Pular para o conteúdo principal

Quais as melhores cidades brasileiras para idosos e idosas?

Envelhecer não é um processo dos mais fáceis em uma sociedade que glorifica a juventude. Tudo bem que hoje, nós os idosos ou adultos que já passaram das seis décadas de vida, não somos mais como os vovózinhos de antigamente. Não precisamos deixar de fazer coisas que gostamos, muitos de nós somos autônomos, saudáveis e mesmo nossos corpos são cuidados com maior afinco que anos atrás. Mas mesmo com todos estes avanços, não somos mais jovens. Por mais que nosso olhar brilhe como se ainda fossemos crianças descobrindo a vida! E somos cada vez mais numerosos...

O envelhecimento sistemático de quase todas as sociedades urbanas indica a possibilidade de a geriatria crescer mais do que a pediatria em futuro próximo. Leandro Karnal  
Como estamos preparando nossas cidades para estas gerações mais longevas?
 Pixabay
Não seria interessante se os gestores de nossos municípios contassem com indicadores para mostrar como estão as cidades grandes e pequenas em vários quesitos como educação, bem estar, cuidados com a saúde, com gráficos que mostrem onde a cidade está bem e onde precisa melhorar? 

Pois fiquei sabendo de um índice que pesquisou as condições de quase 500 cidades brasileiras, grandes e pequenas, para mostrar como atendem às necessidades da população mais idosa. É o IDL

O Índice de Desenvolvimento Urbano para Longevidade – Instituto de Longevidade Mongeral Aegon/FGV (IDL) é um instrumento de medida do grau de preparação dos municípios brasileiros para o envelhecimento de suas comunidades. Fruto da parceria entre o Instituto de Longevidade Mongeral Aegon e a Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getulio Vargas (FGV/EAESP), por meio do IDL são reveladas as atuais condições de 498 cidades brasileiras, tendo em vista sua capacidade de atender às necessidades básicas de vida, destacadamente dos adultos mais idosos.
 Como exemplo vou mostrar o caso de Porto Alegre, a cidade onde moro, e que está muito bem no ranking (3ª) para pessoas dos 60 aos 75 anos. E 7ª para acima dos 75 anos. Vejam AQUI os resultados. 


  • IDL
  • Cidade Mediana
  • Cidade Vencedora

Pela imagem acima podem ver que a capital dos gaúchos é relativamente bem equilibrada. Seu ponto alto é no quesito habitação para idosos e o seu ponto mais falho é em educação e trabalho.

Os pontos positivos de Porto Alegre, segundo o estudo são:
A cidade possui liderança nas questões relativas a Habitação consideradas no Índice de Desenvolvimento Urbano para Longevidade – Instituto de Longevidade Mongeral Aegon/FGV, especialmente por possuir a maior quantidade de condomínios residenciais dedicados a idosos. Na temática de saúde, Porto Alegre apresenta-se em destaque, ocupando a sexta posição, essencialmente por possuir o maior número de enfermeiras por habitante, entre as 150 maiores cidades do país. Porto Alegre também se destaca positivamente pelo desempenho em questões relativas à cultura e ao engajamento das pessoas, fazendo a cidade ser um lugar vibrante e ativo. A cidade exibe um dos menores índices de idosos que dependem de seus parentes, e é uma das cidades com maior número de cinemas.
E os pontos que devem ser melhorados são:
A concentração de renda apresenta-se um aspecto crítico para a cidade de Porto Alegre, que se encontra entre as 20 cidades de pior distribuição de renda, entre as 150 maiores cidades do país. No campo da educação a cidade tem espaço para avançar, especialmente em dois eixos: aumentar o número de pessoas matriculadas no ensino superior e reduzir a taxa de distorção entre idade e série. Em que pese ser a terceira cidade de melhor desempenho em Cultura e engajamento, possui baixa taxa de casamentos envolvendo idosos.
A metodologia usada pode ser encontrada AQUI. E entre as cidades grandes a melhor avaliada em termos gerais é Santos (SP) e entre as pequenas é São João da Boa Vista (SP).

Dica do professor arquiteto Jorge Costa

Mais artigos sobre idosos AQUI

Nos siga também nas redes sociais

Twitter Flipboard Facebook Instagram Pinterest


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

13 ideias para quem ama gatos

Há pouco passou uma sexta feira. Era 13. Gosto das sextas feiras. Gosto do 13. Gosto dos gatos. Gosto dos gatos pretos, esses que tanto foram perseguidos como companheiros de bruxas.

