Pular para o conteúdo principal

Banquete na Torre de Babel

Fonte
O que fazer em uma quinta a noite de janeiro em Porto Alegre? 

Conhecer um pouco mais a Babilônia, sua escrita e seu cotidiano. E tudo isso regado a bons vinhos, excelente comida e ainda conhecendo pessoas cultas e interessantes. 

Como? 

Indo a um Banquete Clio.

Quando se fala em Babilônia logo nos vem a mente os jardins suspensos. Ao lado uma representação do que se imagina que tenham sido. Mas não foi sobre eles que a Dra. Kátia Pozzer nos falou e sim sobre a escrita e de como se formavam os verbos ou palavras a partir de outras. Algo assim como pegar os símbolos de boca e mão e gerar o verbo - rezar ou orar. E uma das mais lindas, o que seria a descrição de um chefe de cozinha: aquele que torna uma comida bonita. Perfeito!
E através dessa descrição nos passava um pouco da cultura daquele povo. 

Porta de Ishtar
Eu sou uma apaixonada por História, principalmente a história do cotidiano, de como a gente pode sentir que se formavam as sociedades, como elas viviam, o que valorizavam. Não consigo conceber estudar uma obra ou uma cidade sem a situar na sua cultura e no seu tempo.

Uma relação muito interessante que ouvi lá é que as portas (e Babilônia tinha várias) representavam para as cidades mesopotâmicas o mesmo que a Ágora para as gregas. Era o ponto de reunião, o compartilhamento. E eram majestosas ! Os povos desse local inventaram a técnica do tijolo esmaltado (a origem dos azulejos que veio até nós brasileiros via Portugal que o herdou dos árabes que habitaram as regiões próximas). 


Zigurate inspirou a sobremesa
As construções mais conhecidas para nós são os zigurates. Montanhas de tijolos, com uma imensa escadaria, que levava a um templo na parte superior. Esses prédios tinham como objetivo aproximar homens e deuses, tornar possível a que esses últimos pudessem descer com maior facilidade para cuidar dos humanos.

A comida era refinada, a base de grãos e existem muitas indicações de receitas da época. Vimos imagens de conjuntos de mesa, inclusive uma panela coador, já que muitas de suas comidas exigiam que se tirasse o caldo. Sua bebida básica era a cerveja. E o vinho era um alimento nobre e representado pela simbologia do bem viver. 

Impressionante o apuro dos objetos, dos afrescos em alto relevo. Uma civilização fantasticamente sofisticada.

Palestrante - Dra. Kátia Pozzer Cidades Mesopotâmicas - História e Representações

E após a palestra fomos brindados com um banquete maravilhoso, cujas fotos e descrição coloquei abaixo.      


Gastronomia - Leonardo Magni e Liliana Andriola.

Cardápio

Coquetel de boas-vindas | Portal de Ishtar

Espetinho de tâmara e bacon
Tostada de queijo de cabra e maçã confitada
Espetinho de porco, repolho e cebola cristal

Entrada | Salada Assíria

Salada de grãos, peixe branco curado, avelãs e frutas secas com vinagrete de romã
Harmonização: Riesling Trocken Anselmann | Vinícola: Anselmann – Pfalz, Alemanha

Prato principal | Risoto Babilônia

Risoto de camembert com uvas frescas, amêndoas e lascas de cordeiro
Harmonização: Rejadorada Roble | Vinícola: Bodega Rejadorada – Toro, Espanha

Sobremesa | Delícias de Nínive
Crocante de mel, sorvete de iogurte com passas de pera Harmonização: Espumante Joaquim Blanc de Noir Brut | Vinícola: Villa Francioni – São Joaquim, Brasil


E uma das coisas mais bacanas desses encontros é a oportunidade de conhecer pessoas fantásticas já que as mesas são de dez lugares. Ontem fui sozinha e ao final da sobremesa já tinha conversado e descoberto dicas ótimas que compartilho com vocês:

  • Um site de História que uma professora usa para auxiliar as aulas com vídeos e artigos muito bons -  http://www.historiadigital.org/ 
  • A existência de um Museu Egipcio em Curitiba  
  • Uma coleção de arqueologia, inclusive egípcia, no Museu Nacional do RJ
  • Relatos de viagens ao Parque Nacional da Serra da Capivara, um paraíso para quem quer conhecer a real história rupestre do Brasil. 
  • Uma indicação de livro:  A CARNE E O SANGUE - A imperatriz D. Leopoldina, D. Pedro I e Domitila, a Marquesa de Santos um romance histórico sobre os personagens da história brasileira
E fica aqui uma pergunta: Aprender História não deveria sempre ser uma atividade lúdica, algo que desperte todos os sentidos? Não precisa ser um banquete sempre, mas usar recursos que despertem a curiosidade, o interesse, o se sentir dentro dos acontecimentos?


