Pular para o conteúdo principal

Ideias bacanas (e baratas) para decorar festas juninas

Das Festas Juninas da minha infância, quando morava no interior e em uma de pátio grande, me lembro principalmente das simpatias. Talvez porque morasse com adolescentes "casadoiras", era a faca na bananeira e a agulha no fio de cabelo que me chamavam a atenção. O Santo Antônio nem era citado, mas era ele e sua fama de achar marido que motivavam essas e outras brincadeiras.

Tinha fogueira. Tinha comedoria. Tinha risada e muita alegria.

Bandeirolas fazem a festa
Talvez a festa mais tradicional desse país, que une pessoas de todas as regiões, é herança dos portugueses. As festas "joaninas" em homenagem à São João. E também à Santo Antônio (o casamenteiro) e São Pedro. Desde cedo aprendi que cada região tem as suas peculiaridades. Usava pilcha gaúcha nas festanças daqui. Essa coisa de chapéu de roça e falta de dentes não fazia parte da realidade das minhas festas de infância. Mas tinha cocada, pé de moleque e muita bandeira.

Gostava demais das festas no colégio. Pescaria, barraca de beijos e prisão. Quanta alegria naquelas crianças que se reuniam no pátio da escola e se empaturravam de pipoca! Aqui no RS tinha pinhão. Mas desse eu não gostava não. Uma vez no colégio, bem pequeninha, caí numa casca de pinhão e ralei o joelho. Nunca mais nem olhei para eles...

Ideias para festejar? Nem precisa gastar muito! Basta um toque de criatividade, mãos na massa e muita vontade de ser feliz. 

Um pouco de pipoca, um molde de papelão. Cola e fitas vermelhas e olha o clima para o Santo Antonio no ar...já serve até para o dia dos namorados. Achei gracinha mas vou confessar para vocês. Sou louca por pipoca. Não posso ver um pacote que como TUDO! Acho que não conseguiria fazer esses corações. Ia preferir comer antes...mas enfim, para quem não sofre dessa compulsão #ficaadica 

Amor e pipoca

DIY
Chita e prendedor. Clássico e sempre bonitinho. Aliás adoro esse desenho de prendedor de madeira. Nunca achei um que funcionasse melhor, com mais durabilidade e funcionalidade. E que de quebra desse para aproveitar em muitas ideias criativas. É o que chamo de #bomdesign  
Prendedor de chita
Pescaria não pode faltar. Achei tão fofos esses peixinhos de tecido!!! Esses são para enfeite, mas dá para aproveitar a ideia e fazer uns com ganchinhos que possam ser pescados de verdade. Os brindes? Guloseimas e/ou bilhetinhos com frases lindas já alegram o coração. 
Pescaria
 Mesa linda e alegre! E com reaproveitamento de potes, garrafas pet e tudo o mais que for possível. E restos de tecidos bem coloridos colados e cordões de basbantes para as bordas e laços! Mais sugestivo impossível. 
Muita chita para enfeitar
Flores fazem a festa! Sempre. E para dar o clima da data, nada como cones de papel e/ou tecido colorido. Se tiver em casa, reaproveite. Se for comprar, pesquise nos retalhos que saem mais em conta.  
Flores
Bandeiras mil! Muitas e muitas bandeirolas. Se não fizer mais nada para enfeitar, use bandeiras. Eu costumava recortar revistas velhas e colar em barbantes. Mas se quiser sofisticar mais, use tecidos. Ou ainda juta com recortes que fica super charmoso!
Bandeiras em juta
Lanternas iluminam!  Adorei esse efeito, aqui foi feito com papel cartão recortado com estiletes. Eu não usaria velinhas, sei lá, sou traumatizada desde que uma árvore de Natal pegou fogo com enfeites de velas. Uma lãmpada talvez, ou um material incombustível...mas que ficou charmoso, isso ficou. Dica: quando se inspirar em uma ideia procure olhar todas as possibilidades e veja se é viável à sua realidade. E nunca esqueça da segurança. 
Luminárias
Simpatias: Para mim indispensáveis! Veja AQUI algumas delas. Tem a da bananeira que já citei, tem o pão de Santo Antônio e tem as maldades que fazem com o coitado do Santo Antônio. Reza a lenda que se tem que colocar o santo de cabeça para baixo que ele vai trazer um amor para se desvirar. Pensando bem, como o amor vale qualquer coisa, vai que funcione, né...
Simpatia
Gostaram? Tem alguma ideia diferente ou costume bem regional para compartilhar? Conta para a gente aí em baixo! Vamos adorar saber!

