Pular para o conteúdo principal

Cooperativas Habitacionais Uruguaias - um bela experiência para conhecer

Museu da Casa Brasileira - São Paulo - SP (foto Elenara Leitão)
O bom de viajar é encontrar pessoas e locais interessantes (nessa ordem). E de quebra ainda aprender sobre o que se gosta. Como o Universo conspira a favor das energias que a gente emite eis que, no primeiro encontro ao vivo dos integrantes da Synarqs, fomos visitar o Museu da Casa Brasileira em São Paulo e vejam a exposição que encontramos!    
Museu da Casa Brasileira - São Paulo - SP - (foto Elenara Leitão)
Uma amostra sobre as cooperativas habitacionais no Uruguai. País aliás que cada vez mais me encanta. Com certeza ou quase, seria minha segunda opção de moradia permanente, se um dia resolvesse deixar o Brasil (que continua sendo a primeira). 

Eu já conhecia algo da arquitetura uruguaia do tempo da graduação, onde a influência de Eladio Dieste se fazia sentir em Porto Alegre. Exemplo famoso é o prédio da Ceasa com as suas abóbodas em tijolo armado

Além disso colegas uruguaios me mostraram o quanto a formação em conforto ambiental é importante no currículo das escolas de arquitetura do país vizinho.
Arquitetos da Synarqs na exposição de Cooperativas Habitacionais Uruguaias
Mas confesso que desconhecia a importância das cooperativas habitacionais uruguaias. Fiquei realmente encantada com a exposição que recomendo para quem gosta de arquitetura, especialmente para estudantes. 

Sempre fui uma entusiasta do sistema cooperativo como forma de união entre pessoas com um objetivo comum. Usar este sistema para projetar e construir habitações não é tão comum no Brasil. Falei sobre uma experiência de arquitetura solidária e cooperativa aqui de Porto Alegre, realizada por um arquiteto uruguaio. Uma experiência mais restrita é verdade. Sei que existem vários outros exemplos, mas desconheço as realidades de facilidades ou entraves ao modelo. Li que existe um estudo mais aprofundado sobre o tema no artigo Cooperativismo habitacional na América Latina.       
Maquete na exposição de Cooperativas Habitacionais Uruguaias
Segundo a exposição, o movimento no Uruguai surgiu da iniciativa de um grupo de profissionais que conseguiu realizar uma sintonia entre o problema e a solução, e isto em uma época de crise econômica do país. Uma das tantas, aliás, por que já passaram as nações neste continente. 
"A partir do trabalho dessa equipe foi desenvolvida a base legislativa que gerou a Lei Nacional de Habitação Uruguaia (Lei Nacional de Vivenda) de 1968, uma conquista da classe operária organizada com experiência em trabalho coletivo, apoiada por uma geração de arquitetos com sólida formação técnica e comprometida com a melhora da qualidade de vida da população".(Fonte)
Durante o período militar a experiência ficou meio que hibernando, mas ressurgiu com maior força com a democracia. E vemos isso na exposição. E eles mostraram separadamente a produção das cooperativas onde havia uma poupança por parte do trabalhador e nas de cunho mais social.

exposição de Cooperativas Habitacionais Uruguaias
O mais interessante desse sistema é que há uma processo de cogestão, com participação em vários aspectos, inclusive no projeto arquitetônico. E o resultado se nota em prédios mais vivos. Nada contra a criação exclusiva do arquiteto, mas tudo a favor do diálogo. E tudo contra os conjuntos habitacionais que caem no colo das pessoas, com uma mesmice de fazer dó e sem soluções que contemplem as necessidade dos usuários. Sem contar que, participando das decisões, as pessoas se apropriam mais dos espaços. E isso é fantástico na Arquitetura. 
 
Se quiserem saber mais aqui uma entrevista com o Engenheiro e Professor uruguaio Fernando de Torres sobre a experiência de viver em uma cooperativa habitacional no Uruguai.
Arquitetos da Synarqs no MCB
Primeiro Encontro presencial dos Arquitetos da Synarqs 
E além da ótima exposição, recomendo o almoço no restaurante do MCB. Um ambiente super agradável, comida deliciosa, atendimento atencioso. Sem contar que passear e comer embaixo de árvores em pleno centro da capital paulista faz com que a gente entre em um estado de comunhão com a vida. Muito bom em todos os aspectos! 


