Pular para o conteúdo principal

Escolha sim, rigidez não. Todo exagero é nocivo

Não como porco nem carne vermelha e não tomo refrigerantes. Ponto final. 

Muitos que me conhecem já sabem de minhas opções e quando me convidam para um almoço e janta já oferecem outras opções. 

Fiz essas escolhas de vida uns anos atrás e foram baseadas em várias razões:
  • Porcos eram tabu na nossa casa. Meu avô, médico alemão, proibia suas filhas de comerem essa carne, creio que porque, naquela época, era difícil o controle sanitário. Já li também que os alemães se afeiçoavam aos bichinhos e nunca comiam os que criavam, eram como mascotes. Não sei se é verdade, mas eles são meigos mesmo. Sempre digo que parente não! 
  • Carnes vermelhas porque nunca gostei do sangue nelas. Sim, como carne branca e algumas coisas feitas de carne que nem seriam recomendáveis como salsichão e salsichas (de frango! rsss). Ou seja, minhas escolhas foram mais baseadas em gosto pessoal do que em ideologias gastronômicas.
  • Os refrigerantes optei por não tomar porque exagerava no consumo. Não bebia água, bebia coca. E todo exagero é nocivo. E aí chego ao motivo da postagem de hoje: exageros.
Quando nossas escolhas deixam de ser escolhas e se tornam imposições é hora de parar um pouco e rever os conceitos. Falo isso porque fui a um almoço cultural onde o prato principal era ....porco. 
Porco no almoço Clio
Confesso que já tinha comido carnes vermelhas e até pato nesses eventos, mas porco...pensei sinceramente em não comer para ficar fiel ao velho hábito. Mas quando o prato foi colocado na frente, meus olhos foram mais gulosos e me deu uma vontade sincera de comer aquilo. E comi com o maior prazer. Porque se tem uma coisa que aprendi é que, quando se toma uma decisão, por menor que seja, deve ser curtida e bem usufruída. Afinal vida é para ser bem vivida. E com prazer.  

"Se o inimigo é mais forte que você, coma-o" (Sônia Hirsch - contando um episódio semelhante em seu livro Paixão emagrece, amor engorda )

Com os refrigerantes não é diferente. Ainda escolho beber um bom copo d'água, um suco natural ou um excelente vinho. Mas não veto com veemência, com postura xiita, beber um refri bem gelado se me der vontade. Já me reeduquei, já aprendi a me conhecer e posso agora sim escolher o que me agrada mais no momento. Assim, escolha sim, rigidez não!
Aliás essa devia ser uma máxima nas nossas vidas. Aprender a apreciar as coisas com a moderação da falta de exageros, das paralisações que determinadas ideias e soluções que acabam nos engessando a vida.
Acho super válido se fazer escolhas de consumo baseado em princípios que achamos corretos - eu dou prioridade para produtos nacionais se geram empregos aqui. É uma forma minha de pensar. Muita gente faz assim com produtos que para eles não se enquadrem em determinadas formas de conduta. Também acho válido. Desde que não queiram impor para mim e nem eu para eles. Dá para perceber a diferença, não? Escolhas sim, patrulhamento não.
E porque estou aqui mostrando essas fotos de Cocas vintage e reaproveitamento de embalagens ? Porque acho lindos! Já falei aqui sobre isso, sobre colecionar símbolos em Junte todo mundo.  
Nada mais símbolo de um mundo globalizado que as marcas que se encontra em todo lugar, do mais luxuoso ao mais simples e pobre. Coca é uma delas. Uma das mais poderosas. Uma das que mais geram imagens e produtos reciclados. Uma das que mais que o produto, vendem ideias e conceitos. E tão forte é isso, que mesmo os que não bebem o produto usualmente como eu, se encantam com os produtos gerados com a sua imagem. Sem exageros, é obvio. 
Veja mais imagens em http://br.pinterest.com/arqsteinleitao/coke/

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

10 ideias de almofadas e afins para gateiros

Festas....fiquei aqui arquitetando postagens bem suaves e lindas para esses momentos. Hoje resolvi brindá-los com 10 adoráveis ideias para almofadas, pesos de porta, mobiles e outras utilidades para amantes de gatos.