Gostou? Compartilhe e nos siga também nas redes sociais

Twitter Flipboard Facebook Instagram Pinterest
snapchat: arqsteinleitao

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Maior ponte sustentável em madeira conecta pessoas na Holanda

A  província de Groningen, na Holanda é conhecida por ser a capital ocidental do ciclismo . Para unir as localidades de  Winschoten e Blauwestad foi construída a maior ponte sustentável em madeira da Europa, a  ponte Pieter Smit , com 800 metros de comprimento. Ela cruza águas, uma rodovia e uma zona ecológica e possibilita que pedestres e ciclistas as cruzem e acessem por três locais. A construção foi feita com madeira certificada, iluminada por lâmpadas led de baixo consumo. Além disso, houve a preocupação de plantar árvores para que ela não atrapalhasse a rota dos morcegos locais. Outros pássaros também foram lembrados com caixas (na parte de baixo da ponte) e paredes de areia para ninhos. Fonte   Imagens: Blauwestad Nos siga também nas redes sociais Twitter   Flipboard   Facebook   Instagram   Pinterest

Venha o inferno ou águas altas, a vida tem que ser divertida

"Venha o inferno ou águas altas, a vida tem que ser divertida." Continuo com o mesmo processo de busca de inspirações para escrever no blog: a intuição, o sentimento. Olho, pesquiso e de repente uma imagem me diz alguma coisa. Foi o caso dessa biblioteca no jardim . A primeira coisa que pensei foi: que coisa maravilhosa, queria uma assim para mim!! Quero saber mais quem fez isso!! E cheguei aos arquitetos do  Mjölk Architekti .  Passeei pelo site deles, olhando as obras, procurando mais informações sobre o seu trabalho, sua maneira de ver o mundo. Arquitetura não é isolada da sociedade. Não existe projetar sem escolhas ou posicionamentos. Cada obra é um reflexo das ideias e maneira dos projetista enxergarem o mundo. E por isso mesmo é tão fascinante. Cada desafio é respondido de maneiras diversas por cada profissional. Exatamente por isso, gostei demais das descrições que eles fazem sobre o ser arquiteto:  "O trabalho do arquiteto não é fácil. Ele contém várias operações

John Lautner - um arquiteto que aliou beleza à funcionalidade

Walstrom House Gosto de pesquisar casas com um toque de aconchego e que possam servir de inspiração para futuras residências compartilhadas com amigos , e esta imagem me chamou a atenção no  pinterest . Pensamos em algo no estilo Tiny Houses , mas não descartamos ideias incríveis como as desta casa. Olhando o interior, me apaixonei e fui em busca de mais informações sobre ela e seu autor. Foi assim que descobri John Lautner .   Walstrom House - foto de Jon Buono Esta casa de madeira, batizada de Walstrom House, foi construída em 1969, em Santa Monica, na Califórnia. Seu arquiteto foi  John Lautner , um dos primeiros aprendizes de Frank Lloyd Wright, no primeiro grupo de Taliesin Fellows. Nascido em 1911, e sendo sua mãe, Catheleen Gallagher, desenhista de interiores e talentosa pintora, a teve como influência na sua opção pela arquitetura.  Sua carreira foi marcada por grandes aprendizados. Além do mestre FLW, também manteve parcerias com Samuel Reisbord, Whitney R. Smith e Douglas H

Errar é humano, não resolver é insano

Errei sim. Adoraria dizer que fui perfeita e eficiente a maior parte da minha vida. Mas não seria verdade. Procurei ser, o que me dá um certo crédito.  Mas sempre surgem aqueles momentos em que algo dá errado. Seja no projeto ou na obra.  No projeto, as causas mais frequentes, na minha experiência, são problemas na medição dos espaços e um briefing não muito completo. São etapas fundamentais para o bom andamento de qualquer projeto. Uma das maneiras que procuro agilizar, nas medidas, é buscar o maior número possível de informações sobre o espaço a ser medido. Muitas vezes garimpo fotos de venda e procuro, se não existe planta disponível, fazer uma planta baixa baseada nas fotos. Poucas vezes erro. Mas mesmo assim, ainda me passo nas medidas. São muitos detalhes que devem ser checados, é preciso organização e muitas fotos auxiliando a memória. A entrevista com cliente é outro ponto a ser observado. Muitas vezes quem paga não é o que decide. Observar e entender as dinâmicas das pessoas n