Fontes das fotos http://marciag-arte.blogspot.com.br/2010/04/arte-mesopotamica.html
http://rlpsiqueira.blogspot.com.br/2010/05/porta-de-ishtar.html
Fotos do banquete Elenara Stein Leitão

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ideias de como usar nichos para decorar seus espaços

Aproveitando nichos para decorar sua casa ou seu escritório. 

Veja algumas ideias interessantes de como fazer desde pequenos detalhes que enfeitam até aproveitamento de vãos que guardam objetos e auxiliam na organização.

Simplicidade:A elegância mora nos detalhes e na síntese. Um rasgo bem usado, sem maiores excessos, apenas salientado pelo uso de cor e pequeno detalhe em madeira. Atentem para a iluminação nas laterais e em como o rodapé acompanha o rasgo.

Como utilizar cortinas na decoração

Hoje temos postagem de convidados. O Cesar Fernandes da Tibério Construtora
vai nos falar sobre como utilizar cortinas na decoração.


Cortinas são fundamentais para diversos ambientes do seu lar. Além de transmitir uma sensação de amplitude ajudam a controlar a entrada de luz. E ainda dão um up no visual de qualquer ambiente. A decoração com cortinas pode parecer óbvia, mas é uma das formas mais práticas de renovar um ambiente.
Tamanho Para causar uma sensação de amplitude invista nas cortinas que começam pelo menos 15 cm antes da borda da janela e vão até o chão. Na verdade o tamanho vai depender muito do ambiente. Há casos em que pode-se usar todo o vão da parede. A altura que ela fica do piso da sua casa pode ser de sua escolha mas como o objetivo é dar um ar de maior extensão para a parede, recomenda-se que fique junto ao piso. Leve em conta que há tecidos que podem encolher em lavagens. As vezes é melhor fazer um pouco maiores para que não fiquem pequenas na manutenção. 
CoresNão exis…

Espaço de marketing diferenciado usando contêiner

Um exemplo de como contêineres usados podem ser reaproveitados é o que vemos nesta proposta de construção modular da agência Work of Substance para a empresa Goodman, onde foram usados quatro módulos que formam seis espaços diferentes. 

Leia também : Conteiner - pense neles como solução


Interessante como conseguiram usar os conteineres de maneira aberta com grandes aberturas que unem o espaço interno com a natureza fora deles. 


Leia também: bar muito legal usando conteiner

Belos espaços de contemplação também são criados no andar superior. Com a vantagem da construção poder ser reutilizada em outros sítios, sem deixar maiores intervenções no local onde estava. 
Nos siga também nas redes sociais

TwitterFlipboardFacebookInstagramPinterest
snapchat: arqsteinleitao

10 ideias para adiantar o Natal

Quando tinha uns dez anos (faz tempo...) fiz um trabalho escolar de arte e propaganda. Minha ideia foi um Papai Noel adiantado, que vinha pela metade do ano para aproveitar um xis produto que não lembro qual era. Meu pai, como todo pai babão, super me elogiou e nunca esqueci por isso. Nem lembro a nota que tirei na escola. Naquela época, década de 60, o Natal começava em dezembro. Meados de dezembro. Quando eu iria imaginar que estava sendo profética e que talvez, daqui uns tempos, o Natal nem passe. Emende com outras festas. Agora já convive o tal de ralouin que é em outubro.



Natal me lembra luz. Um paradoxo entre verão, calor e imagens de muita neve e comidas quentes. Me lembra canela, bolachinhas alemãs que minha mãe fazia e que eu podia cortar as massinhas e ajudar a confeitar. Árvore sendo montada e presépio

Separei dez ideias que achei bem bacanas de enfeites e árvores que podem ser montadas de forma simples e bem criativa.


1- Do blog da Renata Tomagnini achei estas charmosas dob…