MG08 habitação flexível

Imagem
Habitar uma casa movimenta uma série de sonhos e emoções. Possuir uma casa evoca ancestrais desejos de segurança. Mas nem sempre as necessidades permanecem as mesmas. As situações de fora e de dentro se modificam e pedem espaços que sejam flexíveis. A Maria Guerrero, também conhecida como MG08 em Madri, projetada pelo Studio Burr , foi pensada para ser uma habitação que possa ser transformada de acordo com essas novas necessidades dos moradores.   María Guerrero é uma casa que nasceu dividida em duas. Para poderem arcar com os custos de aquisição e construção, os habitantes deste empreendimento iniciam a sua vida neste espaço ocupando metade da casa e alugando a outra metade como habitação independente. Apesar da narrativa interessante, me pareceu muito com essas casas geminadas onde se coloca uma parede no meio, que pode ser removível se houver interesse em unir os espaços. Algo que já vem sendo usado e que, com um nome interessante, chama mais a atenção.  Segundo o site dos arquiteto

Lar

Essa nossa ligação com o lar é uma coisa muito forte. Porque não só são paredes ou nuvens, é ninho. É aconchego, sonho, recordação, futuro. Por isso mexe tanto com a gente. Mexe com as nossas emoções mais profundas.

Me lembro que eu sempre me mudei muito e por isso não tinha turma. Esses amigos que a gente conhece na infância e nos acompanham por toda a vida. As minhas coisas eram embaladas muitas vezes e quem disse que as encontrava no novo lar ? Em compensação tinham novas descobertas. novos desafios. Enfim, perdia de um lado, ganhava de outro.

Com a maturidade fui aprendendo que a maneira de olhar o mundo faz toda a diferença. Em vez de olhar pelo lado da perda, procuro olhar pelo lado do desafio, da descoberta. Do novo. Do que achar melhor olhar.

Somos bichinhos carentes, feito gatinhas que gostamos de fazer ronron e nos aninhar perto de um fogo quentinho. Se soubermos fazer de nosso lar esse cantinho, teremos achado o caminho das estrelas. Teremos feito nossa casa das nuvens aqui mesmo.

E aí ajudam aquela vozinha interna que nos leva ao contato conosco, nossa essência. Quanto mais perto estivermos dela, e a satisfizermos, mais perto estaremos da harmonia.

Comentários

  1. Não chore porque já terminou, sorria porque aconteceu

    Gabriel García Marquez

    ResponderExcluir
  2. Gostei dessa reflexão..eu também me mudei tantas vezes na vida, até perdi as contas..e também perdi muitas lembranças, aquelas materiais, que me faria exercitar uma parte do cérebro.. Acho que por isso, guardo tudo daqui para a frente...até folha seca que peguei no parque num dia de passeio com minha filha... agora que estou fixa no meu lar..feito a tal gatinha ronronando. Adoro meu cantinho. Beijos..ah! adorei as borboletinhas cor de rosa.

    ResponderExcluir
  3. Olaa! gostei do blogs hshshs. sim é lindo esse encontro com o lar. E sendo arquiteta é lindo a forma que você passou. Eu moro só , e esse encontro com migo mesmo, me trouxe algo muito rico , e que somente eu posso descobri, e somente em casa eu passo ter esse encontro. parabens! tenhauma boa semana

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Sua opinião é super importante para nós ! Não nos responsabilizamos pelas opiniões emitidas nos comentários. Links comerciais serão automaticamente excluídos

Postagens mais visitadas deste blog

Ideias de como usar nichos para decorar seus espaços

Gavetas e detalhes que fazem diferença na cozinha

10 ideias de almofadas e afins para gateiros