MG08 habitação flexível

Imagem
Habitar uma casa movimenta uma série de sonhos e emoções. Possuir uma casa evoca ancestrais desejos de segurança. Mas nem sempre as necessidades permanecem as mesmas. As situações de fora e de dentro se modificam e pedem espaços que sejam flexíveis. A Maria Guerrero, também conhecida como MG08 em Madri, projetada pelo Studio Burr , foi pensada para ser uma habitação que possa ser transformada de acordo com essas novas necessidades dos moradores.   María Guerrero é uma casa que nasceu dividida em duas. Para poderem arcar com os custos de aquisição e construção, os habitantes deste empreendimento iniciam a sua vida neste espaço ocupando metade da casa e alugando a outra metade como habitação independente. Apesar da narrativa interessante, me pareceu muito com essas casas geminadas onde se coloca uma parede no meio, que pode ser removível se houver interesse em unir os espaços. Algo que já vem sendo usado e que, com um nome interessante, chama mais a atenção.  Segundo o site dos arquiteto

Pavilhão de livros - uma experiência imersiva e mágica

Livros...a experiência não apenas de ler, mas folhear ludicamente as páginas que se mostram a nossa frente para uma experiência muito sensual de descoberta, de desnudamento, de ânsia de sentir enquanto lê.

Uma experiência diferente da leitura em meios digitais. Talvez por isso muitas pessoas não se acostumem com manusear um leitor de ebooks. Não me incluo nelas, mas mantenho sim um fascínio imenso e muito maior pelos livros impressos. 

E como manter esse fascínio aceso e colocar o livro ao alcance de um número maior de pessoas? E como chamar a sua atenção nesses tempos de tantos apelos? Foi isso que me despertou este projeto que o grupo Snøhetta projetou para um pavilhão de livros em Londres. 
Mesmo usando dos recursos de uma biblioteca como as que conhecemos, o conceito circular, feito com portas giratórias e rotativas feitas de latão patinado faz com que o leitor seja atraído e cooptado para uma armadilha do bem, já que o movimento das paredes criam espaços com as mais variadas sensações que tanto podem contemplar momentos mais silenciosos e íntimos, como encontros mais públicos.



Em cada livro do pavilhão há uma inscrição: 

"A leitura nos dá um lugar para ir. Um lugar para fugir. Este livro vive no Pavilhão do Livro Snøhetta em Paddington Central, mas sua história não termina quando você lê o último capítulo. Por favor, aproveite este livro e traga-o de volta para o Pavilhão do Livro de Snøhetta para que outra pessoa possa mergulhar na alegria da leitura."


Veja AQUI outros projetos do Snohetta que já publicamos

Veja também outro exemplo de pavilhão para leitura em Arquitetura do bem

Nos siga também nas redes sociais

Twitter Flipboard Facebook Instagram Pinterest
snapchat: arqsteinleitao

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ideias de como usar nichos para decorar seus espaços

Gavetas e detalhes que fazem diferença na cozinha

10 ideias de almofadas e afins para gateiros