Pular para o conteúdo principal

Co-lares ( Co-Housing) - antídoto para o isolamento

Com o aumento da expectativa de vida e com o crescente individualismo de nossas sociedades vemos que os idosos em especial acabam tendo que optar por locais de acolhimento, um eufemismo para os asilos de velhos, ou se tornando um peso para as novas gerações que tentam desesperadamente sobreviver. O aparato de gastos que um idoso e seus cuidados com a saúde acarretam fazem com que  muitos adultos mais próximos da maturidade pensem em alternativas mais saudáveis e mais prazerosas de vida. E a pergunta que se fazem é: quem sabe compartilhar nossas vidas com amigos? Uma das opções que ganha cada vez mais simpatizantes são as Co-housing ou abrasileirando as Co-lares.

As comunidades de Cohousing são bairros intencionais e colaborativos criados com um pouco de engenhosidade. Eles reúnem o valor das casas particulares com os benefícios de uma vida mais sustentável. Isso significa que os residentes participam ativamente do design e operação de seus bairros e compartilham facilidades comuns e boas conexões com os vizinhos. Em suma, representam respostas inovadoras e sustentáveis ​​para os problemas ambientais e sociais de hoje (cohousing.org)

Co-lares : perguntas e respostas 

Acima o link para um vídeo com vários esclarecimentos sobre o conceito de co-lares e suas experiências no Brasil.

Tenho notado que muitas pessoas demonstram interesse mas a implementação de uma convivência compartilhada é um processo que vai além da empolgação inicial. Não basta comprar um terreno, reunir pessoas e fazer (em conjunto) um belo projeto arquitetônico observando requisitos de sustentabilidade. É preciso uma mentalidade que vai além da que estamos mais acostumados. Por tudo o que leio e vejo, o CO das palavras tanto em inglês como português, exprimindo compartilhar, coexistir, cooperar, deve ser entendido e assimilado pelas pessoas que se propõem a tal experiência.


Para nós arquitetos, é um desafio fascinante. Afinal a Arquitetura é um dos requisitos fundamentais apontados nas experiências que já existem, seja em forma de bairros e/ou conjuntos de casas planejados em conjunto com as pessoas que ali vão morar, seja em habitações multifamiliares, edifícios, também planejados visando a convivência e o compartilhamento, não apenas de espaços, mas principalmente de convívio mutuo. 
Não por acaso isso é salientado no vídeo abaixo, onde uma arquiteta conta sua experiência de vida em uma co-housing multi-geração (ou seja, onde convivem pessoas de todas as idades). Um edifício que é aparentemente igual aos outros mas que tem uma área de convívio central, na forma de um espaço aberto, um poço de ventilação igual ao que temos em vários de nossos prédios. Mas ao invés de servir a uma habitação ou estar fechado, é uma praça que se une a um espaço de refeição comunitária. E o se reunir para comer em conjunto é muito salientado no vídeo como fator agregador. Ou seja, o espaço arquitetônico pensado na função de unir e não de isolar.  



Abaixo várias postagens do blog onde já falamos sobre experiências de habitação com propostas de compartilhamento com variadas propostas. Sugiro especial atenção à segunda que conta uma experiência holandesa que vem desde a época de 70 com sucesso.


Gostou? Compartilhe em suas redes sociais 
Nos siga também nos outros canais




snapchat: arqsteinleitao 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Como utilizar cortinas na decoração

Hoje temos postagem de convidados. O Cesar Fernandes da Tibério Construtora
vai nos falar sobre como utilizar cortinas na decoração.


