Pular para o conteúdo principal

Oxigênio cultural da sobrevivência

Noite dos Museus em Porto Alegre. Um roteiro por oito dos espaços de cultura da cidade que levou milhares de pessoas para o encontro com algo intangível e tão necessário à saúde e sanidade de todos nós - um encontro com a sensibilidade.

Sair às ruas a noite se torna cada vez mais um desafio na nossa outrora alegre cidade. Uma autoridade de segurança local disse sobre assaltos em uma serenata iluminada em um parque da cidade: "Chamem o Batman" e que "gente de bem estaria em casa". Aliado ao crescente número de ocorrências policiais, resulta que muitas pessoas acabem deixando de sair às ruas. Que com isso se tornam mais inseguras, fazendo com que mais pessoas as deixem e alimentando um círculo eterno de causa e consequência.

Mas existe sempre um antídoto para a mesmice e a robotização que a vida cheia de responsabilidades nos leva cada vez mais. Se chama Arte. Se chama Cultura.

Quando estava indo para um dos Museus fiquei conversando sobre a cultura, e como ela é delegada a um segundo plano por muitas pessoas, com o motorista que me levou. Ele é artista plástico e como precisa sobreviver para continuar com a sua vocação, também se dedica a uma atividade paralela. Sobre a valorização da cultura, me respondeu com uma frase que fechou com o texto que o curador da Noite dos Museus usou em seu texto e que gerou o título da postagem. Ele me disse: "A gente sobrevive alguns dias em comer, mesmo alguns poucos dias sem beber, mas quantos minutos sobrevivemos sem respirar? É o oxigênio, algo tão sutil e tão necessário, que nos mantém vivos. Assim é com a cultura, algo tão sutil que nos ajuda a sobreviver e a nos reconhecer como seres humanos."  

Na entrada do Museu Felizardo Furtado nos foi entregue a programação e um texto do curador...    
O roteiro dos Museus ora composto, por sua vez, nos revela outra trama da cidade; em meios à velocidade e à fadiga diária, despontam lugares que nos raptam e nos levam a mundos em que imperam arte, beleza, ciência e sofisticação de linguagens. Eis aí o oxigênio cultural da sobrevivência. (Prof. Dr. Francisco Marshall - curador da Noite dos Museus - Porto Alegre 2016) 
E eis aí uma pequena amostra do que aconteceu na cidade em um noite nem tão fria do outono de 2016. As portas dos museus se abriram à população. As luzes se acenderam e a música se uniu à coleções de artistas e exposições as mais variadas. Pessoas de todas as idades, de todas as classes sociais, de todas as etnias, de todas as ideias se uniram em torno de algo aparentemente supérfluo: prazer de usufruir de sua cidade, vontade de sentir mais e melhor, estar em comunhão com as musas e com quem mais que gostasse de vivenciar que sim, somos mais que meros sobreviventes.

O espaço dos Museus se tornaram mais públicos. A noite se tornou mais criança. A urbe se tornou mais Ágora. Eu me senti mais gente. 

Vibrei com o chorinho como se fosse uma redescoberta. A energia boa de todos se uniu ao som que vibrava em harmonia. Foi intenso e mágico.

Resgatar a cidade para o uso de todos. Democratizar os espaços de memória para que nele não apenas recordemos o passado, mas que vislumbremos o quanto podemos mais no presente. São movimentos assim que tornam uma cidade mais atraente para seus habitantes. 

Tomara esse oxigênio cultural aconteça mais seguido! 
Para que serve a arte. Para nos trazer de volta ao ser gente. Quando o mundo teima em nos despersonalizar e embrutecer, a arte nos traz ao encontro do significado real da vida: o sentir. Elenara Stein Leitão

Fotos: Elenara Stein Leitão 
Local: Museu Joaquim José Felizardo  - Rua João Alfredo 582 Porto Alegre /RS

Nos siga também nas redes sociais
Twitter Flipboard Facebook Instagram Pinterest 
snapchat: arqsteinleitao

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ideias de como usar nichos para decorar seus espaços

Aproveitando nichos para decorar sua casa ou seu escritório. 

