Publicidade

Postagem em destaque

10 Lições que aprendi na faculdade de Arquitetura

Recebo algumas correspondências falando de como os leitores gostaram dessa ou de outra postagem aqui do blog. E sempre fico super feliz! É ...

2016/04/12

Espaços bem humorados - use e abuse

Fonte
Humor. Cada vez mais fundamental. Sempre tive comigo que a vida enfrentada com bom humor e sutileza é muito mais prazerosa. E nos espaços que habitamos não é diferente. Podemos brincar com vários elementos, fazer experiências lúdicas sem necessariamente cair no pastiche.

Vejam o exemplo acima. Um ambiente despretensioso. Vários caixotes de madeira arranjados de forma quase aleatória. E adesivos super brincalhões mudam toda a cena e carregam na irreverência. 
Fonte
Aliás o Humor com agá maiúsculo é feito muito da mistura bem dosada da irreverência com a sutileza. E do poder de síntese como bem demonstra a figura acima. 

Um dos locais onde mais se costuma brincar são nos quartos infantis. As vezes com algum exagero, devo admitir. Mas uma bem equilibrada equação de utilidade lúdica ensina que o mundo real pode ser trabalhado de forma leve e cheio de criatividade.

fonte
Ambientes corporativos não precisam necessariamente ser sisudos e sem graça. Cada vez mais as empresas tem apostado em projetos que valorizem espaços mais amenos e alegres. Vejam cinco ideias para fazer um escritório agradável. Usar cores, muito verde e luz, brincar com moveis diferenciados e com elementos inusitados, pode tornar um escritório em um local mais aconchegante e consequentemente, mais produtivo. 
Fonte
Se a proposta for mais séria, pequenos detalhes podem quebrar a sisudez. Pense nisso. 
Fonte
Outra forma de brincadeira é usar de forma inusual algo. No exemplo abaixo, as luminárias são abajures de diversos formatos ao contrário, caindo do forro, como se o mundo estivesse de cabeça para baixo...
Fonte
 Outras vezes é usá-los como uma grande e divertida escultura.
Fonte   
Fonte
Em resumo: o humor segundo uma definição mais ligada à psicologia é "relativo a uma atitude benevolente que realça o grotesco de um comportamento sem a frivolidade do cômico nem a crueldade da sátira." (fonte)

Ou seja, pegar algo do cotidiano que esteja no foco e decantá-lo em uma forma sutil de referência jocosa. 

Pensando bem, é uma sabedoria de vida. E também de projetar. Não é a toa que grande parte da/os arquiteta/os sempre usam a palavra brincadeira em seus discursos de explicação de projetos...


 
Nos siga também nas redes sociais 
Twitter  Flipboard  Facebook  Instagram  Pinterest  snapchat: arqsteinleitao

Comentários
0 Comentários

Publicidade

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More