Pular para o conteúdo principal

O Plano dos bebês brancos - atitudes sustentáveis


E antes que vocês achem esse nome politicamente incorreto, ele vem de uma movimento de jovens holandeses na década de 60, os Provos, que acreditavam na ação comunitária e libertária como uma maneira de mexer e mudar o statos quo. O nome pelo que vi na internet, veio em contraponto às galinhas azuis (maneira como eram conhecidos os policiais holandeses). Eles começaram espalhando galinhas brancas. E depois vieram outras ações "brancas". Uma delas se espalhou pelo mundo, não bem como eles imaginavam, mas hoje se vem bicicletas à disposição de muitas pessoas mediantes uma pequena taxa ou inscrição. O que eles imaginavam era um pouco (bem) diferente nos planos brancos. Veja AQUI


Enfim, o Rafael Renehr é um médico, super gente fina, que acredita em ações concretas e comunitárias para sensibilizar e transformar o mundo. E com o nascimento do Conrado, seu segundo filho, ele está propondo as ações abaixo, que achei fantásticas e quis compartilhar com vocês porque:


_ Estamos comemorando o Natal. Que é : O nascimento de uma criança. E se a gente fizer essa comemoração com algumas das ações propostas pelo Rafael ? O que acham ? E adoraria se contassem aqui, nos seus blogs, por e-mail o que vocês fizeram para que esse nascimento fosse um hino ao crescimento de todos nós. 




O Plano dos Bebês Brancos (uma homenagem ao nascimento do Conrado)

Levando em conta que o nascimento de um bebê quase sempre é uma festa (mas sempre é um evento digno de nota), que mexe com a vida da família, amigos e muitas vezes vizinhos, pensamos em aproveitar este momento para mobilizar essa pequena multidão em direção a algo proveitoso para o bem de todos.

Cada vez que um bebê nascer, e como prova de que este bebê é bem-vindo e que a comunidade em torno dele está preparada para recebê-lo, nutri-lo e ajudá-lo a desenvolver de forma sustentável, os pais, a família, os vizinhos e amigos devem formar uma equipe que deverá, no menor tempo possível, concluir as seguintes tarefas:

1. Plantar uma árvore e dar a ela o nome do recém-nascido

2. Escrever uma canção em homenagem ao bebê ou então, pelo menos, cantar uma canção para o bebê, em alto e bom som - esta vai ser, por alguns anos, "a música do bebê"

3. Fazer a doação de uma ou mais horas de trabalho comunitário - por pessoa - para ajudar o bairro ou localidade a se desenvolver de forma equânime e sustentável - o trabalho pode ser algo como manutenção de uma praça ou parque, ensinar algo em uma escola do bairro, de forma voluntária, ajudar a preparar uma festa comunitária ou ainda bolar uma iniciativa do tipo “cachorro-quente nas tardinhas de sexta”, na pracinha do bairro, para as crianças que estão por lá brincando - cada pessoa que espontaneamente fizer algo nas próximas semanas e dedicar ao bebê, deve comunicar aos pais para que estes possam registrar o ato e, um dia, comunicar ao bebê o que foi feito na comunidade em homenagem à sua chegada

4. Pelo menos 5 pessoas ligadas ao bebê precisam sair do conforto e da inércia e se dedicar a aprender algo novo. Isso pode ser algo como fotografar, cozinhar ou até mesmo - porque não - aprender a trocar fraldas ou dar banho em bebês. Estas pessoas deverão então escrever uma cartinha ao bebê, contando como foi a experiência de ter aprendido algo novo. O bebê guardará as cartinhas para ler quando for maior. Elas serão a prova de que o ser humano sempre pode aprender mais, bastando para isso um bom estímulo


Toda vez que esse ritual se repetir, a cada novo nascimento, estaremos cantando em coro a convivialidade e o pedaço em nós que nos faz humanos. 

Este "plano" é open-source, pode ser replicado por qualquer família ou grupo de amigos, foi inspirado no coletivo PROVO, de Amsterdam e foi preparado especialmente para o encontro do grupo Amadores de Palavras, em homenagem ao meu filho recém-nascido, Conrado.

Quem é Rafael Reinehr - autor dessas palavras aí de cima

Comentários

  1. Atitudes Extremamente Positivas.
    Salve Conrado!

    Adorei isso do Palhaço (Dia 10 agora é dia dele).

    Boa Tarde!
    bjks

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Sua opinião é super importante para nós !