Gatos são da casa -repetem como mantra os que não conhecem os gatos. Os gatos são deles mesmos. E de quem os conquistar. Ou de quem eles resolverem amar. 

Amor de gato é diferente do amor de cão. E não menos dramático. Gatos não toleram atrasos. Não aceitam menos que a nossa entrega. De preferência sem muito chamego, a não ser na hora que desejam. 

Gatos são hedonistas por natureza. Existem para viver com languidez e serem acariciados. Mimados. Paparicados. Gatos são aristocratas. Mesmo que revirem latas de lixo. 

Desconfiem da humildade felina. Ao primeiro toque de boa vida, se tornam preguiçosamente orgulhosos.   
“Um gato vive um pouco nas poltronas, no cimento ao sol, no telhado sob a lua. Vive também sobre a mesa do escritório, e o salto preciso que ele dá para atingi-la é mais do que impulso para a cultu…

Ideias simples que ajudam muito

Muitas vezes a gente fica pensando em soluções mirabolantes para a casa da gente e esquece de ideias simples que ajudam bastante. Reuni algumas delas aqui

Uma gaveta bem colocada na lavanderia auxilia muito a tarefa de colocar as roupas na máquina.  Procure soluções que forneçam apoio para bacias, para cestos e simplifiquem sua vida nas tarefas de limpeza da casa. Aproveite espaços que ficariam sem uso. Essas práticas gavetas para guardar esponja e sabão são um exemplo.
Outra ideia de aproveitamento de espaço inútil. A área ao lado e na frente das cubas. Vejam que foi usado material impermeável e assim podem ser guardados os utensílios de lavar louça que são molhados. 
Usar porta toalhas em portas ajuda na organização.

Um lugar para cada coisa, cada coisa em seu lugar. Na hora de cozinhar é preciso achar com praticidade tudo o que se precisa. Uma boa solução é fazer um gavetão para esses utensílios e dispô-los em locais práticos e de fácil acesso.  Pratos podem ser colocados para sec…

Coifa, exaustor ou depurador? Saiba qual é a melhor opção para a sua cozinha.

Quem já não passou por isso: Você está cozinhando e quando nota tem fumaça por todo lado, muito calor, além do cheiro da comida se espalhando por outros cômodos da casa. Isso acontece principalmente quando fritamos algum alimento. Para evitar situações como essa, existem depuradores, exaustores e coifas. Mas você sabe o que cada um faz e qual o melhor para o seu tipo de cozinha?

Confira a diferença entre eles e veja o que melhor se adéqua a sua necessidade:

CoifaA coifa tem como função sugar o ar, filtrá-lo e expeli-lo para fora da cozinha por meio de tubos de saída que podem ser instalados no teto, em paredes ou em forros. Ela elimina não somente a gordura e outros odores do ambiente, mas também “renova o ar” da sua cozinha.
Dependendo de onde está localizado o fogão, você pode optar por coifas de parede ou em formato de ilha, que ficam no centro da cozinha. Atualmente, existem coifas para todos os gostos e com designs bem modernos que se adaptam a qualquer tipo de decoração.

Recomenda-…

Círculo da Vida - arquitetura viva

Imagine uma série de construções que sigam o ciclo da natureza de vida, que possam crescer, florescer e fenecer como qualquer organismo vivo. É a ideia por trás da Arquitetura Viva ou botânica construtiva como alguns chamam. Falei sobre este conceito em Arquitetura Orgânica.
E enquanto pesquisa o site dos arquitetos do Obvious Avoid (falei sobre eles na postagem sobre ensinar crianças a pensar como arquitetos) encontrei essa proposta do Círculo da Vida que eles mesmos descrevem como "uma coleção de construções sustentáveis ​​feitas para celebrar a arte, a natureza e a ciência. "
Através de um centro de aprendizado a ser feito em uma floresta mexicana, as pessoas poderiam participar e compreender a natureza em todos os seus processos, tanto de vida como de morte. E onde o local não será apresentando como uma proposta fechada, mas como um processo em crescimento natural.
Os sete passos do ciclo proposto são:
Encontrar e recolher árvores caídasConfeccionar produtos de madeiraUsar p…