Pular para o conteúdo principal

Dia Internacional da Tolerância

Hoje é um dia de pensar não apenas na Arquitetura, mas pensar em como há tanta intolerância nos cercando. E justamente porque no dia 16 de novembro é o dia em que a ONU declarou como sendo o Dia Internacional da Tolerância. 
 "Do ponto de vista da sociedade, a tolerância é a capacidade de uma pessoa ou grupo social de aceitar outra pessoa ou grupo social, que tem uma atitude diferente das que são a norma no seu próprio grupo. Numa concepção moderna é também a atitude pessoal e comunitária de aceitar valores diferentes daqueles adotados pelo grupo de pertença original." Wikipédia
Embora a palavra tolerância já me soe como uma coisa ambígua, com um significado de que posso tolerar algo e não verdadeiramente compreender ou tentar me colocar no lugar de outro para entender o que eles pensa, sente, tenta expressar, não vou me deter em questões semânticas. A mensagem desse dia é muito maior.

Pessoas se isolam em grupos, tribos, ideias, religiões, partidos políticos, torcidas de futebol e se tornam algumas vezes extremamente rígidas. Toda rigidez é uma proximidade da morte. Nada é igual eternamente. A vida é mutável, a vida é estrada, a vida é ter a capacidade de reinvenção dia a dia. Nada contra ter posições firmes. Eu as tenho e as defendo. Mas vejam bem, defender com argumentos, não com agressões. Tem gente que usa da ironia para ofender. Usa de palavras de baixo calão para ferir. Estamos nós, sociedade, muito extremados algumas vezes.   
A discriminação se faz presente nessa época de atitudes politicamente corretas de formas variadas. Em piadas sem graça, em agressões verbais ou físicas, em perseguição em forma de bullying
1 - Todas as pessoas têm direito à liberdade de pensamento, consciência e religião (Artigo 18);

2 - Todos têm direito à liberdade de opinião e expressão (Artigo 19)

3 - A educação deve promover a compreensão, a tolerância e a amizade entre todas as nações, grupos raciais e religiosos (Artigo 26) - Declaração Universal dos Direitos Humanos - Fonte


Talvez muitas dessas atitudes sejam por uma espécie de vácuo de ideais, uma transição na sociedade que estejamos atravessando. Uma das causas pode ser a extrema exposição a que todos estamos sendo vítimas e agentes. Ao mesmo tempo estamos sós, escrevendo em nossas casas, em nossos celulares, em nossos tablets, numa aparente conversa de dentro para dentro, mas estamos jorrando nosso eu para fora, expondo ao vento, ao ar e de uma tal maneira que nunca mais seremos donos de nossas ideias. Elas podem ser pegas, ser deturpadas, ser qualquer coisa. Pessoas se matam por terem exposto um pouco de sua intimidade sem pensar nas consequências. Antigamente, escrever num diário podia ser um motivo de risadas se fosse pego em mãos erradas. Eu mesma tive essa experiência quando leram o meu, em voz alta, para amigos comuns. Chorei dias. Semanas até. Mas era um circulo pequeno e caiu no esquecimento. Menos dentro de mim. Nem quero imaginar se isso fosse parar em um rede social da vida.

Essa transição talvez faça com que muitas pessoas se protejam entrando no seio de grupos. Esse é um comportamento social clássico. E se sintam fortes para entender que são melhores que outros que não estejam nesses grupos. O que essas pessoas muitas vezes não percebem é que se tornam muito semelhantes aos que destratam. O que vale nas pessoas é o que são, não o que dizem que são. Não existem gurus ou deuses, apenas os que colocamos em pedestais. Grandes pensadores foram homens iguais a nós, com as mesmas mesquinharias e grandezas. O que alguém pensou, escreveu e se tornou moda ou razão em uma época da humanidade pode não ser em todo verdade nos dias de hoje. Manter um distanciamento critico sempre é salutar. Até para não machucar quem não merece, os que sempre tem que colher as laranjas.

Em suma. Falta muito bom senso em muitas posições. Falta muito senso critico para não sair espalhando qualquer coisa que se ajuste às nossas convicções, sem checar a veracidade. Falta muita prática em muita teoria por aí. E principalmente falta tentar ver com outros olhos, mesmo que seja para reafirmar a sua verdade. Seja na vida pública ou privada. Me lembro um exercício que um terapeuta fazia com casais em crise. Cada um tinha que assumir o papel do outro e usar os argumentos do outro. Já testaram? É salutar.    

