Pular para o conteúdo principal

Nu masculino na arte ocidental - arte como fator de humanização

"Quando eu ando assim meio down.... "

E era bem assim que andava essa semana. E como já estava em Porto Alegre, paralelo 30, me restava o caminho certeiro para me sentir gente, para me humanizar. Abastecer minha alma. Além da dose extra de leituras (romances, livros técnicos e mais uma conta na Amazon) lá me fui eu para mais um almoço Clio. Dessa vez para um tema instigante: homem pelado.

Ops!!! Como assim Dona Arquiteta!!! Homem Pelado??? 

Pois sim, apesar de todas as nossas censuras culturais e pudores ainda existentes em pleno século XXI, a produção do nu artístico que vem retratando os corpos masculinos é bastante bonita e antiga. E para quem descrê dos pudores de hoje, recebi um aviso do You Tube de que muitos consideraram o vídeo da exposição sobre essa produção que aconteceu em Paris em 2013 como ofensivo. E ele é belíssimo, retratando um homem dos dias de hoje em poses de obras clássicas. De um bom gosto imenso. Enfim, deixei o link lá embaixo para quem quiser ver, com a devida advertência. 
“Discóbolo” do escultor Míron (século V a.C)
Fonte
De estátuas gregas privilegiando o movimento em épocas AC à fotos mimetizando a mesma pose em propagandas de poder, passando pelas obras clássicas que ornam igrejas, o almoço transcorreu com um panorama muito interessante sobre como o corpo masculino foi retratado, esculpido, fotografado e exposto no decorrer dos séculos.
Fotografia nu masculino século XX
Fonte
Em geral essas representações, pelo menos as que nos foram apresentadas e que são expostas em museus e praças do mundo afora, tem uma preocupação maior com a estética e modulação do corpo do que com o fator erótico. Isso talvez se deva à censura com que a exposição do corpo humano é vista pela sociedade ocidental. Muitas estátuas gregas receberam folhinhas de parreira para tapar a genitália exposta. Não muito tempo atrás o filme Laranja Mecânica recebeu bolinhas para tapar as partes pudendas (e eu fui uma que vi com as tais bolinhas no cinema - algo tão surreal que era muito mais obsceno que a nudez do ator). 

Mas Arte serve para isso. Para nos fazer refletir. Em tempos de redes sociais onde mulheres amamentando foram censuradas e onde a pornografia reina em navegações underground, é bastante pertinente encher os olhos com imagens belas, estudar como foram feitas e vistas pelos séculos de história. E ainda degustar um belo almoço.

"Coisas de magia, sei lá...."  (Fonte)


(AVISO: tanto o artigo como o vídeo contém cenas de nudez explícita.)
Veja AQUI um texto bem legal sobre o assunto. E AQUI um vídeo lindo sobre a Exposição que aconteceu no Museu d'Orsay em 2013, chamada de Masculin / Masculin. L'homme nu dans l'art de 1800 à nos jours
 “A Criação de Adão” (1508-1512)  de Michelangelo Buonarroti
Fonte

Corpos despidos: o nu masculino na Arte Ocidental

Palestra de Charles Lopes
A nudez masculina sempre esteve presente na história humana. Distintas culturas legaram-nos uma quantidade considerável de imagens de representações do homem. Na tradição da Arte Ocidental, estas figuras tiveram significativa importância, pois ao mesmo tempo em que conservam vestígios da antiguidade pagã, também são cruciais para o mito do Pecado Original no qual se situa no cerne da tradição judaico-cristã. É neste contexto que este Almoço Clio se insere: o prof. Me. Charles Lopes analisará esculturas, pinturas e fotografias que apresentam como temática o corpo masculino nu, e como ele vem sendo mostrado desde a Antiguidade até a cultura contemporânea. Gastronomia pela chef Carine Tigre.

Entrada Pêssego e copa com mix de folhas e redução de balsâmico
Entrada: Pêssego e copa com mix de folhas e redução de balsâmico
Entrada com um aroma dos Deuses (tudo a ver com o tema, né). Sou suspeita porque adoro copa. Para o meu gosto a redução de balsâmico estava muito forte. Mas como o tema era masculino, talvez fosse intencional.

Prato principal Ossobuco ao molho de pitanga com purê de mandioquinha
Prato principal: Ossobuco ao molho de pitanga com purê de mandioquinha
Ossobuco. Para a criatura aqui que evita comer carnes vermelhas foi um desafio e tanto encarar o prato principal. Ainda mais que era super bem servido. Mas como amo mandioquinha (também conhecida como batata baroa) misturei com o purê e deu para encarar. Estava bom sim. Mas ainda não é o que comeria por livre escolha. Mas fiz questão de fotografar o desafio vencido e que faz parte do meu propósito de não ser radical.   
A sobremesa estava divina! A massa escura, o creme de chocolate branco e a calda de frutas vermelhas estava no ponto exato. Repetiria se desse, com certeza.
Torta de chocolate branco com calda de frutas vermelhas
Sobremesa: Torta de chocolate branco com calda de frutas vermelhas
Fotos do almoço : Elenara Stein Leitão


Gostou? Conta para a gente a sua opinião. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Como utilizar cortinas na decoração

Hoje temos postagem de convidados. O Cesar Fernandes da Tibério Construtora
vai nos falar sobre como utilizar cortinas na decoração.


