Pular para o conteúdo principal

Praça sobre estacionamento - nova camada de uso urbano

Você pode não acreditar, mas essa praça nasceu sobre um espaço de estacionamento. É uma iniciativa da prefeitura de Los Angeles para dotar a cidade de espaços de lazer chamada de 50 Parks Initiative
O projeto visa dotar a comunidade de locais de lazer e recreação que sejam uniformemente distribuidos, que todos possam ter acesso, especialmente os locais com carência desses espaços. A grande densidade urbana é um dos empecilhos detectados.

Um projeto desse porte leva exige uma parceria entre governos de todas as esferas e iniciativa privada, além da participação da comunidade, ONGs, grupos de comunidade, etc. Um esforço comum em prol do presente e futuro da cidade. 
 
Segundo o site do projeto os requisitos para que essa ideia dê certo são exatamente essa parceria, que o processo de projeto seja  conduzido pela comunidade e que esses projetos sejam de baixa manutenção. 
Nessas imagens vemos o quanto o espaço urbano se qualifica. Onde havia um estacionamento, agrega-se um parque em uma outra camada de ocupação. Ganham todos. Inclusive os carros que ganham uma cobertura. Leia mais sobre esse projeto AQUI. Projeto de  http://www.lehrerarchitects.com/
Essa ideia de uma nova camada de uso do solo já tinha sido estudada pela Synarqs, o braço arquitetônico da Synapsis  e encaminhada como sugestão (entre outras) ao governo municipal de São Paulo. Quem sabe em um futuro próximo poderemos contar com locais assim em nossas cidades.


Nova Camada de Uso (em Solo Criado com Coberturas Vivas)
.

0.1- Seja pelo calo profissional de quem está muito habituado aos mapas, seja pela obrigação de focar a macro questão, ou mesmo porque a experienciação das cidades se dá mais frequentemente pelas ruas e avenidas, os atores envolvidos no seu planejamento e administração tendem a compreender, projetar e intervir, a partir da malha composta pelas vias existentes.
.
0.2- Estas vias comportam o ir e vir dos citatinos, e expressam de forma contundente os problemas que fazem sofrer a cidade, levando os atores envolvidos, também por este motivo, a basear suas ações segundo este desenho, onde a vida da urbe parece ter lugar. Entretanto o espaço disponível para esta malha tem fronteiras muito definidas, que não se expandem à medida que a cidade cresce, pelo contrário, a tendência natural de crescimento da demanda torna este espaço disponível virtualmente cada vez menor, menos útil e qualificado, o que restringe sobremaneira a gama de soluções possíveis.
.
0.3- Os esforços no sentido da recuperação e requalificação dos espaços públicos tem caráter pontual, e mesmo quando bem sucedidos, são isolados, conectando-se apenas através da mesma rede de ruas e avenidas, que interrompem um possível e desejado “continuum saneado”, que poderia oferecer de fato uma nova alternativa de experienciação da cidade.
.
0.4- Mesmo uma cidade tão grande, adensada, e árida como a nossa, conta com praças, parques, calçadões, retalhos urbanos, e nesgas verdes, cujos benefícios podem ser potencializados com a sua conexão, que também precisa surgir de forma já qualificada, e não tem lugar para acontecer na rede viária existente.
.
0.5- É preciso portanto pensar nas possibilidades de conexão através da adição de uma nova camada de uso, pensada em sobreposição à existente, capaz de oferecer também alternativas de percurso (para outros modais que não o veículo à explosão), mas principalmente de usufruto. Quanto mais conectadas, maior o poder de contaminação a qualificar suas fronteiras, e mais forte a tendência de expansão destes espaços urbanos saneados.
.
0.6- A cidade é um organismo vivo, que cresce (ou míngua) ordenada ou desordenadamente, com ou sem planejamento, independentemente da vontade de seus cidadãos ou gestores, e isto se dá via de regra da forma mais fácil, mais simples e objetiva que se apresente. Se forem facilitadas as condições para que o crescimento aconteça de forma sustentável e qualificada, é assim que este se dará.
.
0.7- Se cada intervenção da municipalidade for feita com esta filosofia, adotando coberturas vivas, cada uma delas, por menor que seja, será também mais um ponto a auxiliar no alinhave das superfícies qualificadas e sua integração, apontando para um futuro não só possível, mas também desejável, onde o deslocamento tenda a se tornar mais prescindível, e o usuário tenha acesso cada vez mais próximo a espaços públicos onde a vida, o encontro, as atividades lúdicas e culturais possam ter lugar, sem que seja obrigado a vivenciar a urbe como fazemos hoje, por falta absoluta de alternativa.