Nós, os gateiros, somos uma população em ascensão no mundo. Esses seres peludos, cheios de personalidade e amor próprio nos arrebatam. Adoramos mimá-los. E eles adoram que a gente os mime....uma parceria perfeita

1- Petit Pois e gatos. Uma dupla perfeita. Ambos sempre elegantes e cheios de charme! 
2- Mobile. Adoro! Mesmo já crescida, acho que não precisam ser só adorno de quartos infantis (meu lado criança, fazer o que????). Esse aí de cima, por exemplo, achei um mimo. 
3- Quem não ia querer entrar nessa casa tão felinamente convidativa??? Quero um para a minha porta! 
4- Patchwork e gatos!!! Tudo a ver também. lembra borralho, fogo, casa da vó e tudo isso lembra aconchego. E nada mais aconchegante que a figura de um gato, pachorrento, deitado ao pé do fogo. (Gateiros enten…

13 ideias para quem ama gatos

Há pouco passou uma sexta feira. Era 13. Gosto das sextas feiras. Gosto do 13. Gosto dos gatos. Gosto dos gatos pretos, esses que tanto foram perseguidos como companheiros de bruxas.

Gatos são da casa -repetem como mantra os que não conhecem os gatos. Os gatos são deles mesmos. E de quem os conquistar. Ou de quem eles resolverem amar. 

Amor de gato é diferente do amor de cão. E não menos dramático. Gatos não toleram atrasos. Não aceitam menos que a nossa entrega. De preferência sem muito chamego, a não ser na hora que desejam. 

Gatos são hedonistas por natureza. Existem para viver com languidez e serem acariciados. Mimados. Paparicados. Gatos são aristocratas. Mesmo que revirem latas de lixo. 

Desconfiem da humildade felina. Ao primeiro toque de boa vida, se tornam preguiçosamente orgulhosos.   
“Um gato vive um pouco nas poltronas, no cimento ao sol, no telhado sob a lua. Vive também sobre a mesa do escritório, e o salto preciso que ele dá para atingi-la é mais do que impulso para a cultu…

Gavetas e detalhes que fazem diferença na cozinha

Organizar. Sempre um desafio na hora de planejar móveis e espaços. E um dos locais onde mais precisamos de locais coringas para guardar coisas são nas nossas cozinhas. 
Haja gavetas, nichos, cantinhos que podem ser aproveitados para os mais diversos usos. Separei algumas ideias para inspiração Aproveitando rodapés: Muitos colegas tem optado por fazer os rodapés de armários de cozinha em alvenaria e revestir a frente com pedras ou cerâmicas. É uma solução pratica principalmente pela limpeza e umidade. Mas se sobrar espaço e a opção for usar rodapés, eles podem ser usados para guardar várias coisas. (Confesso que não sei se são o melhor local para guardar vinhos, mas quem sabe...)   Porta trecos e panos de prato: Eles são super práticos porque aproveitam espaços pequenos e estreitos e guardam aquelas coisas meio feias quando ficam à vista. Não recomendo guardar panos de prato úmidos. E esse porta facas abaixo, ao lado do fogão, é super prático!  
Outro exemplo de aproveitamento de canto par…

Mobiles, com ar de carnaval e fantasia

"Tanto riso, oh quanta alegria"....cantava essa música nos carnavais de antigamente lembrando dos Pierrots e Arlequins que brincavam no salão. E vendo esse mobile não pude deixar de sorrir e imaginar que gostaria de ter um assim no meu quarto, marcando a época dos confetes e serpentinas. 

Longe se vai o tempo em que pulava nos salões, em que saia na avenida de cidades do interior em blocos, em que ficava vidrada na frente da TV assistindo os desfiles de escolas de samba. Mas ainda muito me agrada as cores, a possibilidade de fantasia, do brincar, do poder ser algo diferente nem que se seja por uns dias.
E porque não trazer para dentro de casa essa fantasia em forma de mobile? Reuni alguns lindos que, com boa intenção e paciência, podem ser feitos em casa. Cor, movimento, criatividade. Eis a receita.
Pode deixar sair a poesia, pode reunir retalhos ou balas e guloseimas. O que importa é a brincadeira. Como no carnaval. 
Estrelas do céu enfeitam a vida das estrelas da terra. Amei …