Fotos : Elenara Stein Leitão

Comentários

  1. De fato foi muita sorte, recomendo a exposição para qualquer pessoa com interesse no setor, mas o encontro presencial, e a tarde profícua foram ainda melhores que as expectativas!

    Oscar

    ResponderExcluir
  2. Sem dúvida! Aliás, estar com vocês é uma das alegrias que a Vida me proporciona! E que agradeço sempre. Beijos Elenara

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Sua opinião é super importante para nós ! Não nos responsabilizamos pelas opiniões emitidas nos comentários. Links comerciais serão automaticamente excluídos

Postagens mais visitadas deste blog

Ideias de como usar nichos para decorar seus espaços

Aproveitando nichos para decorar sua casa ou seu escritório. 

Veja algumas ideias interessantes de como fazer desde pequenos detalhes que enfeitam até aproveitamento de vãos que guardam objetos e auxiliam na organização.

Simplicidade:A elegância mora nos detalhes e na síntese. Um rasgo bem usado, sem maiores excessos, apenas salientado pelo uso de cor e pequeno detalhe em madeira. Atentem para a iluminação nas laterais e em como o rodapé acompanha o rasgo.

Transparência e estrutura em madeira na nova loja da Apple na Tailândia

Uma grande árvore em madeira cercada por um fechamento em vidro é a aparência da maior loja da Apple na Tailândia. Projetada pelo renomado estúdio de Foster + Partners foi inaugurada em julho de 2020, em plena pandemia.

Batizada de Apple Central World, a loja tem um diâmetro de 25 metros e sua forma foi gerada por uma curva de Bezier 360 °, uma curva paramétrica usada em computação gráfica. Veja AQUI mais detalhes de como foi feito.

Todos sabemos que a Apple segue o conceito de se diferenciar em inovação e as suas lojas representam esse modo de se posicionar no mercado. Na nova loja asiática são usados 1461 perfis de carvalho branco europeu no revestimento da coluna de suporte do telhado. 


A aparência interna é de um grande tronco que sustenta a copa de madeira em balaço. Uma escada de aço inoxidável serve de conexão para os andares. O prédio tem um fechamento totalmente envidraçado o que permite a visão da cidade e a transparência externa para quem vê o prédio que se mostra e convida ao…

Buhais Geology Park, inspiração em ouriços de 65 milhões de anos

O Buhais Geology Park é um local de magnífica importância pré-histórica e geológica, localizado nos Emirados Árabes Unidos. Há evidências científicas de que foi um mar cerca de 65 milhões de anos atrás. Para expor as coleções de fósseis marinhos e outros objetos relevantes da eras da Pedra, Bronze e Ferro, o escritório Hopkins Architects projetou cinco interessantes espaços circulares, interconectados e que servem para acomodar não apenas as áreas de exposição, mas também várias instalações para visitantes, entre elas um teatro e um café. 


Segundo o site dos arquitetos, a inspiração para a forma dos espaços de exposição foram os ouriços fossilizados. Para não causar muitos danos ao meio ambiente, as edificações "foram projetados como estruturas de concreto pré-fabricado e apenas tocam levemente o solo em discos de fundação de concreto armado in-situ."



As estruturas de concreto são revestidas com painéis de aço coloridos para se adequarem à paisagem. Estes painéis, que dão a ap…

Wave House, debruçada na encosta como ondas no mar

Por onde se olha só se vê "cachotinhos" na Arquitetura. Emoldurados com vários materiais, porta gigantesca, uma que outra mudança, mas na forma quase tudo igual. Cansa, né. Talvez por isso esse projeto todo personalizado tenha me chamado a atenção. É único. Não obedece muitas fórmulas, aproveita uma vista maravilhosa no Rio de Janeiro e se debruça sobre o mar como ondas, a sua inspiração. Projeto de Mareines Arquitetura e Patalano Arquitetura

Um terreno estreito e magnifico, um projeto que aproveita a vista e usa a complexidade da cobertura de vigas curvas de madeira laminada para proteção contra o sol. Pilares de aço galvanizado suportam as vigas. 


Os espaços internos se estendem por quatro pavimentos, belamente decorados e unidos por escadas e elevador, quase todos privilegiando a vista sobre o mar e garantindo a privacidade dos moradores.


Gosto das soluções arquitetônicas que realmente se debruçam sobre o programa, sobre o terrenos e os condicionantes e vai além da receita d…