MG08 habitação flexível

Imagem
Habitar uma casa movimenta uma série de sonhos e emoções. Possuir uma casa evoca ancestrais desejos de segurança. Mas nem sempre as necessidades permanecem as mesmas. As situações de fora e de dentro se modificam e pedem espaços que sejam flexíveis. A Maria Guerrero, também conhecida como MG08 em Madri, projetada pelo Studio Burr , foi pensada para ser uma habitação que possa ser transformada de acordo com essas novas necessidades dos moradores.   María Guerrero é uma casa que nasceu dividida em duas. Para poderem arcar com os custos de aquisição e construção, os habitantes deste empreendimento iniciam a sua vida neste espaço ocupando metade da casa e alugando a outra metade como habitação independente. Apesar da narrativa interessante, me pareceu muito com essas casas geminadas onde se coloca uma parede no meio, que pode ser removível se houver interesse em unir os espaços. Algo que já vem sendo usado e que, com um nome interessante, chama mais a atenção.  Segundo o site dos arquiteto

Construir ou Construir bem ? PS_ Sorteio

Atualizando: Vamos sortear aqui uma cortesia para a Masterclass do dia 23/11 com Lelé e Jacques Herzog. Quer concorrer ? Clique AQUI  até o dia 18/11 as 12:00. Vou sortear pelo http://www.random.org/ e mando um e-mail avisando quem ganhou, ok ?


Nem deveriamos fazer essa pergunta. Construir deveria ser sempre construir bem, assim como Arquitetar deveria ser sempre Arquitetar bem. Mas sabemos que na prática não é sempre assim. E como estamos na chamada bola da vez, com perspectivas de crescimento na industria da construção civil com o impulso das obras da Copa de 2014, os olhos do mercado mundial se voltam para o Brasil e suas potencialidades. E é nessa seara que se torna cada vez mais premente a discussão sobre a Arquitetura e o profissional arquiteto nesse contexto. 


Conquistamos o CAU, temos uma imensa rede de faculdades de arquitetura, a nossa profissão volta a ter um charme e apelo na sociedade, mas até que ponto somos atuantes como agentes transformadores das urbes onde vivemos. Recebemos capacitação para trabalhar com espaço: micro e macro, interior e exterior. Somos ou deveríamos ser urbanistas. Propor soluções. E por isso achei interessante mostrar aqui esse evento que vai acontecer agora em novembro. O Arq.Futuro se propõem a debater o nosso papel. 
    

UM EVENTO DE ARQUITETOS PARA ARQUITETOS

O Arq.Futuro tem como objetivo iluminar os diferentes papéis desempenhados pela arquitetura hoje, não apenas como expressão artística, mas também – e sobretudo – como elemento de transformação social.
O projeto nasceu da constatação de que discutir arquitetura é pensar a organização das cidades, as várias formas de viver, as diferentes concepções que norteiam a construção do ambiente humano – um debate cuja urgência se torna nítida ao considerar a proliferação de construções erguidas em completo desacordo com a geografia, a história e a natureza locais.
A partir da troca de ideias, conceitos e experiências entre profissionais de diferentes partes do mundo, o Arq.Futuro compõe um amplo e multifacetado painel dos desafios que atualmente se impõem à arquitetura e das formas pelas quais ela se insere na realidade contemporânea.

Veja mais informações AQUI

 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ideias de como usar nichos para decorar seus espaços

Gavetas e detalhes que fazem diferença na cozinha

10 motivos para NÃO fazer arquitetura