Cortinas são fundamentais para diversos ambientes do seu lar. Além de transmitir uma sensação de amplitude ajudam a controlar a entrada de luz. E ainda dão um up no visual de qualquer ambiente. A decoração com cortinas pode parecer óbvia, mas é uma das formas mais práticas de renovar um ambiente.
Tamanho Para causar uma sensação de amplitude invista nas cortinas que começam pelo menos 15 cm antes da borda da janela e vão até o chão. Na verdade o tamanho vai depender muito do ambiente. Há casos em que pode-se usar todo o vão da parede. A altura que ela fica do piso da sua casa pode ser de sua escolha mas como o objetivo é dar um ar de maior extensão para a parede, recomenda-se que fique junto ao piso. Leve em conta que há tecidos que podem encolher em lavagens. As vezes é melhor fazer um pouco maiores para que não fiquem pequenas na manutenção. 
CoresNão exis…

Gavetas e detalhes que fazem diferença na cozinha

Organizar. Sempre um desafio na hora de planejar móveis e espaços. E um dos locais onde mais precisamos de locais coringas para guardar coisas são nas nossas cozinhas. 
Haja gavetas, nichos, cantinhos que podem ser aproveitados para os mais diversos usos. Separei algumas ideias para inspiração Aproveitando rodapés: Muitos colegas tem optado por fazer os rodapés de armários de cozinha em alvenaria e revestir a frente com pedras ou cerâmicas. É uma solução pratica principalmente pela limpeza e umidade. Mas se sobrar espaço e a opção for usar rodapés, eles podem ser usados para guardar várias coisas. (Confesso que não sei se são o melhor local para guardar vinhos, mas quem sabe...)   Porta trecos e panos de prato: Eles são super práticos porque aproveitam espaços pequenos e estreitos e guardam aquelas coisas meio feias quando ficam à vista. Não recomendo guardar panos de prato úmidos. E esse porta facas abaixo, ao lado do fogão, é super prático!  
Outro exemplo de aproveitamento de canto par…

10 ideias de almofadas e afins para gateiros

Festas....fiquei aqui arquitetando postagens bem suaves e lindas para esses momentos. Hoje resolvi brindá-los com 10 adoráveis ideias para almofadas, pesos de porta, mobiles e outras utilidades para amantes de gatos.

Nós, os gateiros, somos uma população em ascensão no mundo. Esses seres peludos, cheios de personalidade e amor próprio nos arrebatam. Adoramos mimá-los. E eles adoram que a gente os mime....uma parceria perfeita

1- Petit Pois e gatos. Uma dupla perfeita. Ambos sempre elegantes e cheios de charme! 
2- Mobile. Adoro! Mesmo já crescida, acho que não precisam ser só adorno de quartos infantis (meu lado criança, fazer o que????). Esse aí de cima, por exemplo, achei um mimo. 
3- Quem não ia querer entrar nessa casa tão felinamente convidativa??? Quero um para a minha porta! 
4- Patchwork e gatos!!! Tudo a ver também. lembra borralho, fogo, casa da vó e tudo isso lembra aconchego. E nada mais aconchegante que a figura de um gato, pachorrento, deitado ao pé do fogo. (Gateiros enten…

O que seria o tal conceito no projeto de arquitetura?

Uma das coisas mais importantes para que uma edificação possa ser considerada arquitetura é ter um conceito, uma proposta. E isso só é possível se existir um programa para AQUELE problema, AQUELE cliente, AQUELE terreno. É a partir desses condicionantes que o arquiteto pode gerar uma solução que seja a mais adequada possível. Elenara Leitão - arquitetura é mais que desenho.Tenho para mim que um dos maiores desafios da profissão arquitetura seja definir com consistência um conceito e segui-lo com coerência até o resultado final. 
Mas o que seria exatamente o conceito de um projeto arquitetônico?Há quem o defina como a ideia mestra que vai nortear as decisões projetuais. Aquela ideia que surge da reflexão sobre os condicionantes estudados para muitos. Ou um insight milagroso que surge da mente do projetista e que vai gerar formas ou padrões que tragam algum significado, para outros.

Podemos ver pelas frases de arquitetos muitas de suas ideias mestras que geraram os conceitos de seus proje…