Pular para o conteúdo principal

Mapas da cidade - ouvindo a voz do escritor sobre ruas e bairros

Tomei contato com a obra de Érico Veríssimo ainda adolescente. Clarissa, uma guria quase da minha idade me tomou de assalto. Depois fui atrás de mais e mais para saber o que acontecia com ela e com os personagens que aquele gaúcho, nascido na Cruz Alta de minha mãe, escrevia em seus livros. Li quase todos! Falo sobre ele aqui
Por isso mesmo o assunto desse almoço no Studio Clio falando de uma Porto Alegre dos anos 30, na voz do escritor que descreve as ruas e bairros com uma fluidez e colorido que só os bons autores sabem fazer. Deliciosa palestra de Márcia Ivana De Lima E Silva

Se eu já me deslumbrava com a Porto Alegre que conheci aos cinco ou seis anos de idade, quando vinha visitar a Capital com meus pais ( e isso eram os anos 60), fico imaginando a cidade que era nos anos 30. Para um estado rural, os prédios deviam parecer deslumbrantes. Imaginem então um grande dirigível cruzando os céus da cidade e a população ao lado dos prédios do centro. Deles ainda resiste o Teatro São Pedro a esquerda e a biblioteca municipal ao fundo (direita).  
,
Arquitetos e urbanistas analisam cidades sobre mapas, plantas e desenhos. Mas cidades são mais que isso. Cidades são olhares tantos de quem as habitam. Cidades são feitas de histórias e vivências. Atrás de cada janela em cada noite escura, se escondem sonhos e universos a serem descobertos. Pessoas fazem cidades e por isso elas vivem em constante mutação. Através de suas memórias, de suas ficções vemos uma cidade que se esconde nos meros mapas que vemos em livros ou telas de computador.
 
Érico também tinha a sua visão da Porto Alegre de então, talvez a visse mais cosmopolita que realmente era...dizia que seus primeiros romances descreviam a "provincianíssima Porto Alegre de 1934 como uma metrópole tentacular e turbulenta que recendia a gasolina queimada e asfalto. Em Olhai os Lírios do Campo fiz uma das personagens, um arquiteto, construir um arranha-céu de trinta andares – coisa que na realidade a capital do Rio Grande do Sul só veio a ter vinte e cinco anos mais tarde. (Fonte).

Não sei como eram e se fazia os seus célebres diários e desenhos dos lugares que criava em seus livros. Ele os via de tal forma que, para países imaginários, criava mapas com geografia e detalhes apurados. 

Quando os ventos de mudança sopram, umas pessoas levantam barreiras, outras constroem moinhos de vento. 
Érico Veríssimo
ALMOÇO
O cardápio tinha obvias referências à gastronomia gaúcha. Os chefs Leonardo Magni e Liliana Andriola , da Mandarinier, sempre se esmeram em nos brindar com descobertas e gostosuras. Dessa vez sem estranhamento, mas ao contrário, com um reviver sabores da infância e da vida da gente que mora aqui.
Entrada
Salada de folhas com pêssego e copa serrana

Prato principal
Picadinho com purê de moranga e queijo colonial acompanhado de farofa de erva mate 

Sobremesa
Ambrosia de bergamota


 
Fotos Porto Alegre antiga
Fotos do almoço : Elenara Stein Leitão


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

10 ideias de almofadas e afins para gateiros

Festas....fiquei aqui arquitetando postagens bem suaves e lindas para esses momentos. Hoje resolvi brindá-los com 10 adoráveis ideias para almofadas, pesos de porta, mobiles e outras utilidades para amantes de gatos.

