MG08 habitação flexível

Imagem
Habitar uma casa movimenta uma série de sonhos e emoções. Possuir uma casa evoca ancestrais desejos de segurança. Mas nem sempre as necessidades permanecem as mesmas. As situações de fora e de dentro se modificam e pedem espaços que sejam flexíveis. A Maria Guerrero, também conhecida como MG08 em Madri, projetada pelo Studio Burr , foi pensada para ser uma habitação que possa ser transformada de acordo com essas novas necessidades dos moradores.   María Guerrero é uma casa que nasceu dividida em duas. Para poderem arcar com os custos de aquisição e construção, os habitantes deste empreendimento iniciam a sua vida neste espaço ocupando metade da casa e alugando a outra metade como habitação independente. Apesar da narrativa interessante, me pareceu muito com essas casas geminadas onde se coloca uma parede no meio, que pode ser removível se houver interesse em unir os espaços. Algo que já vem sendo usado e que, com um nome interessante, chama mais a atenção.  Segundo o site dos arquiteto

Uma reforma que transforma um apartamento em uma floresta urbana

Apartamento floresta

Uma região com uma vista bonita no centro histórico Quito, no Equador. Um apartamento da década de 70, com 112 m2. Um arquiteto Aquiles Jarrín e seus clientes. O resultado é uma mistura inusitada de caos organizado, estrutura exposta e misturada aos móveis, espaços fluídos e até um tanque onde se pode relaxar na água dentro da sala. Mas tudo isso de uma maneira tão caoticamente criativa que chamou a atenção de várias publicações que expuseram o projeto exatamente por fugir ao convencional. 


Nos stories de seu instagram, Aquiles mostra a execução e um detalhe na primeira foto me chama a atenção: ele monta sua mesa no apartamento em demolição e trabalha in loco. A medida que as paredes caem e a estrutura se revela, as novas formas vão se delineando em que as estruturas de concreto e as de ferro se mesclam no conceito de uma floresta, onde as "colunas árvores" vão crescendo ou sendo derrubadas e criam novos espaços de convivência fluídos e ricos. 
  

Os espaços abertos, às vezes fechados por cortinas, se necessários, deixam a luz e o vento passear pelo apartamento, abastecendo a alma/corpo dos moradores e as plantas.

Planta baixa

Falando em planta, a planta baixa do apartamento revela a aparente loucura e anticonvencionalismo de um espaço único. 



Não sei vocês, mas me encanta esse processo criativo de transformar o comum em algo totalmente novo e que seja a cara dos clientes. Um espaço incrível, rico, em plena cidade, um mundo novo e cheio de possibilidades de vida e de estar. 



Nos siga também nas redes sociais

Twitter Flipboard Facebook Instagram Pinterest

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ideias de como usar nichos para decorar seus espaços

Gavetas e detalhes que fazem diferença na cozinha

10 ideias de almofadas e afins para gateiros