Pular para o conteúdo principal

Leonardo da Vinci e o foco no que se faz

Leonardo, aquele rapaz de Vinci na Itália que se tornou célebre pela Mona Lisa e pelo homem vitruviano, entre outras coisinhas que criou e projetou em sua vida. Obviamente que estou sendo levemente irônica ao fazer esta descrição de uma pessoa que pode ser considerado um gênio ou um grande construtor de si mesmo, já que autodidata e profundo pesquisador das coisas que despertavam seu interesse. E não é que, participante de mais um instigante almoço Clio, me dou conta que pouco sabia de sua história?    

O único livro que tinha sobre ele era de uma coleção sobre homens que mudaram o modo de pensar da humanidade. Não lembro quando eu comprei nem onde porque, ao contrário da maioria dos meus livros, não sublinhei nada e não coloquei datas. Mas as páginas meio caídas do livro revelam que li e reli bastante. Por que entre Einstein, Chaplin, Freud, Picasso, Buda, Marx, Nietzsche, Gandhi, Darwin, Maquiavel e Jung que lhe faziam companhia na coleção, escolhi justo ele? Uma porque, com exceção de Darwin, Nietzsche,Picasso e Marx, os outros já me tinham merecido uma leitura maior. Outra talvez pela imagem icônica do homem vitruviano e pela sua capacidade inventiva numa época em que eu já estava na graduação de arquitetura.


Nessa mesma época comecei a ler Fritjof Capra (sim, começo a lembrar da época, tipo final dos anos 70, começo dos 80 até o final). Foram anos de intensa leitura e buscas. Dois assuntos me focavam, fora os livros técnicos de arquitetura: Psicologia e a união do pensamento oriental com o ocidental. Mas nada muito aprofundado porque sou dessas de ter vários interesses e começar muito. Finalizar é que me custa mais.


Instigada pelas dicas de leitura do Professor Francisco Marshall, palestrante do almoço Clio, não resisti e voltei ao Fritjof Capra, agora com foco na Ciência e Alma de Leonardo da Vinci.

Ainda estou na leitura inicial então não vou me aprofundar sobre sua vida. Vou ressaltar algo que me chamou a atenção sobre o que o fazia diferenciado e precursor do que hoje chamamos de pensamento sistêmico e holístico.

Segundo o Capra, há um conjunto de atributos mentais que caracterizam pessoas consideradas geniais, além do obvio talento para alguma coisa. E que seriam atributos de Leonardo.

  • Intensa curiosidade 
  • grande entusiasmo pela descoberta e entendimento
  • Capacidade de se manter profundamente concentrado por longos períodos de tempo
  • habilidade para memorizar consistentemente grande quantidade de informações  

E aí chegamos ao nó de nossos dias. Nós, pobres mortais, que não somos gênios ou excepcionalmente brilhantes não só somos encharcados com um número imenso de informações diariamente como conjugamos esforços repetidos para comportamentos que nos tiram a atenção em algo para conseguir atenção para nós. É o que fazemos nas redes sociais e na navegação na web. Pessoas mais antigas como eu, que conviveram com o mundo antes da rede, sabem a diferença que isso custa em se aprofundar sobre qualquer assunto. 

Por isso achei bastante interessante esse TED Talk curtinho onde o ator Joseph Gordon-Levitt fala sobre uma sensação que traz muita satisfação pessoal e incrementa a criatividade: o ato de prestar atenção.


E fazendo um loop do TED para Leonardo, penso que um homem, vivendo na transição dos anos 1400 para 1500, sem uma educação formal, conseguiu se aprofundar em conhecimentos, retratar isso em imagens altamente elaboradas que foram fruto de horas e horas de pensamento focado e pesquisa incessante, não descansando enquanto não achava o seu ponto ideal. Às vezes nunca o achando, mas pegando suas observações e transformando em projetos altamente elaborados em imagens que nos fascinam até hoje. Essa mente fervilhante teria conseguido tal realização se parasse de tempos em tempos para causar em redes sociais? 

Sei que é uma analogia meio sem sentido e que as mentes brilhantes de hoje continuam a fervilhar. Talvez um pouco mais segmentadas e esquecendo uma visão mais global de análise do todo e não apenas das partes.

Talvez tenhamos que parar um pouco e prestar atenção. 