Veja algumas ideias interessantes de como fazer desde pequenos detalhes que enfeitam até aproveitamento de vãos que guardam objetos e auxiliam na organização.

Simplicidade:A elegância mora nos detalhes e na síntese. Um rasgo bem usado, sem maiores excessos, apenas salientado pelo uso de cor e pequeno detalhe em madeira. Atentem para a iluminação nas laterais e em como o rodapé acompanha o rasgo.

Transparência e estrutura em madeira na nova loja da Apple na Tailândia

Uma grande árvore em madeira cercada por um fechamento em vidro é a aparência da maior loja da Apple na Tailândia. Projetada pelo renomado estúdio de Foster + Partners foi inaugurada em julho de 2020, em plena pandemia.

Batizada de Apple Central World, a loja tem um diâmetro de 25 metros e sua forma foi gerada por uma curva de Bezier 360 °, uma curva paramétrica usada em computação gráfica. Veja AQUI mais detalhes de como foi feito.

Todos sabemos que a Apple segue o conceito de se diferenciar em inovação e as suas lojas representam esse modo de se posicionar no mercado. Na nova loja asiática são usados 1461 perfis de carvalho branco europeu no revestimento da coluna de suporte do telhado. 


A aparência interna é de um grande tronco que sustenta a copa de madeira em balaço. Uma escada de aço inoxidável serve de conexão para os andares. O prédio tem um fechamento totalmente envidraçado o que permite a visão da cidade e a transparência externa para quem vê o prédio que se mostra e convida ao…

Buhais Geology Park, inspiração em ouriços de 65 milhões de anos

O Buhais Geology Park é um local de magnífica importância pré-histórica e geológica, localizado nos Emirados Árabes Unidos. Há evidências científicas de que foi um mar cerca de 65 milhões de anos atrás. Para expor as coleções de fósseis marinhos e outros objetos relevantes da eras da Pedra, Bronze e Ferro, o escritório Hopkins Architects projetou cinco interessantes espaços circulares, interconectados e que servem para acomodar não apenas as áreas de exposição, mas também várias instalações para visitantes, entre elas um teatro e um café. 


Segundo o site dos arquitetos, a inspiração para a forma dos espaços de exposição foram os ouriços fossilizados. Para não causar muitos danos ao meio ambiente, as edificações "foram projetados como estruturas de concreto pré-fabricado e apenas tocam levemente o solo em discos de fundação de concreto armado in-situ."



As estruturas de concreto são revestidas com painéis de aço coloridos para se adequarem à paisagem. Estes painéis, que dão a ap…

Wave House, debruçada na encosta como ondas no mar

Por onde se olha só se vê "cachotinhos" na Arquitetura. Emoldurados com vários materiais, porta gigantesca, uma que outra mudança, mas na forma quase tudo igual. Cansa, né. Talvez por isso esse projeto todo personalizado tenha me chamado a atenção. É único. Não obedece muitas fórmulas, aproveita uma vista maravilhosa no Rio de Janeiro e se debruça sobre o mar como ondas, a sua inspiração. Projeto de Mareines Arquitetura e Patalano Arquitetura

Um terreno estreito e magnifico, um projeto que aproveita a vista e usa a complexidade da cobertura de vigas curvas de madeira laminada para proteção contra o sol. Pilares de aço galvanizado suportam as vigas. 


Os espaços internos se estendem por quatro pavimentos, belamente decorados e unidos por escadas e elevador, quase todos privilegiando a vista sobre o mar e garantindo a privacidade dos moradores.


Gosto das soluções arquitetônicas que realmente se debruçam sobre o programa, sobre o terrenos e os condicionantes e vai além da receita d…