Pular para o conteúdo principal

Escolha sim, rigidez não. Todo exagero é nocivo

Não como porco nem carne vermelha e não tomo refrigerantes. Ponto final. 

Muitos que me conhecem já sabem de minhas opções e quando me convidam para um almoço e janta já oferecem outras opções. 

Fiz essas escolhas de vida uns anos atrás e foram baseadas em várias razões:
  • Porcos eram tabu na nossa casa. Meu avô, médico alemão, proibia suas filhas de comerem essa carne, creio que porque, naquela época, era difícil o controle sanitário. Já li também que os alemães se afeiçoavam aos bichinhos e nunca comiam os que criavam, eram como mascotes. Não sei se é verdade, mas eles são meigos mesmo. Sempre digo que parente não! 
  • Carnes vermelhas porque nunca gostei do sangue nelas. Sim, como carne branca e algumas coisas feitas de carne que nem seriam recomendáveis como salsichão e salsichas (de frango! rsss). Ou seja, minhas escolhas foram mais baseadas em gosto pessoal do que em ideologias gastronômicas.
  • Os refrigerantes optei por não tomar porque exagerava no consumo. Não bebia água, bebia coca. E todo exagero é nocivo. E aí chego ao motivo da postagem de hoje: exageros.
Quando nossas escolhas deixam de ser escolhas e se tornam imposições é hora de parar um pouco e rever os conceitos. Falo isso porque fui a um almoço cultural onde o prato principal era ....porco. 
Porco no almoço Clio
Confesso que já tinha comido carnes vermelhas e até pato nesses eventos, mas porco...pensei sinceramente em não comer para ficar fiel ao velho hábito. Mas quando o prato foi colocado na frente, meus olhos foram mais gulosos e me deu uma vontade sincera de comer aquilo. E comi com o maior prazer. Porque se tem uma coisa que aprendi é que, quando se toma uma decisão, por menor que seja, deve ser curtida e bem usufruída. Afinal vida é para ser bem vivida. E com prazer.  

"Se o inimigo é mais forte que você, coma-o" (Sônia Hirsch - contando um episódio semelhante em seu livro Paixão emagrece, amor engorda )

Com os refrigerantes não é diferente. Ainda escolho beber um bom copo d'água, um suco natural ou um excelente vinho. Mas não veto com veemência, com postura xiita, beber um refri bem gelado se me der vontade. Já me reeduquei, já aprendi a me conhecer e posso agora sim escolher o que me agrada mais no momento. Assim, escolha sim, rigidez não!
Aliás essa devia ser uma máxima nas nossas vidas. Aprender a apreciar as coisas com a moderação da falta de exageros, das paralisações que determinadas ideias e soluções que acabam nos engessando a vida.
Acho super válido se fazer escolhas de consumo baseado em princípios que achamos corretos - eu dou prioridade para produtos nacionais se geram empregos aqui. É uma forma minha de pensar. Muita gente faz assim com produtos que para eles não se enquadrem em determinadas formas de conduta. Também acho válido. Desde que não queiram impor para mim e nem eu para eles. Dá para perceber a diferença, não? Escolhas sim, patrulhamento não.
E porque estou aqui mostrando essas fotos de Cocas vintage e reaproveitamento de embalagens ? Porque acho lindos! Já falei aqui sobre isso, sobre colecionar símbolos em Junte todo mundo.  
Nada mais símbolo de um mundo globalizado que as marcas que se encontra em todo lugar, do mais luxuoso ao mais simples e pobre. Coca é uma delas. Uma das mais poderosas. Uma das que mais geram imagens e produtos reciclados. Uma das que mais que o produto, vendem ideias e conceitos. E tão forte é isso, que mesmo os que não bebem o produto usualmente como eu, se encantam com os produtos gerados com a sua imagem. Sem exageros, é obvio. 
Veja mais imagens em http://br.pinterest.com/arqsteinleitao/coke/

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Transparência e estrutura em madeira na nova loja da Apple na Tailândia

Uma grande árvore em madeira cercada por um fechamento em vidro é a aparência da maior loja da Apple na Tailândia. Projetada pelo renomado estúdio de Foster + Partners foi inaugurada em julho de 2020, em plena pandemia.