Comentários

  1. Tem um arquiteto em Goiânia que apresentou uma solução como essa em seu blog há um tempo atrás. Haveria um estacionamento debaixo de cada praça e na mesma poderiam ter diversas lojas e conveniências, assim como espaço de lazer.

    ResponderExcluir
  2. Que legal, sabes o nome dele? Teria vontade de ver. Abraços

    ResponderExcluir
  3. Procurei no google e nos sites relacionados de blogs de arquitetura, mas não encontrei, no entanto quando encontrar postarei aqui.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Sua opinião é super importante para nós ! Não nos responsabilizamos pelas opiniões emitidas nos comentários. Links comerciais serão automaticamente excluídos

Postagens mais visitadas deste blog

Ideias de como usar nichos para decorar seus espaços

Aproveitando nichos para decorar sua casa ou seu escritório. 

Veja algumas ideias interessantes de como fazer desde pequenos detalhes que enfeitam até aproveitamento de vãos que guardam objetos e auxiliam na organização.

Simplicidade:A elegância mora nos detalhes e na síntese. Um rasgo bem usado, sem maiores excessos, apenas salientado pelo uso de cor e pequeno detalhe em madeira. Atentem para a iluminação nas laterais e em como o rodapé acompanha o rasgo.

Transparência e estrutura em madeira na nova loja da Apple na Tailândia

Uma grande árvore em madeira cercada por um fechamento em vidro é a aparência da maior loja da Apple na Tailândia. Projetada pelo renomado estúdio de Foster + Partners foi inaugurada em julho de 2020, em plena pandemia.

Batizada de Apple Central World, a loja tem um diâmetro de 25 metros e sua forma foi gerada por uma curva de Bezier 360 °, uma curva paramétrica usada em computação gráfica. Veja AQUI mais detalhes de como foi feito.

Todos sabemos que a Apple segue o conceito de se diferenciar em inovação e as suas lojas representam esse modo de se posicionar no mercado. Na nova loja asiática são usados 1461 perfis de carvalho branco europeu no revestimento da coluna de suporte do telhado. 


A aparência interna é de um grande tronco que sustenta a copa de madeira em balaço. Uma escada de aço inoxidável serve de conexão para os andares. O prédio tem um fechamento totalmente envidraçado o que permite a visão da cidade e a transparência externa para quem vê o prédio que se mostra e convida ao…

Buhais Geology Park, inspiração em ouriços de 65 milhões de anos

O Buhais Geology Park é um local de magnífica importância pré-histórica e geológica, localizado nos Emirados Árabes Unidos. Há evidências científicas de que foi um mar cerca de 65 milhões de anos atrás. Para expor as coleções de fósseis marinhos e outros objetos relevantes da eras da Pedra, Bronze e Ferro, o escritório Hopkins Architects projetou cinco interessantes espaços circulares, interconectados e que servem para acomodar não apenas as áreas de exposição, mas também várias instalações para visitantes, entre elas um teatro e um café. 


Segundo o site dos arquitetos, a inspiração para a forma dos espaços de exposição foram os ouriços fossilizados. Para não causar muitos danos ao meio ambiente, as edificações "foram projetados como estruturas de concreto pré-fabricado e apenas tocam levemente o solo em discos de fundação de concreto armado in-situ."



As estruturas de concreto são revestidas com painéis de aço coloridos para se adequarem à paisagem. Estes painéis, que dão a ap…

Gavetas e detalhes que fazem diferença na cozinha

Organizar. Sempre um desafio na hora de planejar móveis e espaços. E um dos locais onde mais precisamos de locais coringas para guardar coisas são nas nossas cozinhas. 
Haja gavetas, nichos, cantinhos que podem ser aproveitados para os mais diversos usos. Separei algumas ideias para inspiração Aproveitando rodapés: Muitos colegas tem optado por fazer os rodapés de armários de cozinha em alvenaria e revestir a frente com pedras ou cerâmicas. É uma solução pratica principalmente pela limpeza e umidade. Mas se sobrar espaço e a opção for usar rodapés, eles podem ser usados para guardar várias coisas. (Confesso que não sei se são o melhor local para guardar vinhos, mas quem sabe...)   Porta trecos e panos de prato: Eles são super práticos porque aproveitam espaços pequenos e estreitos e guardam aquelas coisas meio feias quando ficam à vista. Não recomendo guardar panos de prato úmidos. E esse porta facas abaixo, ao lado do fogão, é super prático!  
Outro exemplo de aproveitamento de canto par…