Nós, os gateiros, somos uma população em ascensão no mundo. Esses seres peludos, cheios de personalidade e amor próprio nos arrebatam. Adoramos mimá-los. E eles adoram que a gente os mime....uma parceria perfeita

1- Petit Pois e gatos. Uma dupla perfeita. Ambos sempre elegantes e cheios de charme! 
2- Mobile. Adoro! Mesmo já crescida, acho que não precisam ser só adorno de quartos infantis (meu lado criança, fazer o que????). Esse aí de cima, por exemplo, achei um mimo. 
3- Quem não ia querer entrar nessa casa tão felinamente convidativa??? Quero um para a minha porta! 
4- Patchwork e gatos!!! Tudo a ver também. lembra borralho, fogo, casa da vó e tudo isso lembra aconchego. E nada mais aconchegante que a figura de um gato, pachorrento, deitado ao pé do fogo. (Gateiros enten…

13 ideias para quem ama gatos

Há pouco passou uma sexta feira. Era 13. Gosto das sextas feiras. Gosto do 13. Gosto dos gatos. Gosto dos gatos pretos, esses que tanto foram perseguidos como companheiros de bruxas.

Gatos são da casa -repetem como mantra os que não conhecem os gatos. Os gatos são deles mesmos. E de quem os conquistar. Ou de quem eles resolverem amar. 

Amor de gato é diferente do amor de cão. E não menos dramático. Gatos não toleram atrasos. Não aceitam menos que a nossa entrega. De preferência sem muito chamego, a não ser na hora que desejam. 

Gatos são hedonistas por natureza. Existem para viver com languidez e serem acariciados. Mimados. Paparicados. Gatos são aristocratas. Mesmo que revirem latas de lixo. 

Desconfiem da humildade felina. Ao primeiro toque de boa vida, se tornam preguiçosamente orgulhosos.   
“Um gato vive um pouco nas poltronas, no cimento ao sol, no telhado sob a lua. Vive também sobre a mesa do escritório, e o salto preciso que ele dá para atingi-la é mais do que impulso para a cultu…

Como utilizar cortinas na decoração

Hoje temos postagem de convidados. O Cesar Fernandes da Tibério Construtora
vai nos falar sobre como utilizar cortinas na decoração.


Cortinas são fundamentais para diversos ambientes do seu lar. Além de transmitir uma sensação de amplitude ajudam a controlar a entrada de luz. E ainda dão um up no visual de qualquer ambiente. A decoração com cortinas pode parecer óbvia, mas é uma das formas mais práticas de renovar um ambiente.
Tamanho Para causar uma sensação de amplitude invista nas cortinas que começam pelo menos 15 cm antes da borda da janela e vão até o chão. Na verdade o tamanho vai depender muito do ambiente. Há casos em que pode-se usar todo o vão da parede. A altura que ela fica do piso da sua casa pode ser de sua escolha mas como o objetivo é dar um ar de maior extensão para a parede, recomenda-se que fique junto ao piso. Leve em conta que há tecidos que podem encolher em lavagens. As vezes é melhor fazer um pouco maiores para que não fiquem pequenas na manutenção. 
CoresNão exis…

Gavetas e detalhes que fazem diferença na cozinha

Organizar. Sempre um desafio na hora de planejar móveis e espaços. E um dos locais onde mais precisamos de locais coringas para guardar coisas são nas nossas cozinhas. 
Haja gavetas, nichos, cantinhos que podem ser aproveitados para os mais diversos usos. Separei algumas ideias para inspiração Aproveitando rodapés: Muitos colegas tem optado por fazer os rodapés de armários de cozinha em alvenaria e revestir a frente com pedras ou cerâmicas. É uma solução pratica principalmente pela limpeza e umidade. Mas se sobrar espaço e a opção for usar rodapés, eles podem ser usados para guardar várias coisas. (Confesso que não sei se são o melhor local para guardar vinhos, mas quem sabe...)   Porta trecos e panos de prato: Eles são super práticos porque aproveitam espaços pequenos e estreitos e guardam aquelas coisas meio feias quando ficam à vista. Não recomendo guardar panos de prato úmidos. E esse porta facas abaixo, ao lado do fogão, é super prático!  
Outro exemplo de aproveitamento de canto par…