Publicidade

Postagem em destaque

10 Lições que aprendi na faculdade de Arquitetura

Recebo algumas correspondências falando de como os leitores gostaram dessa ou de outra postagem aqui do blog. E sempre fico super feliz! É ...

13.12.16

Natal de última hora - DIY

Natal. Como sempre essa época do ano me tira um pouco dos eixos. Faz tempo que deixei de me entusiasmar muito com o Natal. Foi um dos "presentes" de alguns deles passados em hospitais. Mas curto ver como as pessoas se alegram e continuam a festejar e a manter as tradições natalinas.

Manter as tradições. Uma das coisas mais importantes de qualquer civilização. Estou lendo agora o livro de Amós Oz - os judeus e as palavras - e uma das coisas que me chama a atenção é a importância de contar e recontar as histórias e as tradições em um povo que o autor define como sendo sem geografia e sem arquitetura. O sem arquitetura é visão minha de um povo sem palácios ou obras que ainda restem para sedimentar sua cultura.

Eu venho de tradições europeias católicas por parte de mãe. E acho que vinha dela esse resgate dos Natais que deve ter tido em sua infância. A família de meu pai era muito pobre. Meu avô paterno morreu cedo e deixou minha avó, muito nova, com quatro filhos pequenos. O mais novo tinha quatro meses. Naquela época uma das únicas ocupações das mulheres era costurar. E foi assim que minha avó criou seus filhos. Os Natais eram festas de outros. Dos que podiam comprar presentes. Para eles era festa religiosa. Coisa que a cabeça de meu pai, menino, guardava uma mágoa por se sentir diferente.

Talvez por isso tenha aderido aos Natais festivos de minha mãe, E sempre muito cheios de presentes e comidas. Meu pai era festeiro. Adorava estar com as pessoas, contar histórias e compartilhar.

Natal é então para mim, festa que mistura simbolismos. Mais que Noéis vindos da China, gosto dos enfeites feitos em casa, gosto dos biscoitos de Natal feitos em família. Gosto dos presépios e a mensagem de esperança que nos passam. Gosto dos presentes que foram pensados na gente, não importa o tamanho nem o custo. Gosto dos cartões e da palavra escrita. Seja a da gente, seja em forma de livros (sempre um dos melhores presentes).

Pensando nesses Natais, tão mágicos e humanos, reuni alguns enfeites que se podem fazer em casa. Seja para os mais atrasados, seja para os que sempre curtem um lado pessoal nas festas.   

Fonte
 Metais. Restos de material de obra podem ser novas árvores que enfeitam uma mesa, um aparador...
Fonte
Simples adesivos coloridos podem dar todo um ar de Natal para a sua casa ou escritório.
Fonte

Duas ideias bacanas para quem tem gatos e sabe o que eles fazem nas árvores de Natal! Usar uma foto bem bacana na parede e/ou montar uma forma que se assemelhe a um pinheirinho com prateleiras e colocar luzes e enfeites.

Fonte
Usar restos de canos de PVC que sobrou da obra pode ser uma ideia bacana de fazer uma árvore. Com a vantagem de ser resistente aos bebes e gatos.   

Fonte
 Achei essa sugestão tão simpática! Pode ser montada em cartolina e revestida com tecidos ou papel adesivo. 
Fonte
Outra ideia bacana e super simples de fazer: usar bolas de isopor e revesti-las com tecido em cores sugestivas. Arremate com fitas e galhos (e podem até ser de temperos se for usado no dia para não murchar).
Fonte
Empilhar caixas (que nem precisam ser as dos presentes) com papel de embrulho (ou jornal, ou mesmo tecido) e adornar com uma linda fita colorida e com alguns galhos e bolas, fazem uma sutil árvore de Natal para a sua casa. (Não tem caixas? Peça no super mercado mais próximo de sua casa. Ou melhor, as traga com as suas compras, sem usar sacos plásticos)  

Leia também:


Nos siga também nas redes sociais

snapchat: arqsteinleitao 

Comentários
0 Comentários

0 Opiniões:

Publicidade

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More