   
Gostou? Compartilhe e nos siga também nas redes sociais
Twitter Flipboard Facebook Instagram Pinterest

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Como utilizar cortinas na decoração

Hoje temos postagem de convidados. O Cesar Fernandes da Tibério Construtora
vai nos falar sobre como utilizar cortinas na decoração.


Cortinas são fundamentais para diversos ambientes do seu lar. Além de transmitir uma sensação de amplitude ajudam a controlar a entrada de luz. E ainda dão um up no visual de qualquer ambiente. A decoração com cortinas pode parecer óbvia, mas é uma das formas mais práticas de renovar um ambiente.
Tamanho Para causar uma sensação de amplitude invista nas cortinas que começam pelo menos 15 cm antes da borda da janela e vão até o chão. Na verdade o tamanho vai depender muito do ambiente. Há casos em que pode-se usar todo o vão da parede. A altura que ela fica do piso da sua casa pode ser de sua escolha mas como o objetivo é dar um ar de maior extensão para a parede, recomenda-se que fique junto ao piso. Leve em conta que há tecidos que podem encolher em lavagens. As vezes é melhor fazer um pouco maiores para que não fiquem pequenas na manutenção. 
CoresNão exis…

Gavetas e detalhes que fazem diferença na cozinha

Organizar. Sempre um desafio na hora de planejar móveis e espaços. E um dos locais onde mais precisamos de locais coringas para guardar coisas são nas nossas cozinhas. 
Haja gavetas, nichos, cantinhos que podem ser aproveitados para os mais diversos usos. Separei algumas ideias para inspiração Aproveitando rodapés: Muitos colegas tem optado por fazer os rodapés de armários de cozinha em alvenaria e revestir a frente com pedras ou cerâmicas. É uma solução pratica principalmente pela limpeza e umidade. Mas se sobrar espaço e a opção for usar rodapés, eles podem ser usados para guardar várias coisas. (Confesso que não sei se são o melhor local para guardar vinhos, mas quem sabe...)   Porta trecos e panos de prato: Eles são super práticos porque aproveitam espaços pequenos e estreitos e guardam aquelas coisas meio feias quando ficam à vista. Não recomendo guardar panos de prato úmidos. E esse porta facas abaixo, ao lado do fogão, é super prático!  
Outro exemplo de aproveitamento de canto par…

10 ideias de almofadas e afins para gateiros

Festas....fiquei aqui arquitetando postagens bem suaves e lindas para esses momentos. Hoje resolvi brindá-los com 10 adoráveis ideias para almofadas, pesos de porta, mobiles e outras utilidades para amantes de gatos.

Nós, os gateiros, somos uma população em ascensão no mundo. Esses seres peludos, cheios de personalidade e amor próprio nos arrebatam. Adoramos mimá-los. E eles adoram que a gente os mime....uma parceria perfeita

1- Petit Pois e gatos. Uma dupla perfeita. Ambos sempre elegantes e cheios de charme! 
2- Mobile. Adoro! Mesmo já crescida, acho que não precisam ser só adorno de quartos infantis (meu lado criança, fazer o que????). Esse aí de cima, por exemplo, achei um mimo. 
3- Quem não ia querer entrar nessa casa tão felinamente convidativa??? Quero um para a minha porta! 
4- Patchwork e gatos!!! Tudo a ver também. lembra borralho, fogo, casa da vó e tudo isso lembra aconchego. E nada mais aconchegante que a figura de um gato, pachorrento, deitado ao pé do fogo. (Gateiros enten…

O que seria o tal conceito no projeto de arquitetura?

Uma das coisas mais importantes para que uma edificação possa ser considerada arquitetura é ter um conceito, uma proposta. E isso só é possível se existir um programa para AQUELE problema, AQUELE cliente, AQUELE terreno. É a partir desses condicionantes que o arquiteto pode gerar uma solução que seja a mais adequada possível. Elenara Leitão - arquitetura é mais que desenho.Tenho para mim que um dos maiores desafios da profissão arquitetura seja definir com consistência um conceito e segui-lo com coerência até o resultado final. 
Mas o que seria exatamente o conceito de um projeto arquitetônico?Há quem o defina como a ideia mestra que vai nortear as decisões projetuais. Aquela ideia que surge da reflexão sobre os condicionantes estudados para muitos. Ou um insight milagroso que surge da mente do projetista e que vai gerar formas ou padrões que tragam algum significado, para outros.

Podemos ver pelas frases de arquitetos muitas de suas ideias mestras que geraram os conceitos de seus proje…