Postagens mais visitadas deste blog

13 ideias para quem ama gatos

Há pouco passou uma sexta feira. Era 13. Gosto das sextas feiras. Gosto do 13. Gosto dos gatos. Gosto dos gatos pretos, esses que tanto foram perseguidos como companheiros de bruxas.

Gatos são da casa -repetem como mantra os que não conhecem os gatos. Os gatos são deles mesmos. E de quem os conquistar. Ou de quem eles resolverem amar. 

Amor de gato é diferente do amor de cão. E não menos dramático. Gatos não toleram atrasos. Não aceitam menos que a nossa entrega. De preferência sem muito chamego, a não ser na hora que desejam. 

Gatos são hedonistas por natureza. Existem para viver com languidez e serem acariciados. Mimados. Paparicados. Gatos são aristocratas. Mesmo que revirem latas de lixo. 

Desconfiem da humildade felina. Ao primeiro toque de boa vida, se tornam preguiçosamente orgulhosos.   
“Um gato vive um pouco nas poltronas, no cimento ao sol, no telhado sob a lua. Vive também sobre a mesa do escritório, e o salto preciso que ele dá para atingi-la é mais do que impulso para a cultu…

Ideias simples que ajudam muito

Muitas vezes a gente fica pensando em soluções mirabolantes para a casa da gente e esquece de ideias simples que ajudam bastante. Reuni algumas delas aqui

Uma gaveta bem colocada na lavanderia auxilia muito a tarefa de colocar as roupas na máquina.  Procure soluções que forneçam apoio para bacias, para cestos e simplifiquem sua vida nas tarefas de limpeza da casa. Aproveite espaços que ficariam sem uso. Essas práticas gavetas para guardar esponja e sabão são um exemplo.
Outra ideia de aproveitamento de espaço inútil. A área ao lado e na frente das cubas. Vejam que foi usado material impermeável e assim podem ser guardados os utensílios de lavar louça que são molhados. 
Usar porta toalhas em portas ajuda na organização.

Um lugar para cada coisa, cada coisa em seu lugar. Na hora de cozinhar é preciso achar com praticidade tudo o que se precisa. Uma boa solução é fazer um gavetão para esses utensílios e dispô-los em locais práticos e de fácil acesso.  Pratos podem ser colocados para sec…

Coifa, exaustor ou depurador? Saiba qual é a melhor opção para a sua cozinha.

Quem já não passou por isso: Você está cozinhando e quando nota tem fumaça por todo lado, muito calor, além do cheiro da comida se espalhando por outros cômodos da casa. Isso acontece principalmente quando fritamos algum alimento. Para evitar situações como essa, existem depuradores, exaustores e coifas. Mas você sabe o que cada um faz e qual o melhor para o seu tipo de cozinha?

Confira a diferença entre eles e veja o que melhor se adéqua a sua necessidade:

CoifaA coifa tem como função sugar o ar, filtrá-lo e expeli-lo para fora da cozinha por meio de tubos de saída que podem ser instalados no teto, em paredes ou em forros. Ela elimina não somente a gordura e outros odores do ambiente, mas também “renova o ar” da sua cozinha.
Dependendo de onde está localizado o fogão, você pode optar por coifas de parede ou em formato de ilha, que ficam no centro da cozinha. Atualmente, existem coifas para todos os gostos e com designs bem modernos que se adaptam a qualquer tipo de decoração.

Recomenda-…

Círculo da Vida - arquitetura viva

Imagine uma série de construções que sigam o ciclo da natureza de vida, que possam crescer, florescer e fenecer como qualquer organismo vivo. É a ideia por trás da Arquitetura Viva ou botânica construtiva como alguns chamam. Falei sobre este conceito em Arquitetura Orgânica.
E enquanto pesquisa o site dos arquitetos do Obvious Avoid (falei sobre eles na postagem sobre ensinar crianças a pensar como arquitetos) encontrei essa proposta do Círculo da Vida que eles mesmos descrevem como "uma coleção de construções sustentáveis ​​feitas para celebrar a arte, a natureza e a ciência. "
Através de um centro de aprendizado a ser feito em uma floresta mexicana, as pessoas poderiam participar e compreender a natureza em todos os seus processos, tanto de vida como de morte. E onde o local não será apresentando como uma proposta fechada, mas como um processo em crescimento natural.
Os sete passos do ciclo proposto são:
Encontrar e recolher árvores caídasConfeccionar produtos de madeiraUsar p…