Pular para o conteúdo principal

Arquitetando um risoto de funghi a minha moda


Cozinhar é tudo de bom. Eu não sou exatamente uma expert na área. Cozinho para o gasto, sei aproveitar sobras e fazer maravilhas criativas e rápidas. Eu sempre brinco que não poderia ser uma chefe de cozinha porque tudo o que é efêmero não me agrada muito. Na Arquitetura a gente passa trabalho, sua e forceja, mas no final a obra dura. Pelo menos algum tempo. Bem mais que na cozinha que dá um baita dum trabalho desde a concepção, a execução e o resultado se fica bom, zupt! Some na hora. E tem que começar tudo de novo....Admiro quem se dedica à isso como profissão...

Mas tem aqueles dias em que bate um desejo...Essa semana toda eu precisava comer um risoto. E como não sou muito de comer fora, aproveitei hoje a ida ao super e me apetrechei. (Diga-se de passagem que fiz um curso de risoto uns anos atrás e também queria ver se não tinha desaprendido). E se daquela vez fiz uma das receitas do curso, o risoto caprese, hoje aproveitei para criar um pouco. Fui tentar um risoto de funghi a minha moda. (Como faço isso? Pego umas receitas na web e adapto ao que tenho em casa).

Assim, ingredientes básicos em mão : brodo vegetal sem muito sal, arroz arbóreo, Cogumelos (funghi) chileno, manteiga, queijos gorgonzola e parmesão. Vinho branco Riesling. Boa vontade e tempo.
 Como o funghi é desidratado tem que colocar para hidratar em água fervente por uns dez minutos. Mas veja que o fogo está apagado, ele só vai hidratar nessa etapa.
 O queijo parmesão tem que ser ralado na hora. Não vale usar aquele que a gente tem na cozinha, é muito seco. O resultado final compensa o trabalho de ralar. como era em pequena quantidade, usei o ralador manual. E já fiz um exercício para o braço...
O funghi hidratado ficou assim. Tem que cortar em porções menores e aproveita o caldo que sai para juntar ao arroz quando estiver cozinhando. As receitas que vi pediam a metade da quantidade para uma xícara de arroz, mas usei tudo mesmo (30 gramas). Ficou bom.
 Usei um pouco de manteiga e alho picado para dar aquela primeira cozinhada nos grãos secos do arroz. Use uma colher de pau e fique atenta/o para não queimar. Quando o grão ficar levemente transparente jogue uma xícara do vinho branco, a mesma medida do arroz. Deixe cozinhar, mexendo sempre.
 Quando sentir o cheiro de alcool, comece a colocar as conchas de brodo. Nessa etapa juntei a água em que hidratei o funghi. Após provei e coloquei o sal. Lembre que vai mais queijo depois que também é salgado, então procure prever como vai ficar o resultado final. (um segredo: coloquei uma pitada de curry. Achei que podia ficar bom. Ficou)
Conchas de brodo, vai a olho. Vá provando até que o arroz fique cozido. Minha concha era pequena e devo ter colocado umas oito a dez. Acho. Mais a água do funghi. Tem que ir mexendo, olhando e provando. Cozinhar tem muito do sentimento do cozinheiro, portando não espere seguir fielmente receitas e ter o mesmo resultado de outra pessoa. Sempre tem um elemento surpresa, sempre tem uma empatia do prato e da mão que prepara. Como em tudo na vida. Na arquitetura também.
 Para acompanhar vinho tinto chileno Merlot. E surpresa! Achei um bem razoável (Tenta) por um preço mais que razoável (R$ 14,00 !). Então, boas coisas da vida também dependem de pesquisa. E boas dicas dos amigos.

Arroz no ponto, meio molhado. Apaga o fogo, mistura uma colher de manteiga e os queijos. Bem vigorosamente. Com bastante vontade de misturar e fazer a alquimia perfeita. 
Depois é só servir e aproveitar com gosto. Gente, ficou dos DEUSES! Comi dois pratos (confesso!). E sem traumas já que fiz todo esse processo para uma pessoa muito especial: EU. Outra lição: Mime-se e faça de uma noite de sábado fria um motivo de brindar à Vida.

Fotos do risoto : Elenara Stein Leitão
Imagens : Pinterest

Comentários

  1. Ai Gizuis! Olha, parece maravilhoso mesmo ao final. E contado assim, com graça, garbo e PAP, eu diria que vc encontrou sua segunda profissão: professora virtual de culinária! LOL

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Sua opinião é super importante para nós ! Não nos responsabilizamos pelas opiniões emitidas nos comentários. Links comerciais serão automaticamente excluídos

Postagens mais visitadas deste blog

Como utilizar cortinas na decoração

Hoje temos postagem de convidados. O Cesar Fernandes da Tibério Construtora
vai nos falar sobre como utilizar cortinas na decoração.