"Vamos lembrar que a tolerância começa com cada um de nós, todos os dias” Ban Ki-moon
  Autor : Elenara Leitão

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

13 ideias para quem ama gatos

Há pouco passou uma sexta feira. Era 13. Gosto das sextas feiras. Gosto do 13. Gosto dos gatos. Gosto dos gatos pretos, esses que tanto foram perseguidos como companheiros de bruxas.

Gatos são da casa -repetem como mantra os que não conhecem os gatos. Os gatos são deles mesmos. E de quem os conquistar. Ou de quem eles resolverem amar. 

Amor de gato é diferente do amor de cão. E não menos dramático. Gatos não toleram atrasos. Não aceitam menos que a nossa entrega. De preferência sem muito chamego, a não ser na hora que desejam. 

Gatos são hedonistas por natureza. Existem para viver com languidez e serem acariciados. Mimados. Paparicados. Gatos são aristocratas. Mesmo que revirem latas de lixo. 

Desconfiem da humildade felina. Ao primeiro toque de boa vida, se tornam preguiçosamente orgulhosos.   
“Um gato vive um pouco nas poltronas, no cimento ao sol, no telhado sob a lua. Vive também sobre a mesa do escritório, e o salto preciso que ele dá para atingi-la é mais do que impulso para a cultu…

Ideias simples que ajudam muito

Muitas vezes a gente fica pensando em soluções mirabolantes para a casa da gente e esquece de ideias simples que ajudam bastante. Reuni algumas delas aqui

Uma gaveta bem colocada na lavanderia auxilia muito a tarefa de colocar as roupas na máquina.  Procure soluções que forneçam apoio para bacias, para cestos e simplifiquem sua vida nas tarefas de limpeza da casa. Aproveite espaços que ficariam sem uso. Essas práticas gavetas para guardar esponja e sabão são um exemplo.
Outra ideia de aproveitamento de espaço inútil. A área ao lado e na frente das cubas. Vejam que foi usado material impermeável e assim podem ser guardados os utensílios de lavar louça que são molhados. 
Usar porta toalhas em portas ajuda na organização.

Um lugar para cada coisa, cada coisa em seu lugar. Na hora de cozinhar é preciso achar com praticidade tudo o que se precisa. Uma boa solução é fazer um gavetão para esses utensílios e dispô-los em locais práticos e de fácil acesso.  Pratos podem ser colocados para sec…

Mobiles, com ar de carnaval e fantasia

"Tanto riso, oh quanta alegria"....cantava essa música nos carnavais de antigamente lembrando dos Pierrots e Arlequins que brincavam no salão. E vendo esse mobile não pude deixar de sorrir e imaginar que gostaria de ter um assim no meu quarto, marcando a época dos confetes e serpentinas. 

Longe se vai o tempo em que pulava nos salões, em que saia na avenida de cidades do interior em blocos, em que ficava vidrada na frente da TV assistindo os desfiles de escolas de samba. Mas ainda muito me agrada as cores, a possibilidade de fantasia, do brincar, do poder ser algo diferente nem que se seja por uns dias.
E porque não trazer para dentro de casa essa fantasia em forma de mobile? Reuni alguns lindos que, com boa intenção e paciência, podem ser feitos em casa. Cor, movimento, criatividade. Eis a receita.
Pode deixar sair a poesia, pode reunir retalhos ou balas e guloseimas. O que importa é a brincadeira. Como no carnaval. 
Estrelas do céu enfeitam a vida das estrelas da terra. Amei …

10 ideias de almofadas e afins para gateiros

Festas....fiquei aqui arquitetando postagens bem suaves e lindas para esses momentos. Hoje resolvi brindá-los com 10 adoráveis ideias para almofadas, pesos de porta, mobiles e outras utilidades para amantes de gatos.

Nós, os gateiros, somos uma população em ascensão no mundo. Esses seres peludos, cheios de personalidade e amor próprio nos arrebatam. Adoramos mimá-los. E eles adoram que a gente os mime....uma parceria perfeita

1- Petit Pois e gatos. Uma dupla perfeita. Ambos sempre elegantes e cheios de charme! 
2- Mobile. Adoro! Mesmo já crescida, acho que não precisam ser só adorno de quartos infantis (meu lado criança, fazer o que????). Esse aí de cima, por exemplo, achei um mimo. 
3- Quem não ia querer entrar nessa casa tão felinamente convidativa??? Quero um para a minha porta! 
4- Patchwork e gatos!!! Tudo a ver também. lembra borralho, fogo, casa da vó e tudo isso lembra aconchego. E nada mais aconchegante que a figura de um gato, pachorrento, deitado ao pé do fogo. (Gateiros enten…