MG08 habitação flexível

Imagem
Habitar uma casa movimenta uma série de sonhos e emoções. Possuir uma casa evoca ancestrais desejos de segurança. Mas nem sempre as necessidades permanecem as mesmas. As situações de fora e de dentro se modificam e pedem espaços que sejam flexíveis. A Maria Guerrero, também conhecida como MG08 em Madri, projetada pelo Studio Burr , foi pensada para ser uma habitação que possa ser transformada de acordo com essas novas necessidades dos moradores.   María Guerrero é uma casa que nasceu dividida em duas. Para poderem arcar com os custos de aquisição e construção, os habitantes deste empreendimento iniciam a sua vida neste espaço ocupando metade da casa e alugando a outra metade como habitação independente. Apesar da narrativa interessante, me pareceu muito com essas casas geminadas onde se coloca uma parede no meio, que pode ser removível se houver interesse em unir os espaços. Algo que já vem sendo usado e que, com um nome interessante, chama mais a atenção.  Segundo o site dos arquiteto

Arquitetando um risoto de funghi a minha moda


Cozinhar é tudo de bom. Eu não sou exatamente uma expert na área. Cozinho para o gasto, sei aproveitar sobras e fazer maravilhas criativas e rápidas. Eu sempre brinco que não poderia ser uma chefe de cozinha porque tudo o que é efêmero não me agrada muito. Na Arquitetura a gente passa trabalho, sua e forceja, mas no final a obra dura. Pelo menos algum tempo. Bem mais que na cozinha que dá um baita dum trabalho desde a concepção, a execução e o resultado se fica bom, zupt! Some na hora. E tem que começar tudo de novo....Admiro quem se dedica à isso como profissão...

Mas tem aqueles dias em que bate um desejo...Essa semana toda eu precisava comer um risoto. E como não sou muito de comer fora, aproveitei hoje a ida ao super e me apetrechei. (Diga-se de passagem que fiz um curso de risoto uns anos atrás e também queria ver se não tinha desaprendido). E se daquela vez fiz uma das receitas do curso, o risoto caprese, hoje aproveitei para criar um pouco. Fui tentar um risoto de funghi a minha moda. (Como faço isso? Pego umas receitas na web e adapto ao que tenho em casa).

Assim, ingredientes básicos em mão : brodo vegetal sem muito sal, arroz arbóreo, Cogumelos (funghi) chileno, manteiga, queijos gorgonzola e parmesão. Vinho branco Riesling. Boa vontade e tempo.
 Como o funghi é desidratado tem que colocar para hidratar em água fervente por uns dez minutos. Mas veja que o fogo está apagado, ele só vai hidratar nessa etapa.
 O queijo parmesão tem que ser ralado na hora. Não vale usar aquele que a gente tem na cozinha, é muito seco. O resultado final compensa o trabalho de ralar. como era em pequena quantidade, usei o ralador manual. E já fiz um exercício para o braço...
O funghi hidratado ficou assim. Tem que cortar em porções menores e aproveita o caldo que sai para juntar ao arroz quando estiver cozinhando. As receitas que vi pediam a metade da quantidade para uma xícara de arroz, mas usei tudo mesmo (30 gramas). Ficou bom.
 Usei um pouco de manteiga e alho picado para dar aquela primeira cozinhada nos grãos secos do arroz. Use uma colher de pau e fique atenta/o para não queimar. Quando o grão ficar levemente transparente jogue uma xícara do vinho branco, a mesma medida do arroz. Deixe cozinhar, mexendo sempre.
 Quando sentir o cheiro de alcool, comece a colocar as conchas de brodo. Nessa etapa juntei a água em que hidratei o funghi. Após provei e coloquei o sal. Lembre que vai mais queijo depois que também é salgado, então procure prever como vai ficar o resultado final. (um segredo: coloquei uma pitada de curry. Achei que podia ficar bom. Ficou)
Conchas de brodo, vai a olho. Vá provando até que o arroz fique cozido. Minha concha era pequena e devo ter colocado umas oito a dez. Acho. Mais a água do funghi. Tem que ir mexendo, olhando e provando. Cozinhar tem muito do sentimento do cozinheiro, portando não espere seguir fielmente receitas e ter o mesmo resultado de outra pessoa. Sempre tem um elemento surpresa, sempre tem uma empatia do prato e da mão que prepara. Como em tudo na vida. Na arquitetura também.
 Para acompanhar vinho tinto chileno Merlot. E surpresa! Achei um bem razoável (Tenta) por um preço mais que razoável (R$ 14,00 !). Então, boas coisas da vida também dependem de pesquisa. E boas dicas dos amigos.

Arroz no ponto, meio molhado. Apaga o fogo, mistura uma colher de manteiga e os queijos. Bem vigorosamente. Com bastante vontade de misturar e fazer a alquimia perfeita. 
Depois é só servir e aproveitar com gosto. Gente, ficou dos DEUSES! Comi dois pratos (confesso!). E sem traumas já que fiz todo esse processo para uma pessoa muito especial: EU. Outra lição: Mime-se e faça de uma noite de sábado fria um motivo de brindar à Vida.

Fotos do risoto : Elenara Stein Leitão
Imagens : Pinterest

Comentários

  1. Ai Gizuis! Olha, parece maravilhoso mesmo ao final. E contado assim, com graça, garbo e PAP, eu diria que vc encontrou sua segunda profissão: professora virtual de culinária! LOL

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Sua opinião é super importante para nós ! Não nos responsabilizamos pelas opiniões emitidas nos comentários. Links comerciais serão automaticamente excluídos

Postagens mais visitadas deste blog

Ideias de como usar nichos para decorar seus espaços

Gavetas e detalhes que fazem diferença na cozinha

10 ideias de almofadas e afins para gateiros