos, mas isso não tira o seu brilho.
    Eu já me vejo como Arquiteta e tenho certeza que futuramente vamos trocar figurinhas.
    Boa sorte na sua profissão.
    Bjos

    ResponderExcluir
  9. Parabéns, foi o texto mais esclarecedor que li. Todos os outros parecem um texto padrão. Obrigada.

    ResponderExcluir
  10. Angelica e asiana, obrigada pelos comentários. É sempre bom contar com a opinião de vocês. Abraços

    ResponderExcluir
  11. Oi Elenara, tudo bem?? Realmente muito obrigada, vc me ajudou muito. Eu amo Arquitetura, sei que o dia a dia da profissão é difícil, mas acho que um risco muito maior é fazer o que não gosta apenas por dinheiro, risco de frustração. Então estou decidida a entrar nesse curso, simplesmente porque não me vejo fazendo nenhum outro, minha pergunta é: você faria de novo Arquitetura? Mesmo com todos os perrengues e dificuldades? É isso, obrigada e sucesso sempre!

    ResponderExcluir
  12. Puxa Bárbara, tu me fez parar e pensar. Bastante. Tanto que vou te responder na postagem de hoje (11/11/2015). Sim, acho que faria sim Arquitetura de novo, mas faria algumas coisas diferentes. Quer ver quais? Tá lá no blog. E super obrigada pela pergunta. Sucesso nas tuas escolhas. Beijos, Elenara

    ResponderExcluir
  13. Ótimas palavras! Parabéns e que tudo melhore a cada dia em sua vida!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Sua opinião é super importante para nós ! Não nos responsabilizamos pelas opiniões emitidas nos comentários. Links comerciais serão automaticamente excluídos

Postagens mais visitadas deste blog

Slim Fit, uma micro casa que tem muito espaço

  Uma micro casa vertical de 50m², vencedora do Design Awards 2018 na cateHabitat, chamada de SLIM FIT House pela arquiteta portuguesa radicada na Holanda, Ana Rocha , é uma proposta de moradia permanente para pessoas que moram sós nas grandes cidades. Segundo o site da arquiteta, a micro-residência, que ocupa menos que duas vagas de estacionamento, tem como conceito ser projetada " para o grupo crescente de solteiros que preferem a localização ao invés do tamanho, e que desejam viver de forma compacta, mas confortável, durável, cheia de identidade e, acima de tudo, centralmente em contextos urbanos." A casa vertical joga bem com a equação sensação de espaço e economia de metragem. Setoriza área de alimentação, refeições e despensa no térreo. Uma escada, sutilmente mesclada a um armário estante faz a ligação aos outros andares. No segundo, um estar e dormitório e banheiro no terceiro.     Fotos: Christiane Wirth Nos siga também nas redes sociais Twitter   Flipboard   Faceboo

Redes sociais, o aprendizado e as interações perdidas e achadas

Sim que a vida digital trouxe uma série de vantagens em nossas vidas. Posso ser jurássica e em muitos casos, ainda analógica, mas amo uma interação social e profissional virtual. Um dos grandes locais onde conheci vários amigos super queridos, profissionais, que tanto me acrescentaram, foi o grupo de Arquitetura do Yahoo. Lembro até hoje quando li em uma revista de arquitetura sobre ele, me inscrevi e lá estava eu no meio de debates de todas as matizes e locais. Por isso senti profundamente quando os grupos daquela plataforma foram extintos.  Leia também  Nuvem passageira Por sorte, também sou acumuladora em redes virtuais . Meu espaço de email guarda uma série de debates desde 2005. Às vezes volto a eles e constato o quanto tem de assuntos relevantes, inclusive para os dias atuais. Fazendo uma breve reflexão tendo a pensar que, nesses 15 anos de interação virtual e convivência em redes, perdemos muito em profundidade de debates, embora tenhamos crescido em possibilidades. Lógico que f

Transformando um problema em solução - impressão 3D

Uma cabana feita com impressão 3D usando concreto e uma madeira que era imprestável, porque destruída por um inseto invasor, é o projeto realizado pelos professores de arquitetura, Leslie Lok e Sasa Zivkovic, da Cornell University. O Emerald Ash Borer é um besouro que ataca bilhões de freixos em todos os Estados Unidos e as inutiliza para o uso comercial. fazendo com que as árvores infestadas sejam queimadas ou simplesmente largadas como refugo. Foi pensando neste problema que os pesquisadores da HANNAH chegaram a essa solução de aproveitamento da madeira para construção. Para tanto construíram uma plataforma robótica para processar essa madeira que seria descartada. Como isso foi feito? Usando um braço robótico que antes construía carros e foi adaptado para dar forma à madeira, aliado a um sistema de impressão 3D que usa uma quantidade mínima necessária de concreto. O resultado? Fotos: HANNAH / Andy Chen / Reuben Chen Nos siga também nas redes sociais Twitter   Flipboard   Facebook  

Dicas para economizar na conta da luz

  Não bastasse os sustos do ano, os gastos do fim dele (ufa!) que não são apenas presentes, mas impostos, 13°, etc, etc, vamos ter também bandeira vermelha nas contas de luz. A Agência Nacional de Energia Elétrica já tomou essa decisão, que começa a vigorar no começo de dezembro.  O verão se aproxima com promessas de muito calor, estamos usando muitos aparelhos em casa para manter nossa rotina e trabalho seguindo. Então o que podemos fazer para economizar e não levar (tanto) susto na hora de pagar a conta?    Consciência Em primeiro lugar: consciência. Parece básico, mas não é. Sabe aquele ato automático de abrir a geladeira e ficar pensando no que vai comer? Ou beber? Não faça. Deixar acesas luzes em ambientes onde ninguém está. Apague. Lembro sempre do meu pai que nos incutiu essa cultura do não desperdício desde pequenos. Assimile e passe adiante. Splits e ar condicionado Este será um verão atípico porque muitas vezes teremos que abrir mão de ventilação mecânica em função da pandemi