8 Tiny cabanas para inspirar sua alma

Imagem
Na esteira das mudanças de anseios pelas quais passa a humanidade, vemos o incremento das chamadas " tiny houses ". Tiny vem do inglês muito pequeno, e assim foram batizaram casas ou cabanas com pouquíssimo espaço e muito aproveitamento. Seja para casas de veraneio, espaço de trabalho ou mesmo para residir, a experiência de viver apenas com o indispensável, parece ser das tendências mais interessantes dos tempos atuais. Até porque contrapõem de maneira bastante enfática toda uma sociedade de excessos em consumo e usos. Separei aqui 8 exemplos de tiny cabanas que são altamente inspiradoras para alimentar essa ideia de forma prática. Muitas delas são vendidas como forma pré-fabricada.  A primeira delas é  aVOID . Com 8 metros quadrados, o jovem arquiteto Leonardo di Chiara projetou uma pequena casa, inspirada em barcos de sua infância.   Pode ser acoplada a um trailer e, por meio de dobragens consegue múltiplas possibilidades de uso. E ainda conta com um mirante/janela na parte

Abadia de Westminster

http://www.westminster-abbey.org/our-history/the-architecture-of-westminster-abbey

http://www.westminster-abbey.org/our-history/the-architecture-of-westminster-abbey
http://www.westminster-abbey.org/our-history/the-architecture-of-westminster-abbey
http://www.westminster-abbey.org/our-history/the-architecture-of-westminster-abbey

 Semana de casamento real sempre desperta um certo fascínio. Tudo bem, monarquia é até démodé nesse milênio de comunicações virtuais e ninguém mais no mundo dito civilizado acredita que uma pessoa ou família possa deter o poder sobre um povo. Se bem que haja casos assim até mesmo em países republicanos. Mas aí já é outra história. Enfim, sempre haverá um espaço para uma nostalgia pela realeza. E se forem jovens e bonitos mais ainda. São de certa maneira pop stars. O Oscar não é muito diferente, com seus tapetes vermelhos e flashes alucinados.

Mas o que vamos falar aqui é sobre o cenário do casamento. A célebre e majestosa Abadia de Westminster.

O prédio que conhecemos teve seu inicio na época do Rei Henrique III, século XIII. Era o tempo dos mestres pedreiros, misto de construtor e arquiteto, que erigiram para o Rei um belíssimo templo gótico. São eles Reyns, João de Gloucester e Robert de Beverley.  Ela tem a maior abóbada gótica na Inglaterra (mais ou menos 102 m.) e corredores estreitos reforçam o seu tamanho. Obviamente um trabalho desse magnitude levava muito tempo para ser construído e o Rei morreu sem ver a sua igreja completa. Foi necessário reunir mais dinheiro e imagino que o povo deve ter contribuído com impostos, mas mesmo assim vários detalhes posteriores eram mais modestos que os inicialmente concebidos.
 
Apenas no século XVI, já no reinado de Henrique VII foi construída a Capela que é considerada um dos edifícios mais perfeitos já construídos na Inglaterra. 

No século XVIII foram construídas as duas torres da Abadia.

É o local de coroação e mais modernamente dos casamentos da família real inglesa. Se esse vai ser um dos últimos acontecimentos de pompa real, só os anos dirão. Mas que a catedral permanecerá bela, isso torcemos que sim já que é um Patrimônio Mundial da Unesco.

Para saber mais sobre a construção de catedrais góticas veja AQUI

Comentários

  1. Muito justo se falar sobre a Abadia.
    Gostei de saber um pouco mais.

    E aguardaremos a entrada triunfante da Noiva.

    Lindo Dia!

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  2. E foi bem interessante também a decoração com árvores. No mínimo,inusitada.
    Abraços
    Elenara

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Sua opinião é super importante para nós ! Não nos responsabilizamos pelas opiniões emitidas nos comentários. Links comerciais serão automaticamente excluídos

Postagens mais visitadas deste blog

Ideias de como usar nichos para decorar seus espaços

Gavetas e detalhes que fazem diferença na cozinha

10 motivos para NÃO fazer arquitetura