MG08 habitação flexível

Imagem
Habitar uma casa movimenta uma série de sonhos e emoções. Possuir uma casa evoca ancestrais desejos de segurança. Mas nem sempre as necessidades permanecem as mesmas. As situações de fora e de dentro se modificam e pedem espaços que sejam flexíveis. A Maria Guerrero, também conhecida como MG08 em Madri, projetada pelo Studio Burr , foi pensada para ser uma habitação que possa ser transformada de acordo com essas novas necessidades dos moradores.   María Guerrero é uma casa que nasceu dividida em duas. Para poderem arcar com os custos de aquisição e construção, os habitantes deste empreendimento iniciam a sua vida neste espaço ocupando metade da casa e alugando a outra metade como habitação independente. Apesar da narrativa interessante, me pareceu muito com essas casas geminadas onde se coloca uma parede no meio, que pode ser removível se houver interesse em unir os espaços. Algo que já vem sendo usado e que, com um nome interessante, chama mais a atenção.  Segundo o site dos arquiteto

Micro Yuan transforma espaço privado em público

 © Wang Ziling_ Em Shengliang_ Zhang Mingming

Uma praça em um aglomerado de famílias. Um ambiente confuso, mas cheio de significados para as famílias que o habitam. Local: Pequim na China. Área de 10 m2. Um projeto de requalificação espacial pequeno em escala, mas grande em qualidade de vida aos seus habitantes.

Me lembra as nossas comunidades em suas construções sem rigor formal, que vão sendo acrescentadas de "puxadinhos" conforme as necessidades e folgas no orçamento. Assim também nesse espaço Micro Yuan, onde o projeto do escritório
ZAO -Standard Architecture optaram pela manutenção das antigas construções, com um reordenamento formal e espacial.


Novos usos para antigos prédios. De particular em público. De privado em áreas de uso comum como bibliotecas, oficinas de arte, locais de encontro e lazer. E com essa transformação conseguiram se adequar às novas normas urbanísticas locais.

Materiais usados: Tijolos, concreto e madeira. E muitas aberturas onde a luz e o ar pudessem entrar.

 Aqui podemos ver como era o espaço antes da intervenção.
E aqui após a o projeto da praça ser implementado.

Aparentemente uma pequena pracinha sem muita relevância arquitetônica. Ledo engano.  A Arquitetura se mede também pela transformação que acarreta em seus usuários. E é nas fotos de ocupação, vendo as crianças usando a biblioteca, os adultos usufruindo de espaços de arte e encontro que percebemos a grandeza e o significado de micro (mas macro) projeto.









Gostou? Tem alguma sugestão? 
Comenta e conta para a gente a tua opinião.
Nos siga também nas redes sociais

Twitter  Flipboard  Facebook  Instagram  Pinterest  snapchat: arqsteinleitao

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ideias de como usar nichos para decorar seus espaços

Gavetas e detalhes que fazem diferença na cozinha

10 ideias de almofadas e afins para gateiros