Cortinas são fundamentais para diversos ambientes do seu lar. Além de transmitir uma sensação de amplitude ajudam a controlar a entrada de luz. E ainda dão um up no visual de qualquer ambiente. A decoração com cortinas pode parecer óbvia, mas é uma das formas mais práticas de renovar um ambiente.
Tamanho Para causar uma sensação de amplitude invista nas cortinas que começam pelo menos 15 cm antes da borda da janela e vão até o chão. Na verdade o tamanho vai depender muito do ambiente. Há casos em que pode-se usar todo o vão da parede. A altura que ela fica do piso da sua casa pode ser de sua escolha mas como o objetivo é dar um ar de maior extensão para a parede, recomenda-se que fique junto ao piso. Leve em conta que há tecidos que podem encolher em lavagens. As vezes é melhor fazer um pouco maiores para que não fiquem pequenas na manutenção. 
CoresNão exis…

Gavetas e detalhes que fazem diferença na cozinha

Organizar. Sempre um desafio na hora de planejar móveis e espaços. E um dos locais onde mais precisamos de locais coringas para guardar coisas são nas nossas cozinhas. 
Haja gavetas, nichos, cantinhos que podem ser aproveitados para os mais diversos usos. Separei algumas ideias para inspiração Aproveitando rodapés: Muitos colegas tem optado por fazer os rodapés de armários de cozinha em alvenaria e revestir a frente com pedras ou cerâmicas. É uma solução pratica principalmente pela limpeza e umidade. Mas se sobrar espaço e a opção for usar rodapés, eles podem ser usados para guardar várias coisas. (Confesso que não sei se são o melhor local para guardar vinhos, mas quem sabe...)   Porta trecos e panos de prato: Eles são super práticos porque aproveitam espaços pequenos e estreitos e guardam aquelas coisas meio feias quando ficam à vista. Não recomendo guardar panos de prato úmidos. E esse porta facas abaixo, ao lado do fogão, é super prático!  
Outro exemplo de aproveitamento de canto par…

13 ideias para quem ama gatos

Há pouco passou uma sexta feira. Era 13. Gosto das sextas feiras. Gosto do 13. Gosto dos gatos. Gosto dos gatos pretos, esses que tanto foram perseguidos como companheiros de bruxas.

Gatos são da casa -repetem como mantra os que não conhecem os gatos. Os gatos são deles mesmos. E de quem os conquistar. Ou de quem eles resolverem amar. 

Amor de gato é diferente do amor de cão. E não menos dramático. Gatos não toleram atrasos. Não aceitam menos que a nossa entrega. De preferência sem muito chamego, a não ser na hora que desejam. 

Gatos são hedonistas por natureza. Existem para viver com languidez e serem acariciados. Mimados. Paparicados. Gatos são aristocratas. Mesmo que revirem latas de lixo. 

Desconfiem da humildade felina. Ao primeiro toque de boa vida, se tornam preguiçosamente orgulhosos.   
“Um gato vive um pouco nas poltronas, no cimento ao sol, no telhado sob a lua. Vive também sobre a mesa do escritório, e o salto preciso que ele dá para atingi-la é mais do que impulso para a cultu…

10 ideias de almofadas e afins para gateiros

Festas....fiquei aqui arquitetando postagens bem suaves e lindas para esses momentos. Hoje resolvi brindá-los com 10 adoráveis ideias para almofadas, pesos de porta, mobiles e outras utilidades para amantes de gatos.

Nós, os gateiros, somos uma população em ascensão no mundo. Esses seres peludos, cheios de personalidade e amor próprio nos arrebatam. Adoramos mimá-los. E eles adoram que a gente os mime....uma parceria perfeita

1- Petit Pois e gatos. Uma dupla perfeita. Ambos sempre elegantes e cheios de charme! 
2- Mobile. Adoro! Mesmo já crescida, acho que não precisam ser só adorno de quartos infantis (meu lado criança, fazer o que????). Esse aí de cima, por exemplo, achei um mimo. 
3- Quem não ia querer entrar nessa casa tão felinamente convidativa??? Quero um para a minha porta! 
4- Patchwork e gatos!!! Tudo a ver também. lembra borralho, fogo, casa da vó e tudo isso lembra aconchego. E nada mais aconchegante que a figura de um gato, pachorrento, deitado ao pé do fogo. (Gateiros enten…