Repensando as cidades a partir de outras visões - recomendação de artigo


Um artigo absolutamente necessário para ser lido nestes tempos de necessidades de repensar que tipo de cidade queremos construir e reconstruir.  "Cidades: convite a outras cosmovisões" do site Outras Palavras discute a necessidade urgente de repensar o planejamento urbano e o desenvolvimento das cidades no Brasil à luz das mudanças climáticas e da degradação ambiental. O texto destaca os eventos catastróficos no Rio Grande do Sul como um exemplo recente do impacto do clima extremo nas áreas urbanas. Critica o modelo atual de desenvolvimento urbano, enfatizando o alto consumo de recursos e o impacto destrutivo nos biomas naturais.

Fiz aqui um pequeno resumo, mas recomendo a leitura do artigo completo:

1.Crise Ambiental: As cidades ocupam uma pequena porcentagem da superfície da Terra, mas consomem uma parte significativa da energia e produzem uma grande quantidade de emissões de gases de efeito estufa. Esse modelo levou à destruição de ecossistemas e biodiversidade e ao deslocamento de milhões para periferias de risco.

2. Perspectivas Indígenas: O artigo se baseia nas filosofias de pensadores indígenas como Aílton Krenak e o falecido Antônio Bispo dos Santos (Nêgo Bispo), que criticam a separação entre natureza e cultura nos ambientes urbanos. Eles defendem uma reconexão com o meio ambiente e uma reconsideração do que constitui uma cidade.

3. Visões Alternativas: Krenak e Bispo propõem que o planejamento urbano incorpore as perspectivas indígenas e quilombolas, que veem os seres humanos como parte de um ecossistema maior, e não dominantes sobre ele. Isso inclui integrar elementos naturais nos espaços urbanos e promover a sustentabilidade.

4.Percepção Pública e Política: Apesar do reconhecimento generalizado das mudanças climáticas pelos brasileiros, há uma percepção de que os governos e as corporações não estão fazendo o suficiente para enfrentar a crise. O artigo destaca a importância de desenvolver e implementar estratégias eficazes para mitigar os impactos ambientais.

5. Mudanças Culturais: Adotar um conjunto diversificado de visões de mundo, incluindo as de comunidades indígenas e tradicionais, pode levar a um desenvolvimento urbano mais equitativo e sustentável. Isso envolve desafiar a dominância das ideologias ocidentais e capitalistas e fomentar uma conexão mais profunda com a natureza.

O artigo conclui defendendo uma mudança de apenas buscar o "bem-estar" para almejar o "bem-viver", incorporando abordagens holísticas e inclusivas ao planejamento urbano que respeitem e integrem diversas perspectivas culturais e ecológicas.





Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ideias de enfeites de Natal em Macramê

10 motivos para NÃO fazer arquitetura

10 ideias de almofadas e afins para gateiros