Cortinas são fundamentais para diversos ambientes do seu lar. Além de transmitir uma sensação de amplitude ajudam a controlar a entrada de luz. E ainda dão um up no visual de qualquer ambiente. A decoração com cortinas pode parecer óbvia, mas é uma das formas mais práticas de renovar um ambiente.
Tamanho Para causar uma sensação de amplitude invista nas cortinas que começam pelo menos 15 cm antes da borda da janela e vão até o chão. Na verdade o tamanho vai depender muito do ambiente. Há casos em que pode-se usar todo o vão da parede. A altura que ela fica do piso da sua casa pode ser de sua escolha mas como o objetivo é dar um ar de maior extensão para a parede, recomenda-se que fique junto ao piso. Leve em conta que há tecidos que podem encolher em lavagens. As vezes é melhor fazer um pouco maiores para que não fiquem pequenas na manutenção. 
CoresNão exis…

Gavetas e detalhes que fazem diferença na cozinha

Organizar. Sempre um desafio na hora de planejar móveis e espaços. E um dos locais onde mais precisamos de locais coringas para guardar coisas são nas nossas cozinhas. 
Haja gavetas, nichos, cantinhos que podem ser aproveitados para os mais diversos usos. Separei algumas ideias para inspiração Aproveitando rodapés: Muitos colegas tem optado por fazer os rodapés de armários de cozinha em alvenaria e revestir a frente com pedras ou cerâmicas. É uma solução pratica principalmente pela limpeza e umidade. Mas se sobrar espaço e a opção for usar rodapés, eles podem ser usados para guardar várias coisas. (Confesso que não sei se são o melhor local para guardar vinhos, mas quem sabe...)   Porta trecos e panos de prato: Eles são super práticos porque aproveitam espaços pequenos e estreitos e guardam aquelas coisas meio feias quando ficam à vista. Não recomendo guardar panos de prato úmidos. E esse porta facas abaixo, ao lado do fogão, é super prático!  
Outro exemplo de aproveitamento de canto par…

10 ideias de almofadas e afins para gateiros

Festas....fiquei aqui arquitetando postagens bem suaves e lindas para esses momentos. Hoje resolvi brindá-los com 10 adoráveis ideias para almofadas, pesos de porta, mobiles e outras utilidades para amantes de gatos.

Nós, os gateiros, somos uma população em ascensão no mundo. Esses seres peludos, cheios de personalidade e amor próprio nos arrebatam. Adoramos mimá-los. E eles adoram que a gente os mime....uma parceria perfeita

1- Petit Pois e gatos. Uma dupla perfeita. Ambos sempre elegantes e cheios de charme! 
2- Mobile. Adoro! Mesmo já crescida, acho que não precisam ser só adorno de quartos infantis (meu lado criança, fazer o que????). Esse aí de cima, por exemplo, achei um mimo. 
3- Quem não ia querer entrar nessa casa tão felinamente convidativa??? Quero um para a minha porta! 
4- Patchwork e gatos!!! Tudo a ver também. lembra borralho, fogo, casa da vó e tudo isso lembra aconchego. E nada mais aconchegante que a figura de um gato, pachorrento, deitado ao pé do fogo. (Gateiros enten…

O que seria o tal conceito no projeto de arquitetura?

Uma das coisas mais importantes para que uma edificação possa ser considerada arquitetura é ter um conceito, uma proposta. E isso só é possível se existir um programa para AQUELE problema, AQUELE cliente, AQUELE terreno. É a partir desses condicionantes que o arquiteto pode gerar uma solução que seja a mais adequada possível. Elenara Leitão - arquitetura é mais que desenho.Tenho para mim que um dos maiores desafios da profissão arquitetura seja definir com consistência um conceito e segui-lo com coerência até o resultado final. 
Mas o que seria exatamente o conceito de um projeto arquitetônico?Há quem o defina como a ideia mestra que vai nortear as decisões projetuais. Aquela ideia que surge da reflexão sobre os condicionantes estudados para muitos. Ou um insight milagroso que surge da mente do projetista e que vai gerar formas ou padrões que tragam algum significado, para outros.

Podemos ver pelas frases de arquitetos muitas de suas ideias mestras que geraram os conceitos de seus proje…