Batizada de Apple Central World, a loja tem um diâmetro de 25 metros e sua forma foi gerada por uma curva de Bezier 360 °, uma curva paramétrica usada em computação gráfica. Veja AQUI mais detalhes de como foi feito.

Todos sabemos que a Apple segue o conceito de se diferenciar em inovação e as suas lojas representam esse modo de se posicionar no mercado. Na nova loja asiática são usados 1461 perfis de carvalho branco europeu no revestimento da coluna de suporte do telhado. 


A aparência interna é de um grande tronco que sustenta a copa de madeira em balaço. Uma escada de aço inoxidável serve de conexão para os andares. O prédio tem um fechamento totalmente envidraçado o que permite a visão da cidade e a transparência externa para quem vê o prédio que se mostra e convida ao…

Refúgio que caiba nos sonhos

“Aonde fica a saída?", Perguntou Alice ao gato que ria. ”Depende”, respondeu o gato. ”De quê?”, replicou Alice; ”Depende de para onde você quer ir...”
Alice no país das maravilhas - Lewis Carroll
Refúgio mais que nunca necessário em tempos de doenças de fora e de dentro. Tanto para compreender, tanto para administrar, talvez em poucos tempos dos últimos, se viveu com tantos senões. Talvez explique a vontade ou a desvontade de fazer e acontecer.
Arquiteturar é paixão como poucas coisas que me aconteceram na vida. Arquiteturar refúgios talvez seja premente. Repensar espaços de com viver.
De metragens não se precisa muito. O suficiente para caber sonhos e poucas necessidades materiais. Livros, poucas roupas, uma adega para vinhos e muito espaço para sonhar e criar. Se for um pouco acima do solo, tanto melhor. Nunca se sabe quando a natureza pode nos brindar em serpentes ou enchentes.

Um cantinho para ler, comer e tomar café, parando de quando em vez , para olhar as nuvens que formam objetos…

Wave House, debruçada na encosta como ondas no mar

Por onde se olha só se vê "cachotinhos" na Arquitetura. Emoldurados com vários materiais, porta gigantesca, uma que outra mudança, mas na forma quase tudo igual. Cansa, né. Talvez por isso esse projeto todo personalizado tenha me chamado a atenção. É único. Não obedece muitas fórmulas, aproveita uma vista maravilhosa no Rio de Janeiro e se debruça sobre o mar como ondas, a sua inspiração. Projeto de Mareines Arquitetura e Patalano Arquitetura

Um terreno estreito e magnifico, um projeto que aproveita a vista e usa a complexidade da cobertura de vigas curvas de madeira laminada para proteção contra o sol. Pilares de aço galvanizado suportam as vigas. 


Os espaços internos se estendem por quatro pavimentos, belamente decorados e unidos por escadas e elevador, quase todos privilegiando a vista sobre o mar e garantindo a privacidade dos moradores.


Gosto das soluções arquitetônicas que realmente se debruçam sobre o programa, sobre o terrenos e os condicionantes e vai além da receita d…

Interno I - escada como elemento formal destacado

A escada como elemento formal de ligação entre os dois andares desta reforma que o escritório do arquiteto italiano Alfredo Vanotti executou chama a atenção pela beleza e fluidez.Feita em ferro e pintada em branco ela não apenas é ponto focal, como serve de divisória para os espaços de estar e cozinha.
O espaço amplo servia de escritório e agora abriga área social no térreo e dormitório com banheiro no piso superior. Tudo isso em um estilo enxuto e ao mesmo tempo aconchegante.Coerente com a proposta do arquiteto de que a sua arquitetura deve falar por si mesma.
Nos siga também nas redes sociais
TwitterFlipboardFacebookInstagramPinterest